Últimas histórias

  • Sobre ,

    Audiência Pública da ALRN sugere criação de hospital especializado em tratamento do Câncer Cerebral

    Amenizar os problemas sofridos pelos pacientes com câncer cerebral. Esse foi o principal objetivo da audiência pública realizada nesta quarta-feira (18) na Assembleia Legislativa e ao final do debate sob o tema “Maio Cinza – Mês Dedicado à Prevenção do Câncer Cerebral e com base nos depoimentos de especialistas que fizeram parte da Mesa dos Trabalhos, a deputada Cristiane Dantas (SDD) propositora do debate, disse que vai encaminhar à Comissão de Saúde as necessidades e as sugestões para diminuir os problemas que os pacientes enfrentam para o tratamento da doença.

    “Muitos questionamentos foram colocados aqui e vamos fazer o encaminhamento, via Comissão de Saúde, chamando a atenção das autoridades que tomem as devidas providências para amenizar o problema dos pacientes. Foram relatados aqui questões relacionadas com a demora na realização de exames e diagnósticos precoces, além do aumento de teto pelo SUS para cirurgias do câncer cerebral pelos hospitais. Amanhã nós vamos dar entrada num Projeto de Lei criando o Maio Cinza para ressaltar a importância do diagnóstico desse tipo de câncer, alertando a população”, registrou a deputada Cristiane Dantas.

    Na abertura dos trabalhos, a deputada lembrou que o Câncer Cerebral afeta 4% da população entre os 10 tipos de tumores que causam mais mortes no Brasil e que só no ano passado o Instituto Nacional de Câncer (INCA) fez uma projeção de 11 mil casos de câncer cerebral no Brasil e em 2021 a Liga Contra o Câncer registrou 57 novos casos no Rio Grande do Norte.

    Durante as exposições dos participantes, ficou constatado que há muitos gargalos que precisam ser eliminados no processo de tratamento do Câncer Cerebral, tanto na fase pré, no tratamento, nas autorizações para as cirurgias e no pós-operatório.

    Também ficou evidenciado que o Estado precisa ter um hospital especializado e que o SUS precisa ser homogêneo, porque alguns casos demoram mais a ser autorizados que outros. Essa demora precisa ser eliminada bem como é preciso ter uma reabilitação adequada como fisioterapia e fonoaudiologia, entre outros. Também foi colocado que não há um centro de reabilitação para esses casos no Rio Grande do Norte.

    A Mesa dos trabalhos, presidida pela deputada Cristiane, contou com os neurocirurgiões Wladimir Melo, membro da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia; Ângelo Raimundo da Silva Neto, do Hospital Universitário Onofre Lopes; Diogo Menezes, da Liga Contra o Câncer; Cleiton Vieira, do hospital Rio Grande; André Corsino, do Hospital do Coração e da Dra. Elida Bezerra, diretora técnica do hospital Walfredo Gurgel.

    Participaram ainda da audiência, a prefeita de Goianinha, Nira Galvão; a secretária de saúde daquele município Gabriela Rocha e a presidente da Associação Brasileira de Mulheres de Carreira Jurídica, no Rio Grande do Norte, Samoa Martins. 

    Imagem: Freepik

  • Sobre ,

    Desafios do empreendedorismo feminino é tema de audiência pública na ALRN

    Por iniciativa da deputada Cristiane Dantas (SDD), a audiência pública “Desafios do Empreendedorismo Feminino no RN” acontece na próxima segunda-feira (29), às 9h30, no auditório Cortez Pereira da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. O evento é em alusão ao Dia do Empreendedorismo Feminino, celebrado mundialmente em 19 de novembro.

    Conforme a parlamentar propositora da audiência pública, é um tema muito relevante e mais um incentivo e valorização das mulheres que cada vez mais estão ganhando espaço no mundo dos negócios. “Apesar disso, elas ainda enfrentam muitas barreiras como a descredibilidade por parte das instituições financeiras na abertura de micro e pequenas empresas. Nessa pandemia, empreender foi a saída encontrada por muitas mulheres para se sustentar depois de terem perdido emprego”, explica.

    O debate contará com a palestra da empresária da Primar Orgânica, Marcia Kafensztok, vencedora do Prêmio Mulheres do Agro 2021, concedido pela Associação Brasileira do Agronegócio. O prêmio reconheceu mulheres produtoras e gestoras de propriedades rurais de pequeno, médio e grande porte que tenham inovado na gestão, com foco na adoção de tecnologias e manejo sustentável.

    Devem participar também do debate representantes do Sebrae, Câmara de Dirigentes Lojistas, Agência de Fomento do RN, Fecomércio, Banco do Nordeste, Coletiva Nísia Floresta e sociedade civil.

  • Sobre , ,

    Dissolução de Conselho Técnico-Científico da Capes será tema de audiência pública hoje no Senado

    A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) fará audiência pública às 14 horas desta quinta-feira (30) para debater a dissolução do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES) da Capes, além de outras questões relativas à gestão da entidade. A iniciativa partiu do senador Fabiano Contarato (Rede-ES). 

    A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) é uma fundação pública ligada ao Ministério da Educação e atua na expansão do setor de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) em todos os estados do país. A instituição também desempenha atividades na formação de professores da educação básica. 

    Fabiano Contarato observou que uma portaria da presidência da Capes, na prática, destituiu os atuais integrantes do Conselho Técnico-Científico, com repercussão imediata no meio acadêmico brasileiro. Por isso, o parlamentar quer ouvir a atual comandante da Capes, Claudia Queda de Toledo. 

    “Uma série de organizações científicas e acadêmicas demonstraram preocupação com esta portaria, apontada como parte de um processo mais longo de ataques contra a Capes e, de forma mais ampla, contra o ensino superior público e privado no Brasil”, disse em seu requerimento. 

    O CTC-ES é responsável por elaborar a proposta do Plano Nacional de Pós-Graduação, opinar sobre acordos de cooperação e sobre os critérios e procedimentos para concessão de bolsas e auxílios institucionais e deliberar sobre propostas de novos cursos e conceitos atribuídos durante a avaliação dos programas de pós-graduação.

    Contarato disse também que há outras questões relevantes sobre a atual gestão da Capes que precisam ser debatidas, como indicações controversas e alterações no modelo de avaliação de periódicos científicos. 

    Como participar

    O evento será interativo: os cidadãos podem enviar perguntas e comentários pelo telefone da Ouvidoria do Senado (0800 061 2211) ou pelo Portal e‑Cidadania, que podem ser lidos e respondidos pelos senadores e debatedores ao vivo. O Senado oferece uma declaração de participação, que pode ser usada como hora de atividade complementar em curso universitário, por exemplo. O Portal e‑Cidadania também recebe a opinião dos cidadãos sobre os projetos em tramitação no Senado, além de sugestões para novas leis.

    Fonte: Agência Senado