Últimas histórias

  • Sobre , ,

    Exposição “Bordado de Caicó” acontece no CRARN da Cidade da Criança até 11 de junho

    A exposição “Bordado de Caicó – 12 pontos, tradição, beleza e arte” abriu para convidados nessa terça-feira (10) no Centro de Referência do Artesanato do Rio Grande do Norte (CRARN), da Cidade da Criança. A mostra já passou pelo Rio de Janeiro com sucesso, e agora se encontra em Natal. Da capital, parte para a Casa do Artesão do Seridó, em Caicó-RN.

    Produzido por artesãs de doze cidades do Seridó no Rio Grande do Norte – Caicó, Timbaúba dos Batistas, São Fernando, Serra Negra do Norte, Acari, São João do Sabugi, Jardim do Seridó, Ipueira, Cruzeta, São José do Seridó, Jucurutu e Ouro Branco – a tradição do bordado remonta ao século 19, vindo de Portugal ao interior do RN, mas que foi ganhando características próprias, identificado geograficamente também pela fauna e flora locais.

    A prática do artesanato tem relevante importância cultural e econômica no estado. O Rio Grande do Norte tem hoje 9.680 artesãos cadastrados no Sistema de Informações Cadastrais do Artesanato Brasileiro (Sicab). A regulamentação da profissão institui políticas públicas para o setor e a carteira profissional para a categoria.

    Falando especificamente do bordado do Seridó, este recebeu, em 2020, o Signo de Indicação de Procedência, entregue pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). O Signo foi solicitado há anos pelo Comitê Regional de Associações e Cooperativas Artesanais do Seridó (CRACAS).

    O Signo, que é um selo de qualidade, determina especificações para que o bordado possa ser considerado um bordado do Seridó. Entre elas está ser produzido em uma das doze cidades do Seridó e possuir doze pontos de bordado determinados: ponto cheio, Richelieu, matiz, costurado, rococó à máquina, aberto ou bainha, turco, rústico, quebra-agulha/espinho, crivo, granito, e o rococó (feito à mão).

    A exposição “Bordado de Caicó – 12 pontos, tradição, beleza e arte” está aberta ao público do dia 11 de maio até o dia 11 de junho de 2022, no Centro de Referência do Artesanato (CRARN), dentro da Cidade da Criança, na Avenida Rodrigues Alves, Tirol. A entrada para a Cidade da Criança custa R$ 2 reais ao público geral.

  • Sobre ,

    Programa Sebrae na Sua Empresa abre cadastro para atendimentos gratuitos

    O Sebrae no Rio Grande do Norte está com inscrições abertas para o Programa Sebrae na Sua Empresa, uma iniciativa que oferece gratuitamente orientação e conhecimento sobre gestão, finanças, planejamento, inovação e mercado aos pequenos negócios participantes. A meta é atender 30 mil empresas, entre Microempreendedores Individuais (MEI) e Microempresas (ME), em todo o estado. Para participar, o empreendedor deve se inscrever no link https://form.jotform.com/SebraeRN/sebrae-na-sua-empresa/ ou obter mais informações pelo 0800 570 0800.

    A edição 2022 do programa foi lançada nesta segunda-feira (25) na sede do Sebrae em Natal e, segundo a gestora do projeto, Jupira Nunes, pode participar do programa qualquer empresa que tenha faturamento anual bruto de até R$ 360 mil e que apresenta necessidade de melhoria na área de gestão.

    O lançamento do Programa Sebrae na sua Empresa contou com a participação do presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-RN, Itamar Manso Maciel, dos diretores José Ferreira de Melo Neto (Superintendente), Joao Hélio Cavalcanti (Técnico) e Marcelo Toscano (Operações), além de gerentes da Agências Sebrae da sede e do interior do estado e consultores credenciados. A apresentação foi feita pela gestora estadual do programa, Jupira Nunes, e pela consultora credenciada, Danielle Medeiros.

    Para o diretor superintendente do Sebrae-RN José Ferreira de Melo Neto, a meta de realizar 30 mil atendimentos através do programa em 2022, em todo o Rio Grande do Norte, é desafiadora. Contudo, a equipe do Sebrae está preparada para encarar o desafio de cumprir essa meta. “Não existe projeto algum de crescimento e desenvolvimento econômico no RN que possa prescindir do apoio que esse programa vai oferecer para as empresas do nosso estado. Daremos um salto gigantesco no número de empresas atendidas no RN neste ano de 2022”, afirma Melo.

    A iniciativa deverá contemplar os empreendimentos instalados em todas as regiões do Rio Grande do Norte. As orientações são repassadas por meio de especialistas, que são consultores credenciados pela instituição e que possuem larga experiência de mercado. Ao participar do programa, a empresa passa a receber atendimentos online e visitas presenciais diretamente no ambiente do negócio. Consultores credenciados do Sebrae visitam a empresa e realizam um diagnóstico, identificando os desafios e apontando as melhorias na gestão para alcançar resultados efetivos.  O raio-X é feito nas áreas de mercado, finanças, planejamento, organização e gestão de pessoas, de forma gratuita.

    Ao final, o empresário recebe uma devolutiva digital apresentando soluções específicas para aprimorar o controle gerencial do negócio. O resultado desse diagnóstico reflete as necessidades específicas do empreendimento e assim é possível oferecer soluções para melhorar o que é prioritário. Além disso, recebe ainda um caderno de ferramentas, contendo orientações para administração da empresa, e planilhas das áreas apontadas no diagnóstico.

  • Sobre ,

    RN arrecada R$ 1,8 bilhão em ICMS no primeiro trimestre de 2022

    As empresas que contribuem com o Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) acumularam um repasse de R$ 1,8 bilhão para os cofres do estado no primeiro trimestre do ano. Esse valor é nominalmente 13,2% maior que o recolhido no mesmo período do ano passado, quando a arrecadação do tributo no Rio Grande do Norte totalizou R$ 1,59 bilhão. Esse aumento nominal é resultante dos valores acumulados de janeiro até março. No mês passado, o total recolhido das empresas com esse imposto foi de R$ 591 milhões.

    Os dados foram levantados pelo Sebrae no Rio Grande do Norte na última edição do Boletim de ICMS do RN. O informativo é elaborado mensalmente pela Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae no Rio Grande do Norte, a partir do cruzamento de informações da Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN) e do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), órgão que é composto por representantes de secretarias de fazenda e tributação de todos os estados brasileiros. A análise do comportamento desse indicador é fundamental para entender a situação econômica do Rio Grande do Norte, já que o ICMS é o principal imposto que compõe as receitas próprias dos estados, ao lado do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e do Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD).

    De acordo com a publicação, em janeiro deste ano, o recolhimento deste tributo foi de R$ 649 milhões, no mês seguinte mais R$ 567 milhões e findou março com uma arrecadação de R$ 591 milhões. Com isso, a arrecadação acumulada desse imposto no ano chegou a R$ 1,8 bilhão no primeiro trimestre, o melhor resultado em termos nominais desde 2018, quando começa a série histórica.

    Apesar de ser verificado um crescimento nominal de 25,4% entre o primeiro trimestre de 2018 e o deste ano, na verdade, não houve crescimento real como os dados sugerem, mas, um decréscimo, já que a inflação medida nos cinco últimos anos foi maior: 27,6%, tendo como indexador o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é estabelecido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) e adotado como parâmetro para mensurar a inflação oficial.

    Segundo o informativo do Sebrae, o comércio foi o segmento que deu a maior contribuição. Juntas, as empresas do comércio varejista e atacadista recolheram R$ 659 milhões nos últimos três meses. A cadeia produtiva do petróleo e derivados somou uma arrecadação de R$ 424,4 milhões no período, seguida da energia elétrica, com R$ 236 milhões. A indústria gerou uma arrecadação de R$ 216,7 milhões, enquanto o setor primário foi responsável por um recolhimento de ICMS da ordem de R$ 86,1 milhões.

  • Sobre

    Projeto vai impulsionar ostreicultura em Senador Georgino Avelino (RN)

    A experiência exitosa para impulsionar a produção de ostras nos municípios de Canguaretama e Tibau do Sul levou o Sebrae no Rio Grande do Norte e a Fundação Banco do Brasil a firmarem nova parceria para desenvolvimento de um projeto de ostreicultura em mais uma cidade potiguar, o município de Senador Georgino Avelino, distante 55 km de Natal. A iniciativa vai promover a inclusão produtiva para geração de renda por meio do cultivo de ostras de forma sustentável, minimizando o extrativismo predatório da espécie. O projeto beneficiará 45 famílias, podendo alcançar de forma indireta cerca de 200 produtores da região com capacitações, assistência técnica, acompanhamento e aplicação de tecnologias sociais.

    A parceria entre Sebrae e Fundação Banco do Brasil vai investir R$ 1,2 milhão para o aumento da capacidade de produção das associações por meio da doação dos materiais específicos para o cultivo das ostras, a ampliação do acesso ao mercado e a formação continuada de micro produtores familiares nas regiões de estuários nos municípios de Senador Georgino Avelino, além de Canguaretama, Tibau do Sul.

    A ação faz parte do Projeto de Desenvolvimento Setorial nos Territórios – Aquicultura Potiguar e beneficiará 45 famílias, podendo alcançar de forma indireta cerca de 200 produtores daquela região, ao longo de dois anos. Para o diretor técnico do Sebrae-RN, João Hélio Cavalcanti, a parceria representa um esforço conjunto para a consolidação da cadeia de produção da ostra no Rio Grande do Norte, por meio do aumento da capacidade de produção das associações produtoras, estabilidade no fornecimento de sementes e ampliação de mercados.

    “Temos firmado parceria com a Fundação Banco do Brasil desde 2005 para atender várias cadeias produtivas ligadas ao agronegócio. Com esse novo projeto, queremos fomentar a geração de renda, inclusão produtiva, promover a sustentabilidade dessa atividade e estimular a adoção de tecnologias sociais, obtidas em experiências anteriores, e aplicá-las junto a esses ostreicultores”, diz o diretor. A produção das áreas acompanhadas é de aproximadamente 1 milhão de ostras por ano. Com o incremento previsto no projeto, espera-se chegar a 2 milhões, dobrando a capacidade atual.

    De acordo com o gerente da Unidade de Desenvolvimento do Rural do Sebrae-RN, Angelo Baeta, os estuários do Rio Grande do Norte possuem um potencial ímpar para a produção de ostras nativas. A Lagoa de Guaraíras possui um dos melhores índices de crescimento de ostras nativas do país e o rio Curimataú, um extenso estuário para se produzir e com um grande estoque natural.

    Além disso, o estado possui o único laboratório de produção de sementes de ostras nativas, que tende a funcionar regularmente com o projeto. Segundo Baeta, a posição geográfica do RN favorece o acesso a mercados consumidores vizinhos dos estados da Paraíba, Ceará e Pernambuco.

    A cadeia de produção de ostras no estado estava em declínio e a atuação do Sebrae, a partir de 2012, deu um impulso à atividade. O trabalho foi decisivo para a regularização das áreas de produção, consolidação do fornecimento de sementes, implementação e ampliação dos cultivos, formação continuada dos produtores e acesso ao mercado.

  • Sobre ,

    Evento analisa oportunidades e tendências para o setor de energia solar nesta terça (05)

    Para apresentar as principais tendências e as oportunidades previstas para a cadeia produtiva da energia solar, o Sebrae no Rio Grande do Norte promove, nesta terça-feira (5), o Kick Off Solar, um workshop de debates e discussões voltado para os empresários que atuam nas cadeia produtiva da energia solar fotovoltaica. O evento será realizado na sede do Sebrae, em Natal, a partir das 17h. As inscrições podem ser feitas pelo 0800 570 0800. A expectativa é que cerca de 60 empreendedores participem do workshop.

    O Kick Off Solar vai funcionar como uma oportunidade de encontro entre empresários e parceiros da cadeia solar fotovoltaica. O objetivo é atualizar o público com informações sobre o setor e discutir o mercado à luz de dados, pesquisas e estudos atuais para identificar novas oportunidades de negócios para os empreendedores do segmento. O evento faz parte das ações do projeto RN Solar do Sebrae-RN e vai reunir empresários do setor solar fotovoltaico, entre integradoras, instaladoras e outros parceiros.

    Um dos palestrantes do evento será o vice-presidente da Associação Potiguar de Energias Renováveis (APER), José Maria Vilar. Também está programada outra palestra com o representante da Greener, um dos principais players do segmento fotovoltaico e solar do Brasil. Após as duas explanações, os participantes poderão debater e tirar dúvidas sobre o conteúdo apresentado.

  • Sobre , ,

    Centro de Referência do Artesanato do RN será lançado neste sábado (19) na Cidade da Criança

    Para marcar a passagem do Dia do Artesão, comemorado neste sábado (19), o governo do Estado, através do Programa do Artesanato do Estado do Rio Grande do Norte (Proart) da Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (SETHAS), fará o lançamento do Centro de Referência do Artesanato do Rio Grande do Norte (CRARN), com a exposição de acervos de obras artesanais da SETHAS, do SINE-RN e da Espacial Eventos, realizadora da Fiart – Feira Internacional de Artesanato. O evento conta com o apoio do Sebrae do Rio Grande do Norte e será realizado em parceria com a Fundação José Augusto, e Espacial Eventos, à partir das 9h na Cidade da Criança, no bairro Tirol em Natal.

    A programação contará com um ato ecumênico envolvendo religião católica, evangélica, budista e de matriz africana, além de apresentação da Banda Charanga do Riso e uma feira com associações da economia solidária. Segundo a subcoordenadora do Proart, Graça Leal, o Centro de Referência do Artesanato vai funcionar na Cidade da Criança como espaço de referência para as atividades do Artesanato Potiguar no estado.

    Graça Leal explica que o artesanato é uma expressão da história do homem em seu lugar. “O artesanato é milenar, assim como a história. É um registro simbólico carregado de memórias afetivas e histórias que nos falam sobre a humanidade e nos revelam nossas sincronicidades a despeito do tempo”, afirma Graça.

    Serviço: Dia do Artesão

    Data: 19-03-2022

    Local: Cidade da Criança, Av. Rodrigues Alves, Tirol, Natal.

    Programação:

    9h – Ato Ecumênico – Padre/Pastor/Budista/Mãe de Santo

    10h – Abertura da Exposição do Centro de Referência do Artesanato do RN – CRARN com exposição do acervo (SETHAS, SINE e FIART)

    11h – Apresentação da Banda Charanga do Riso

              Visitação à feira das associações da Economia Solidária

  • Sobre ,

    Projeto pretende revitalizar a cultura do algodão no RN

    O Rio Grande do Norte guarda nas páginas da história o mérito de ter tido em seu território uma cadeia produtiva que era sinônimo de riqueza e renda, o cultivo do algodão. E não é exagero. Entre os anos de 1960 e 1980, no apogeu da atividade algodoeira, o produto era considerado o ‘ouro branco’ devido à imensidão de plantações esbranquiçadas, feito nuvens, que se via em solos potiguares e o volume de divisas gerado.

    Estima-se que o estado já teve mais 500 mil hectares de pastos adensados com essa cultura, da qual se extraia a fibra, óleo da semente e até mesmo o rejeito servia de alimento para o gado. Uma realidade distante na linha temporal, desde que a praga do bicudo, um inseto devastador, abafou esses tempos áureos e pôs fim à atividade ao dizimar milhares de pastos.

    O retrospecto, no entanto, serve de lição e iniciativas, diante da evolução cientifica e biotecnológica, pipocam para resgatar essa cultura. E uma das mais encorpadas vem de uma parceria entre o Sebrae no Rio Grande do Norte, a Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias (Embrapa) Algodão e um gigante do varejo têxtil do país, o Grupo Guararapes, através do Instituto Riachuelo, que juntos buscam reverter esse quadro.

    As três instituições se uniram para iniciar a revitalização da cultura do algodão no Rio Grande do Norte de forma técnica, ambientalmente sustentável e com absorção da produção a partir da agricultura familiar. Essas são as bases do Projeto para Desenvolvimento e Resgate da Cultura Algodoeira. Uma ação que envolve 63 agricultores instalados em municípios da região Seridó, principalmente das cidades de Acari, Caicó, Carnaúba dos Dantas, Cruzeta, Jardim do Seridó e São José do Seridó.

    A proposta do projeto é fomentar a produção do algodão no sertão norte-rio-grandense, especificamente nessa região, e, ao mesmo tempo, oferecer suporte técnico, capacitações, consultorias e escoamento da produção, gerar negócios para o produtor rural e incremento de renda, como nortes para o resgate da atividade, que já foi uma das principais bases econômicas do Rio Grande do Norte.

    A iniciativa faz parte do projeto Agro Sertão do Sebrae e é financiada pelo Instituto Riachuelo, que visa incluir produtores da agricultura familiar na cadeia produtiva da moda, através do cultivo de algodão agroecológico e orgânico.

    Valor agregado e novos produtos

    De acordo com a gestora do Projeto de Orgânicos do Sebrae-RN, Sergina Fernandes, pelas regras do convênio, a Embrapa Algodão fica responsável pelo repasse de conteúdos técnicos para os agrônomos credenciados pelo Sebrae e estes passam a orientar e acompanhar os agricultores cadastrados na construção de um sistema de produção agroecológico e orgânico. “O projeto está estruturado em uma metodologia de aprendizagem e de pesquisa participativas. Isso vai facilitar a formação dos produtores a respeito do cultivo e que novas tecnologias cheguem mais rápido aos agricultores”, explica Sergina.

    Após capacitação dos consultores credenciados por parte da Embrapa Algodão, as técnicas serão transmitidas aos participantes com assistência técnica especializada, desde o plantio e prevenção de pragas e doenças até a colheita, cuja produção será destinada a uma empresa de atuação nacional. A aquisição de toda a produção deverá ser transformada em fios com certificação orgânica, material diferenciado e com valor agregado ao mercado, e chegar ao varejo têxtil em forma de tecidos.  As prefeituras dos municípios envolvidos no projeto também entram na parceria, oferecendo meios para o corte de terras das famílias participantes.

  • Sobre ,

    Sebrae entrega Prêmio Educação Empreendedora aos destaques no RN

    O Sebrae do Rio Grande do Norte realizou na manhã desta quarta-feira (9) a entrega do Prêmio Educação Empreendedora a professores de instituições de ensino da educação básica e ensino superior que se destacaram com a elaboração e execução de projetos de empreendedorismo na área educacional. Concorreram à etapa estadual, professores representantes das redes de ensino municipal, estadual e federal, públicas e privadas de todo o estado chegando à final, além de Natal, os municípios de Mossoró, Santa Cruz e Macau.

    Com o projeto “Caderno de Pesquisa e Práticas Empreendedoras” a professora Patrícia Vital de Lima, da Miguel Lula de Farias, em Santa Cruz, foi classificada em 1º lugar na categoria Ensino Fundamental – Anos Iniciais. Na categoria Ensino Médio o grande vencedor foi o professor do Centro Avançado de Ensino, Paulo Victor Alves de Souza, com o projeto “1° Encontro Virtual de Educação Empreendedora: Empreendendo Para a Solidariedade”.

    Na categoria Educação Profissional Técnica de Nível Médio o 1º lugar ficou com o professor Cesimar Xavier de Souza Dias, do IFRN – Campus Zona Norte de Natal, que inscreveu o projeto “Agência Web Escolar”. O segundo lugar na mesma categoria ficou com o professor do IFRN Campus Macau, André Freire Mastrorocco, com o projeto “Empreendedorismo Social e Negócios de Impacto”.

    Na categoria Ensino Superior o primeiro lugar foi conquistado pela professora da UERN, Campus Mossoró, Ana Augusta da Silva Campos, com o projeto “Sensibilização para o Empreendedorismo Inovador” e em segundo lugar ficou a professora Francisca Noeme Moreira de Araújo, da Universidade Potiguar, UnP Campus Mossoró, com o projeto “Programa de Desenvolvimento de Pequenos Negócios – PDPN”.

    O diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto, lembrou que a educação empreendedora é uma prioridade do Sistema Sebrae em todo o Brasil e, especificamente no Rio Grande do Norte. “Nós consideramos a educação empreendedora muito importante para a formação das novas gerações. É um grande desafio tornar a educação empreendedora acessível para todos, sobretudo pelo meio digital, através de aplicativo e sistemas que gerem soluções para o setor produtivo e a sociedade em geral”, afirma Melo.

    A criação de um prêmio que reconhece e valoriza projetos de empreendedorismo criados no ambiente escolar é, segundo o professor Guilherme Guerra, essencial para extrapolar o ecossistema da área do ensino, beneficiando todo o setor produtivo e econômico do estado.  Para enfatizar a importância do ensino público ou particular, o professor citou um educador que disse que “Educação não é prioridade. Educação é premissa e tem que vir antes de tudo”.

    Contemplado com um dos troféus do Prêmio Educação Empreendedora, o professor do IFRN/Campus Macau, André Mastrorocco, afirma que a premiação é de fundamental importância para o fortalecimento da cultura empreendedora dentro da região da Costa Branca potiguar, mais especificamente no campus Macau do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN).

    “Este prêmio marca a história do nosso Campus, como uma unidade que aposta na educação empreendedora como força motriz para o desenvolvimento regional. Toda a nossa equipe de professores e estudantes recebe esse prêmio com muita alegria e satisfação como uma instituição que sempre acreditou na educação empreendedora”, comemora.

    Foto: Luana Tayze

  • Sobre ,

    Mulheres lideram 35% dos negócios instalados no Rio Grande do Norte

    Nada de sexo frágil. O empreendedorismo feminino no Brasil ganhou força no último trimestre do ano passado. Após recuar para um total de 8,6 milhões de donas do próprio negócio, no segundo trimestre de 2020, o número de mulheres à frente de um negócio no país fechou o quarto trimestre de 2021 em 10,1 milhões (mesmo resultado alcançado no último trimestre de 2019). No Rio Grande do Norte, 35% dos negócios são comandados por mulheres. Isso é o que revela um estudo do Sebrae elaborado a partir da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua do IBGE (PNADC).

    O levantamento mostra que a participação feminina entre os donos de negócios empregadores também continua abaixo do período pré-crise. No final de 2019, havia 1,3 milhão de donas de empresas que contratavam empregados (o que representava 13,6% do total das Donas de Negócio). Já no final do ano passado, esse número havia recuado para 1,1 milhão (11,4% do universo).

    O estudo traça um perfil das empreendedoras potiguares e mostra que o gênero feminino ainda acumula jornada de trabalho associada a afazeres domésticos. Segundo a pesquisa, 89% das donas de empresas do Rio Grande do Norte atuam por conta própria e 46% delas são chefes de domicílio.

    Um dado alentador apresentado no levantamento do Sebrae é que o número de mulheres com pelo menos o nível médio continua maior que o dos homens, e essa diferença cresceu entre o último trimestre de 2019 e o mesmo período de 2021. No estado, 21% das empreendedoras têm nível superior em termos de escolaridade. Porém, 61% delas só ganham até um salário mínimo. Em relação à cor, 56% das empresárias potiguares são negras e o mesmo percentual trabalha menos de 40 horas por semana. 54% dessas mulheres possuem negócios no setor de serviços.

    Três irmãs empreendedoras

    Esse é o caso da enfermeira Patrícia Fernandes Meireles, que juntamente com duas irmãs Priscila e Poliana, decidiu abrir um empreendimento nesse setor: a Aprimore SisEdu, uma empresa de capacitação e aprimoramento para profissionais da área da saúde (enfermeiros, odontólogos e psicólogos) no contexto das urgências e emergências. “A ideia surgiu da vontade que tínhamos de ter uma empresa em que as três atuassem em suas áreas. Assim, montamos a Aprimore em 2018”, conta Patrícia.

    Uma realidade muito comum entre mulheres que estão à frente de empresas, as três irmãs empreendedoras precisam cuidar do negócio e ter outras atribuições. “São muitos pequenos desafios cotidianos diários. O maior deles é conciliar tudo! Sem dúvidas! Conseguir encontrar aquele ponto de equilíbrio entre as demandas da empresa, os plantões, a necessidade de estudar e se qualificar. Quando você é dona do negócio, o negócio só vai andar se você andar com ele. Só tem você pra fazer acontecer, tanto na sala de aula, como no backstage, nas redes sociais e tudo mais. Enquanto pessoa, é preciso estabelecer um ponto de equilíbrio”, relata a empresária sobre os desafios da três.

    Poder empregatício

    O estudo do Sebrae, a partir dos dados do IBGE, também abordou o poder de geração das empresárias potiguares. Pelo levantamento, 11% das donas de negócios no Rio Grande do Norte possuem funcionários. Um exemplo disso vem das irmãs Marliete de Sousa e Marliene Moura de Sousa, que, há 14 anos, decidiram aproveitar a experiência de Marliene como florista e resolveram montar um pequeno negócio. Foi assim que surgiu a Floricultura Flor & Art em Natal, que atualmente funciona numa galeria de lojas de um hipermercado da capital. Ao longo dos anos, as empreendedoras buscaram inovar e diversificaram a oferta de produtos, incluindo presentes para todas as datas comemorativas.

    Em 2010 as sócias abriram uma filial em Natal, chegando a empregar oito funcionárias, mas tiveram que fechar após três anos de funcionamento. Decidiram então, investir numa única loja e atualmente empregam quatro funcionárias. Marliete de Sousa, que antes de se tornar sócia da irmã foi atendente de farmácia, se sentiu desafiada desde o início, sobretudo pela nova área na qual estava ingressando.

    “O nosso maior desafio atualmente é honrar com os compromissos tributários”, afirma Marliene. Contudo, ela considera que o empreendedorismo é uma característica muito marcante das mulheres da sua família. “É muito gratificante ser empreendedora, realizar sonhos e encantar a vida das pessoas todos os dias”, regozija-se a florista, que dedica todo o seu talento e amor à arte floral. 

  • Sobre

    Sebrae e Liga Contra o Câncer firmam parceria na área de inovação

    Um termo de parceria entre o Sebrae no Rio Grande do Norte e a Liga Norte-rio-grandense Contra o Câncer, assinado nessa sexta-feira (4) na sede da instituição de apoio às micro e pequenas empresas, vai fortalecer o desenvolvimento do ecossistema de inovação na área da saúde do estado. Startups e empresas beneficiadas terão à sua disposição, além do apoio no aspecto da gestão empresarial e seus modelos de negócios oferecido pelo Sebrae-RN, todo o know-how e infraestrutura da Liga, que servirá para dar validação no campo prático, assim como orientação médica e de mentoria. 

    Os dirigentes do Instituto de Ensino, Pesquisa e Inovação (IEPI) da Liga Contra o Câncer, médicos Edilmar de Moura Santos, Maciel de Oliveira Matias, Francisco Irochima e a gerente geral de Ensino, Pesquisa e Inovação, Amália Rego, estiveram reunidos com os diretores do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto (Superintendente), João Hélio Cavalcanti (Técnico) e Marcelo Toscano (de Operações) para formalizar a parceria inédita visando apoiar o desenvolvimento de empresas e startups de base científica e tecnológica no Rio Grande do Norte. 

    Na avaliação do diretor do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto, o estabelecimento de uma parceria com uma instituição de enorme reputação, como a Liga Contra o Câncer, é um passo decisivo rumo ao avanço de tecnologias e soluções inovadores para a área da saúde no estado. “Temos a certeza de que essa parceria terá pleno êxito. É uma honra para o Sebrae se associar a uma instituição que tem um trabalho relevante, sério e respeitado por toda a sociedade. O apoio às startups e empresas de base tecnológica certamente trará enorme resultado para o ecossistema de inovação do setor de saúde do nosso estado”, enfatiza Melo.

    Segundo o Gerente de Inovação da Liga Contra o Câncer no RN, médico Francisco Irochima, entre as prioridades de atuação da parceria estão o suporte e a potencialização das vocações empreendedoras das startups potiguares. “Queremos modificar a genética da inovação no RN, no sentido de capacitar os jovens que querem ser empreendedores na área da saúde, através de uma agenda com workshops e eventos em cidades polos no estado. Nossa região tem destaque na área de saúde, por isso a proposta é unir os conhecimentos e atuações da Liga e do Sebrae para prospectar startups e contribuir com o desenvolvimento do setor e da região”, afirma Irochima. 

    A expectativa da Liga é aperfeiçoar o nível das startups e estimular o desenvolvimento de soluções para os desafios das instituições de saúde do Rio Grande do Norte. “Não podemos mais simplesmente esperar as empresas trazerem soluções prontas. Precisamos estimular nossos empreendedores, garimpando os talentos, identificando jovens com perfil inovador e atraí-los”, defende o médico. 

    Dentre os benefícios proporcionados pela parceria aos empreendedores, destaca-se todo o suporte estratégico que a empresa receberá das instituições. “Visualizamos essa parceria como uma possibilidade para se criar um caminho para que novos empreendimentos na área da saúde tenham um farol para se direcionar. Com toda a expertise da Liga e do Sebrae, a empresa terá, desde seu nascedouro, uma maior chance de sucesso mercadológico”, garante Irochima. 

    Negócios na saúde

    O diretor de Inovação afirma também que o fato de a Liga Contra o Câncer possuir seis unidades e receber pacientes de todo o estado, já posiciona a instituição como uma potencializadora de ideias e projetos inovadores voltados para saúde pública. Na avaliação de Irochima a associação da Liga com o Sebrae une duas grandes potências de desenvolvimento do Rio Grande do Norte: uma especialista em fomento ao empreendedorismo e apoio às micro e pequenas empresas e a outra, um dos maiores centros de referência no tratamento de câncer do Nordeste para a saúde pública. 

    A ideia da parceria surgiu no I Fórum Conexão Startup, promovido pela Liga Contra o Câncer com a Unimed Natal em 2019, que buscou ideias e soluções inovadoras para os desafios dos negócios na saúde. “No evento, sentimos necessidade de aprimorar o nível das startups no estado e uma das possibilidades era através de uma parceria com o Sebrae. Impulsionados pela pandemia, criamos uma agenda com o Sebrae para 2022”, declara Francisco Irochima. 

    Durante o evento foi aprovada a parceria com a empresa NuT – Núcleo de Tecnologia, que desenvolveu uma Plataforma de Assistência Remota (PAR) que permite monitorar os pacientes das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), diminuindo o contágio de doenças e agilizando o atendimento e os processos. A PAR está em utilização desde meados de 2020 na Policlínica (POL), unidade III da Liga.  A tecnologia oferece, em tempo real e por acesso remoto, todos os sinais vitais do paciente monitorado, com a opção de configuração dos limites de segurança e com alerta de notificações. O médico tem acesso a essas informações onde quer que esteja, não mais apenas pelo monitor posicionado ao lado do leito do paciente. 

  • Sobre

    Programa que impulsiona negócios de impacto socioambiental está com inscrições abertas até o dia 28

    O Sebrae no Rio Grande do Norte está com edital aberto para o IV Programa de Aceleração do Sebraelab, voltado para empresas de base tecnológica com soluções inovadora na área socioambiental com impacto positivo na sociedade ou no meio ambiente. Além de um subsídio de 70% nos custos das capacitações e mentorias oferecidas pelo programa, aos projetos selecionados receberão um aporte financeiro que totaliza R$ 225 mil a serem investidos no negócio. O edital está disponível no site digital.rn.sebrae.com.br/. As inscrições vão até o dia 28 deste mês.

    Podem concorrer empresas, cooperativas, startups ou demais entidades da sociedade civil organizada que aliam empreendedorismo, tecnologia e responsabilidade socioambiental ao formatar produtos ou serviços inovadores como solução para problemas das comunidades ou do meio ambiente. “Para participar, as empresas precisam já estar em no mercado, comercializando esses produtos e serviços. O programa está dividido em duas etapas, sendo a primeira a de premiação e a outra, uma jornada de capacitação de seis meses, com consultorias, mentorias, rodadas de negócios, entre outras”, explica a gestora do Projeto de Negócios de Impacto Socioambiental do Sebrae-RN, Mona Paula Nóbrega.

    Serão selecionados 15 projetos e, cada um receberá R$ 15 mil como prêmio, além de garantir vaga na maratona de capacitações, orientações e mentorias ofertadas no Sebraelab. Esta edição será voltada exclusivamente para negócios inovadores, de base tecnológica ou digital, que promovam melhorias nas vidas das pessoas e na preservação do meio ambiente. As áreas de atuação das iniciativas sociais devem estar alinhadas à Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) ou aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

    O programa tem dois grandes diferenciais. Primeiro, o aporte de recursos como capital semente para que possam alavancar ou se inserir na base tecnológica ou digital, escalando esses negócios em um curto período de tempo. O outro é a conexão com os ecossistemas de inovação e de impacto do Rio Grande do Norte e do Brasil”, diz Mona Nóbrega. Os projetos deverão ser executados prioritariamente no Rio Grande do Norte em um tempo máximo de seis meses. As inscrições vão até o dia 28 e o resultado final será divulgado no dia 18 de março. Confira o edital no link https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/UFs/RN/Anexos/EDITAL_01_2022_PROGRAMA_DE_ACELERACAO_SEBRAELAB.pdf

  • Sobre

    Plataforma ‘Aprenda’ auxilia pequenos negócios a melhorar gestão financeira

    A área financeira ainda é um dos principais pontos de fragilidades da gestão de pequenos negócios, ainda mais com os impactos resultantes da pandemia. Informação e conhecimento podem ser o caminho para virar a chave e colocar as contas no azul. Dentro dessa estratégia, os empreendedores contam com ferramentas gratuitas como o Aprenda (www.aprendaserasasebrae.com.br), uma plataforma online, desenvolvida pelo Sebrae e Serasa Experian que disponibiliza gratuitamente diversos conteúdos sobre gestão financeira, acesso a crédito, cobrança, entre outros temas. A ferramenta serve de auxílio para empresas que entraram no vermelho e buscam reverter a situação.

    A solução não foi criada à toa. Somente no Rio Grande do Norte, mais de 38% dos Microempreendedores Individuais (MEI), a maior fatia das pequenas empresas formais do estado, encontravam-se, por exemplo, em situação de inadimplência fiscal até novembro do ano passado, segundo a Receita Federal, sem considerar o endividamento com fornecedores ou sistema financeiro. Isso representa um universo superior a 61,5 mil empreendimentos. E uma das saídas para esse quadro é aprender a lidar melhor com os controles e custos do empreendimento.

    Essa é a avaliação da analista técnica do Sebrae no Rio Grande do Norte, Ruth Suzana Maia, que vê nesse início de ano uma oportunidade para organizar as finanças para o restante do ano. “Informação e conhecimento ainda é o caminho. A ferramenta serve de auxílio para todas as empresas, sobretudo as que entraram no vermelho e buscam reverter a condição. Tem bastante conteúdo que pode auxiliar na gestão e reorganização financeira. A plataforma oferece acesso a dicas, cursos e conteúdos de fácil aplicação no negócio de forma gratuita. Isso pode favorecer a profissionalizar e ampliar os resultado da empresa, recomenda.

    Segundo dados da Serasa Experian, a abertura de empresas bateu recorde no primeiro semestre deste ano, registrando um crescimento de 31,2% com relação ao mesmo período do ano passado. O estudo também mostrou que a cada dois segundos surgiu um Microempreendedor Individual (MEI) no Brasil, ao longo dos seis primeiros meses de 2021.

    Apesar dos desafios impostos, muitos empreendimentos de menor porte conseguiram se reinventar e reafirmar ainda mais a importância do segmento para o desenvolvimento da economia. Porém, nesses dois últimos anos, o planejamento financeiro foi um dos maiores obstáculos enfrentados pelos donos de pequenos negócios. A dificuldade para gerir o fluxo de caixa acabou levando muitos empreendedores à inadimplência.

    Por isso, a plataforma visa facilitar para que os empreendedores tenham mais acesso a conhecimento com informações de confiança e qualidade, especialmente sobre finanças e crédito, que são hoje um dos principais entraves vividos por donos de empresas de pequeno porte.

    O Aprenda permite o aprimoramento da gestão do negócio, ensejando a adoção de práticas inovadoras na empresa, que são essenciais para o crescimento do negócio. Isso porque disponibiliza conteúdos e soluções em cinco grandes eixos temáticos: Gestão Financeira, Acesso a Crédito, Marketing e Vendas, Prevenção a Fraudes, além de Renegociação de Dívidas. A proposta dessa parceria entre Sebrae e Serasa Experian tem sido levar informação de modo rápido e fácil a todos os empreendedores e contribuir com o amadurecimento dos negócios.

Carregar...
Congratulations. You've reached the end of the internet.