Últimas histórias

  • Sobre , , ,

    Pianista potiguar vence categoria principal do Concurso Edna Bassetti Habith

    A etapa final de um dos concursos de piano mais tradicionais do país conheceu seus vencedores no último final de semana em Curitiba. A competição reuniu 39 jovens pianistas de doze estados brasileiros. O processo de seleção da 14ª edição do Concurso de Piano Professora Edna Bassetti Habith contou com a participação de mais de sessenta estudantes do Brasil e de países da América Latina. Sob a avaliação dos jurados Roberto Domingos, Danieli Longo e Jeferson Ulbrich, candidatos divididos nas categorias 07 a 10 anos, 11 a 14 anos, 15 a 18 anos e 19 a 27 anos se apresentaram na Capela Santa Maria.

    Na categoria principal, de 19 a 27 anos, o vencedor foi Mateus Naamã Bezerra Duarte, 19 anos. Em sua audição, o potiguar de Parnamirim tocou obras de Johann Sebastian Bach, Wolfgang Amadeus Mozart, Frédéric Chopin e do compositor brasileiro, homenageado nesta edição, Edino Krieger. Além do prêmio em dinheiro no valor de R$4 mil, Mateus Naamã Bezerra Duarte ganhou uma bolsa de estudos na Universidade de Música de Karlsruhe, na Alemanha.

    Na categoria 07 a 10 o vencedor foi Bento Camelo Lima Barros, de Maceió (AL), na faixa de 11 a 14 anos o primeiro lugar ficou com o curitibano Inácio Wildt e Patrícia Naomi Prestes Yamazaki, de Porto Velho (RO) venceu a categoria de 15 a 18 anos. Confira abaixo a relação completa dos premiados na 14ª edição do Concurso de Piano Professora Edna Bassetti Habith.

    Sobre Edna Bassetti Habith (1948-2002) – Foi professora de piano e órgão, durante 28 anos, na Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP), dedicando seu talento à missão de ensinar. Natural de Curitiba, era filha do casal Waldemiro-Almelinda Bassetti. Estudou no Colégio Nossa Senhora de Lourdes (Cajuru) onde concluiu o curso de Normalista em 1967. Em paralelo, recebeu as primeiras lições de piano com a Professora Glacy Gotardello e ingressou no curso fundamental da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (1959), concluindo o mesmo como aluna da classe da professora Ingrid Seraphim. 

    Realização, apoios e patrocínio – Com apoio do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC),  Habith-se, escolas de música Duettom e Paideia, Embap, Unespar e Hotéis Mabu, o concurso é uma realização da Unicultura e Trento Edições. O projeto foi viabilizado pelo Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba e da Prefeitura Municipal de Curitiba com patrocínio da Unimed Curitiba, Instituto Unimed Curitiba, Unimed Laboratório, Timber e Rodoparana.

    Pianistas premiados na 14ª edição do Concurso de Piano Professora Edna Bassetti Habith

    Categoria 7 a 10 anos

    1° lugar: Bento Camelo Lima Barros

    2° lugar: Joaquim Eleoterio Buschinelli

    3° lugar: Gustavo G. D. Zamboni

    Menção Honrosa: Gustavo Moniz Gerniski Madruga

    Melhor intérprete de obra de Compositor Homenageado, Edino Krieger: Bento Camelo Lima Barros

    Categoria 11 a 14 anos

    1° lugar: Inácio Wildt

    2° lugar: Gabriel de Faria Beck

    3° lugar: Mateus Schlickmann Philippi

    Menção Honrosa: Lucas Dias Canha

    Prêmio Revelação: Gabriel Motta Dabrowa Kostecki Nunes

    Melhor intérprete de obra de Compositor Homenageado, Edino Krieger: Inácio Wildt

    Prêmio Leilah Paiva – Melhor intérprete de música brasileira: Gabriel de Faria Beck

    Categoria 15 a 18 anos

    1° lugar: Patrícia Naomi Prestes Yamazaki

    2° lugar: Paulo Arnaldo Colturato Duarte

    3° lugar: Arthur Dante

    Menção Honrosa: Mauricio Sebastián Otárola Tasaico Adrianzén

    Prêmio Revelação: Gregório Espíndola da Silva

    Prêmio Leilah Paiva – Melhor intérprete de música brasileira: Lorenzo Rambo dos Santos

    Melhor intérprete de Bach: Théo Siqueira de Proença Singh

    Melhor intérprete de obra de Compositor Homenageado, Edino Krieger: Patrícia Naomi Prestes Yamazaki

    Categoria 19 a 27 anos

    1° lugar: Mateus Naamã Bezerra Duarte

    2° lugar: Mateus Restani Furtado

    3° lugar: Giovanna Beatriz Sanches Costa

    Menção Honrosa: Daniel Fernandes Carvalho Rocha e Diogo Nunes Ferreira

    Prêmio Leilah Paiva – Melhor intérprete de música brasileira: Jennifer Alexandra Gomes Rodrigues Pereira

    Melhor intérprete de obra de Compositor Homenageado, Edino Krieger: Mateus Naamã Bezerra Duarte

    Melhor intérprete de Sonata Clássica: Mateus Naamã Bezerra Duarte

  • Sobre , , , , ,

    Musical “O Admirável Sertão de Zé Ramalho” chega a Natal dias 18 e 19 de junho

    Com mais de 40 anos dedicados à composição, poesia e música, o artista paraibano Zé Ramalho terá sua extensa obra cantada e contada na mais nova produção idealizada por Eduardo Barata“O Admirável Sertão de Zé Ramalho”, que estará em cartaz nos dias 18 e 19 de junho, no Teatro Alberto Maranhão. As apresentações encerram a turnê que percorreu desde abril sete capitais do Norte e Nordeste. O musical, que tem patrocínio da Petrobras através do Programa Petrobras Cultural, festeja o cancioneiro do cantor e compositor, a literatura e os lugares retratados em sua trajetória. Eles ganham vida no palco através da dramaturgia de Pedro Kosovski e a direção de Marco André Nunes, mas não de forma tradicional e biográfica.

    Nele, Zé, o personagem, existe somente nos números musicais, criando algo totalmente inédito. O elenco é diverso, possibilitando, desta forma, a abordagem de vários pontos de vista, contando muitas histórias dentro de uma só. “O espetáculo é uma homenagem a um grande brasileiro que levou para o mundo a força artística do Nordeste, com qualidade em sua realização e enorme potência criativa. Com argumento simples, mas poético e reflexivo, assim como a música de Zé Ramalho, o texto apresentará personagens de referência na obra do homenageado – os retirantes, a seca, o vilão, os palhaços, etc.”, conta o produtor e idealizador do projeto, Eduardo Barata.

    Adriana LessaCeiça MorenoCesar Werneck, Diego Zangado, Duda BarataMarcello Melo,  MuatoNizaj e Tiago Herz compõem o elenco do musical que se divide em 5 módulos: “Brejo da Cruz”, que apresenta as origens do artista; “Campina Grande”, sobre a cidade onde começou o interesse de Zé pela música; “João Pessoa” retrata momento lisérgico da vida do músico, quando ele começou realmente a compor; “Rio de Janeiro” apresenta a batalha por um lugar ao sol, passando pela fome até a prostituição, e “Popstar” representa o sucesso e a consagração do autor de clássicos como “Admirável Gado Novo”, “Garoto de Aluguel”, “Pedra do Ingá” e “Chão de Giz”, entre outros.

    As próprias músicas revelam momentos da vida desse grande artista. Tudo carregado de simbolismo e metáforas, com uma estrutura de texto que complementa as letras do compositor. É uma oportunidade para entrar nas imagens que as canções evocam em cenas que apresentam recortes da trajetória de Zé Ramalho: desde a infância, até ele se tornar conhecido nacionalmente com o lançamento de ‘Admirável Gado Novo’. Tanto quem conhece quanto quem não conhece muito o músico vai poder observar as canções e ser tocado pelas experiências que ele viveu.

    Paraibano de Brejo do Cruz, Zé Ramalho se embrenhou na fonte da literatura de Cordel, do blues, do rock e do melhor do violão nordestino. Também é conhecido por sua contemporaneidade, produzindo poesia dentro da tradição musical nordestina, além de emoções e sentimentos universais na sua obra. Suas composições são tão abrangentes quanto o seu legado de influência sobre músicos e poetas.

    Apelidado de Bob Dylan do sertão, o poeta, cantor, instrumentista e compositor Zé Ramalho foi influenciado pela Jovem Guarda. Misturou o estilo de Roberto e Erasmo Carlos, com a musicalidade do sertão, tendo como referência Pink Floyd, Beatles, Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga, entre outros. Uma miscelânea de ritmos, sons, palavras e sensações, sem nenhum tipo de ranço vanguardista e ao mesmo tempo utilizando a tradição nordestina para construir e adaptar suas canções. Do amor ao esotérico, com toque de crítica. Do xote ao rock, sem ter medo da mais romântica balada. Este é Zé Ramalho. Da Paraíba, do mundo, da música. Sua obra se renova sem eliminar nada do que foi usado antes.

    Ficha técnica

    Texto: Pedro Kosovski

    Direção: Marco André Nunes

    Idealização e produção artística: Eduardo Barata

    Produção local: Jorge Elali Produções

    Produção Nacional: Barata Produções

    Elenco:

    Adriana Lessa

    Ceiça Moreno

    Cesar Werneck

    Tiago Herz

    Diego Zangado

    Duda Barata

    Marcello Melo

    Muato

    Nizaj

    Patrocínio: Petrobras, realização da Lei de incentivo à Cultura, Ministério da Cultura e Governo Federal – União e Reconstrução.

    SERVIÇO:

    “O Admirável Sertão de Zé Ramalho”

    Dias 18 e 19 de junho, terça e quarta-feira, às 20h, no Teatro Alberto Maranhão 

    Vendas: https://www.megabilheteria.com/ 

    Valor: A partir de R$ 30,00 (meia) e R$ 60,00 (inteira).

    Duração: 01h50min

    Classificação: 12 anos

    Produção local: Jorge Elali Produções

  • Sobre , ,

    Final do Festival do Industriário 2024 surpreende, lota Teatro e encanta público

    A noite de quinta-feira, 30 de maio, ficará marcada na memória de quem participou da Final do Festival do Industriário 2024 – SESI Entoando Canções no Teatro Riachuelo. O evento gratuito, com ingressos esgotados, reuniu um grande público, formado por torcidas organizadas, familiares, parentes, amigos, funcionários da indústria potiguar e público em geral. A ação desenvolvida pelo SESI/RN junto com a FIERN, direcionada aos trabalhadores da indústria do Rio Grande do Norte com foco na descoberta de novos talentos musicais, cumpriu seu papel com muito êxito já na sua primeira edição.

    A grande noite teve início com a apresentação da cantora Khrystal e a Orquestra SESI Big Band. Em seguida, sob o comando do Maestro Eugênio Graça, a orquestra se apresentou junto aos 12 finalistas da competição. Logo após, o Festival apresentou os seis finalistas da categoria Interpretação, com performances marcantes e animadas. Para um ‘respiro’ entre os candidatos e diminuir o nervosismo, mais uma pitada de boa música, dessa vez com a jovem cantora, Bia Gurgel pela primeira vez no palco do Teatro Riachuelo. A apresentação da categoria Autoral veio logo depois com os seis finalistas. Encerrando os shows dessa categoria, antes do anúncio dos vencedores, o público conferiu uma apresentação do cantor potiguar Alan Persa. 

    Passava das 22h30, quando a ansiedade tomava conta do público no final e antes do anúncio dos vencedores, foi anunciada a Melhor Torcida: a do candidato Thalis Richard, da empresa Massas Suprema, de Santa Cruz. As empresas Grupo Queiroz, Bonor Indústria Botões Nordeste e Guararapes Confecções, receberam premiação por maior número de inscritos, nas categorias pequeno, médio e grande porte, respectivamente. O segundo prêmio da noite, no voto popular, foi da candidata Maju Freitas, que recebeu um Violão Elétrico. 

    Os grandes vencedores do Festival do Industriário 2024 – SESI Entoando Canções foram: 3º Lugar, na categoria Interpretação, Ednardo Santos, e na categoria Autoral Ramon Real. O 2º lugar, na categoria Interpretação, Maju Freitas. Na categoria Autoral, Anderson Roberto. E, finalmente, o tão esperado 1º Lugar, na categoria Interpretação foi para Vê Barreto, da Vipetro (Alto do Rodrigues) e na Autoral, Val Souto, da Vicunha Jeans Identity (Ceará-Mirim).

    Para Vê Barreto, o sentimento é de gratidão. “Gratificante demais pelas conexões que fizemos, pela experiência, pelo aprendizado. Gratidão a todos que torceram por mim e agora é correr atrás das portas que vão se abrir”, garante a vencedora. 

    O vencedor da categoria autoral, Val Souto, revelou que só participou do festival pela insistência de familiares e amigos. “Fiz a inscrição nos 45 minutos do segundo tempo. Meu sentimento é de persistência e nunca desistir. Não esperava essa vitória. Uma grande emoção. A ficha ainda não caiu. Gratidão é a palavra”, revelou. 

    O Festival caiu no gosto do público. Maria Goretti Santana estava na plateia para torcer por um amigo candidato e revelou. “Achei o festival lindo e uma iniciativa brilhante para dar vez e voz a esses talentos do nosso estado que trabalham duro e que são merecedores”, relatou Maria.

    Para Juliano Martins, superintendente do SESI-RN, foi uma ação de grandes descobertas. “Formamos um público importante, em todas as seletivas e na grande final aqui no Teatro Riachuelo. Tivemos a participação de várias pérolas que foram descobertas. Surpreendeu o público no modo geral, tanto na interpretação como na autoral. Para o Sistema FIERN, foi uma noite importante, que valorizou a cultura do nosso Estado. Tenho certeza que as próximas edições irão tornar o nosso desafio muito maior, de tentar superar essa primeira edição. Mas será um desafio bom para a gente. Parabéns a todos os que participaram, os vencedores e, inclusive, os que não chegaram até a final, mas que são também grandes vencedores”.

    De acordo com o presidente da FIERN, Roberto Serquiz, o objetivo do Festival se junta a vários projetos da Federação e de trazer a indústria, o industriário, a sociedade, para mais próximo. “O nosso sentimento é de que, através de um projeto como esse, não só aproximamos, como geramos uma quantidade enorme de boas experiências para as pessoas. É impressionante o depoimento, não só desses participantes da final, mas de todos aqueles que estavam lá, adormecidos, no cotidiano na indústria, e que tiveram a oportunidade de expor o seu talento”, comenta Roberto.

    “Temos aqui os vencedores da final, mas todos são vencedores. A cada edição, eu ia no camarim e falava isso para eles: vocês são vencedores, porque foram quase 200 inscritos e no final, restaram 32. São todos campeões! Então o sentimento é de que, através de um projeto desses, a gente pode ir muito mais além do que o objetivo inicial. Podemos avançar cada vez mais no âmbito cultural, mas também da saúde, segurança, educação. Em todas as frentes do SESI”, acrescentou Roberto Serquiz.  

    As performances dos finalistas foram avaliadas pelo time de jurados formado pelo diretor artístico e maestro titular da Orquestra Sinfônica de Parnamirim (OSP) e da SESI Big Band (SBB), Eugênio Graça; o maestro e diretor artístico da Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte – OSRN, Linus Lerner; a maestrina, pianista e diretora musical, Maria Clara; o cantor e compositor potiguar, Sueldo Soares e, pelo maestro e diretor musical do Canto Paramirins, Paulo Ritzel

    A premiação nas categorias Autoral e Interpretação, incluiu: 1º lugar de cada categoria – R$ 7 mil, 01 vídeoclipe e troféu; 2º lugar de cada categoria – R$ 5 mil, 01 demo em áudio e troféu; 3º lugar de cada categoria – R$ 3 mil, 01 demo em áudio e troféu. 

    Sobre o Festival

    O Festival nasceu com o objetivo de celebrar o Dia da Indústria (comemorado no dia 25 de maio), estimular a criação artística musical dos industriários, descobrir novos talentos, fomentar e difundir a produção musical do estado, é realizado pelo SESI com co-realização da FIERN. Uma ação que fortalece o SESI como protagonista no incentivo cultural do Rio Grande do Norte.

  • Sobre , , , , ,

    Dia do Brega será comemorado na AABB Natal em grande estilo próximo dia 1º

    Para comemorar o Dia Estadual do Brega, será realizado no próximo dia 1º, o Potiguar Brega Day, às 20h30, na AABB Natal. O evento trará grandes nomes e sucessos do brega e ainda conta com um tributo ao saudoso cantor Carlos Alexandre. Participam do Potiguar Brega Day, os cantores: Ary Maia, Carlos Alexandre Jr, Fernando Luiz, Messias Paraguai, Roberto Cantor, Banda Flor de Liz e Robson Miragem.

    Sucessos como “Feiticeira”, “A Ciganinha”, “Arma de Vingança” e “Timidez” estão dentro do repertório.

    Dia 1º de junho é comemorado o Dia Estadual do Brega, data instituída no calendário oficial do Rio Grande do Norte em 2023, é uma homenagem ao aniversário do cantor potiguar Carlos Alexandre, autor do sucesso “Feiticeira”.

    A festa é uma realização da AM Produções. Ingressos e mais informações pelo número (84) 9 9655-5650.

  • Sobre , , , ,

    Terceira edição do Samba de Arruar será neste sábado (25) no Alecrim

    O projeto Sociocultural Samba de Arruar, realizado pela artista potiguar Valéria Oliveira, voltará a alegrar comerciantes, clientes e moradores do bairro Alecrim neste sábado (25), na Praça Gentil Ferreira. Esta é a terceira edição do evento, que deseja circular por bairros da Grande Natal compartilhando o legado de mestres do samba brasileiro, e de compositores e cantores locais.

    A exemplo da roda passada, Valéria Oliveira receberá grandes nomes, como Nega Buluka, cantora e integrante do Batuque de um povo, e intérprete da Escola de Samba Batuque Ancestral. Buluka deu uma “canja” na edição passada, e neste sábado retornará como convidada. Ela ressalta seu desejo pela continuidade do projeto e a valorização do samba local: “O projeto é lindo e veio para ficar, o samba é resistência, é voz poderosa na luta contra a desigualdade e o preconceito”, afirma.

    Além de Buluka, outros convidados estarão presentes na roda de samba, como Marcos Souto, cantor, compositor e cavaquinista, Jôsy Ribeiro, cantora com forte presença no samba, e Rafaela Brito, percussionista, cantora e diretora do Batuque de Mulheres. A formação musical da roda continua com Valéria Oliveira na voz e no cavaco, Kelliney Silva na voz e na percussão, Jubileu Filho no 7 cordas, Cezinha Sampaio no banjo e cavaco, Mirelly Angélica, Deny Nascimento e Ninho Brasil nas percussões.

    Representatividade

    Diversos sambistas já passaram pelo Samba de Arruar em apenas duas edições, o que demonstra uma consciência coletiva e disponibilidade da comunidade em contribuir com o movimento do samba em Natal. Além da disposição desses artistas de se reunirem para cantar em espaços democráticos e simbólicos da cidade. Para a idealizadora da proposta, Valéria Oliveira, projetos como o Samba de Arruar só trazem impactos positivos para a capital potiguar:

    “Gostaria que o Samba de Arruar pudesse ser uma semente plantada para uma maior e contínua ocupação de espaços públicos da nossa cidade com atividades culturais, em especial da Praça Gentil Ferreira. Orientando mais olhares para essa praça que foi palco de grandes manifestações artísticas e até políticas na história da nossa cidade. E também fomentar um maior cuidado com os espaços públicos e com as pessoas que o ocupam diariamente. Penso que uma ação como essa, só pode, ao meu ver, gerar impactos positivos.” comenta.

    A primeira temporada do Samba de Arruar teve início em março, e terá sua quarta e última edição no bairro Alecrim no dia 29 de junho. Realizado por Valéria Oliveira Produções, o projeto tem o patrocínio da Fundação Cultural Capitania das Artes (FUNCARTE), através da Prefeitura do Natal, por meio da emenda impositiva do vereador Professor Robério Paulino.

    SERVIÇO

    Samba de arruar– Roda de samba com Valéria Oliveira e convidados

    Sábado, dia 25 de maio, às 12h, na Praça Gentil Ferreira – Alecrim

    ACESSO GRATUITO

  • Sobre , , ,

    Dani Cruz lança videoclipe “Minha Receita”

    “Minha Receita”, lançada em 2015 em colaboração com José Milton Torres, marcou o início da trajetória autoral de Dani Cruz. Em comemoração aos dez anos de carreira, a cantora relançou a canção com um novo arranjo assinado por Jubileu Filho em novembro de 2023 e agora, em maio, a música ganha videoclipe buscando fortalecer ainda mais os laços da artista com o seu público.

    A produção audiovisual conta a história de Clara e Amanda, um casal enfrentando uma crise. Enquanto preparam um almoço, refletindo a letra da música, a dança de gafieira acompanha as emoções das personagens, destacando as complexidades das relações. Esse lançamento faz parte da celebração da primeira década de carreira de Dani, revivendo um dos seus singles mais queridos.

    “Eu amo essa canção. Ela foi meu primeiro single, uma composição que fiz aos 16 anos com meu parceiro José Milton Torres, que na época tinha 13 anos, e parece já tão amadurecida musicalmente pra pouca idade que tínhamos… É uma lembrança que a chave das inspirações está guardada aqui dentro, é só buscar”, destaca Dani.

    Ao longo da última década, Dani Cruz se destacou na cena musical potiguar, especialmente como defensora do protagonismo feminino. Sua participação em coletivos como o “Mulheres Na Roda de Samba Natal” e o projeto “Samba de Sereia” evidenciam seu compromisso com a valorização das mulheres na música.

    O lançamento do videoclipe de “Minha Receita” é uma celebração não só da carreira da artista, mas também um momento especial para seus fãs, impulsionando novos sonhos ao som do samba. O projeto é uma produção da Caruru Produções, com realização da DC iltda, através de recursos da Prefeitura do Natal, Lei Paulo Gustavo, MINC e Governo Federal.

    SERVIÇO

    Videoclipe Minha Receita

    Lançamento 26 de maio no canal de Dani Cruz no Youtube: https://www.youtube.com/danicruzcanta 

    Ficha técnica

    Direção geral e roteiro: Dani Cruz

    Direção de produção e comunicação: Carol Queiroz

    Direção de fotografia: Mylena Sousa

    Imagens e edição: Mylena Sousa e Taline Freitas

    Fotografia still: Brunno Martins

    Apoio: Matheus Bernardo

    Elenco: Milene Azevedo como Amanda / Lorena Bulhões como Clara

    Identidade visual e artes: Norberto Alves

    Acessibilidade: Por Sinal

    Assessoria de imprensa: Sollar Comunicação

    Agradecimentos: Gorete Souza, Isaias, Gileno Peixoto, Gileude Peixoto

  • Sobre , , ,

    Escola de Criação oferece cursos gratuitos nas áreas da música e do audiovisual

    Escola de Criação não para e acaba de abrir mais dois cursos gratuitos, sendo um na área da música e outro no audiovisual. As vagas são limitadas e as inscrições podem ser realizadas a partir do dia 18 até o dia 25 de maio pelo Sympla https://www.sympla.com.br/casadaribeira 

    Criada pela Casa da Ribeira, a Escola é regida pelo propósito de oferecer aos artistas e não-artistas criadores, um núcleo criativo que garanta o acesso de 50% das vagas para a população negra/parda, pessoas LGBTQIAPN+, estudantes da rede pública de ensino e egressos. Conheça os cursos disponíveis no momento!

    Curso presencial na área da música – “Iniciação à Percussão e Sonorização”

    – Dias 01 e 08 de junho (sábados) – manhã e tarde, das 09h às 12h e das 14h às 18h 

    – Dias 04 e 06 de junho (terça e quinta) – das 19h às 22h

    O curso será ministrado por Alessandro Saraiva e Anderson Galdino no Espaço Cultural Casa da Ribeira. Uma oficina de iniciação musical a fim de desenvolver habilidades rítmicas e melódicas, como também possibilitar percepções de sonorização, frequências e volumes de instrumentos musicais. 

    Curso Presencial e Online na área do audiovisual – “Narrativas afirmativas no Audiovisual” 

    – Aulas Presenciais (na Casa da ribeira) – dias 06 e 13 de julho – das 8h às 17h (1h para almoço)

    – Monitoria Online – dias 09 e 11 de julho – das 19h às 21h (através de uma plataforma de videoconferência)

    Sob orientação de Di Gatti, o curso será conduzido a partir de narrativas autobiográficas e de dinâmicas práticas, nas quais os participantes vão criar vídeos autorais. Uma oportunidade única para quem quer experienciar conceitos elementares do processo de criação em audiovisual e criar trabalhos autorais, fazendo uso da linguagem videográfica como suporte estético e técnico. 

    Vagas, carga horária e público-alvo

    São 25 vagas para cada curso, a carga horária é de 20h por curso e ambos serão realizados no espaço cultural Casa da Ribeira, com foco, preferencialmente, para o público LGBTQ+, pessoas negras, povos originários, moradores de bairros periféricos de Natal e da grande Natal e estudantes de escolas públicas, com idade a partir dos 16 anos. No total, após a realização dos 07 cursos de formação, serão mais de 160 horas para o fomento à criatividade e o desenvolvimento humano através das artes para um grupo diversificado de 130 pessoas, incluindo também, a realização de aulões abertos. 

    A Escola de Criação é uma realização da Casa da Ribeira, Casa +Negra Diversidade e conta com patrocínio da vereadora Brisa Bracchi (emenda parlamentar), da Prefeitura do Natal, da Fundação Nacional de Artes e do Ministério da Cultura – Governo Federal.

    Casa + Negra Diversidade

    Casa + Negra Diversidade é uma nova intenção de ocupação da Casa, que amplia o olhar para a negritude e a comunidade LGBTQIAPN+. A ideia é ocupar o espaço com a diversidade, tornando-o um meio importante para que as pessoas sejam protagonistas das suas histórias, tenham visibilidade e acesso à educação e desenvolvimento humano e artístico. 

    Casa da Ribeira

    Inaugurada dia 06 de março de 2001, a Casa da Ribeira é um espaço independente, de Educação e Cultura, criado no centenário casarão n° 52 da Rua Frei Miguelinho, Ribeira, Natal, RN, Brasil. A Casa já abraçou mais de 280 mil espectadores, abrigou mais 2.700 espetáculos diferentes, desenvolveu mais de 30 projetos, tendo como conceito uma programação inclusiva e diversa com acesso subsidiado para públicos de Natal.

  • Sobre , , , , ,

    Sandro Azevedo apresenta o concerto poético musical “O Jardim Secreto de Stéhpan Dehmía” dia 17 na Escola de Música da UFRN

    Depois de se revelar nas plataformas digitais com o lançamento do EP no último dia 02, agora “O Jardim Secreto de Stéhpan Dehmía” vai poder ser conferido ao vivo e a cores num concerto poético musical na sexta, dia 17 de maio, a partir das 19h30, na Escola de Música da UFRN.

    Cultivado em meio à pandemia da Covid-19, quando a arte foi fundamental para nos manter mentalmente sãos, “O Jardim Secreto de Stéhpan Dehmía” é um projeto do professor Sandro Azevedo que musicou a poesia de Camilo Rosa, Josimey Costa e João Andrade e reuniu um time de craques da música para nos servir delicados arranjos de canções autorais e releituras de alguns clássicos.

    Com direção musical de Zé Fontes, o concerto contará com uma banda formada por Ricardo Baya, Sílvio Franco e Humberto Luiz e a participação de Gilberto Cabral e Airton Guimarães. O Mulherio das Letras Zila Mamede estará presente na voz e poesia de Amélia Freire, Ariadne Mendes, Carla Alves, Daliane Cavalcanti, Iatamyra Rocha Freire, Jèssica de Pádua e Josimey Costa.

    A entrada é gratuita e haverá distribuição de mudas de plantas e árvores do projeto “Arboriza Natal”, coordenado pelo professor Robério Paulino.  Haverá também uma banca para aquisição de livros de poetas locais.

    Quem é Stéhpan Dehmía?

    Stéhpan, hoje jardineiro, já amolou facas com versos, fabricou luas cheias e passou anos tentando separar as cores dos raros arco-íris que brotavam em sua cidade natal. Também passou anos de sua vida cuidando de coisas causas quases. Durante a pandemia do COVID-19, assistiu – com alguma surpresa e incredulidade – poesias e melodias copularem em súbito e júbilo, escondidas em seu modesto jardim.

    Ramos de rock progressivo se entremearam em talos de canções tipo MPB. Sementes de baladas pop cultivadas ao lado de folhas de bossa nova. Uma diversidade de sons e ritmos entrelaçados e tomando conta da pouco movimentada parede do quarto. Livres, as sementes geraram flores insistentes em trocarem de roupa e se assumirem como canções.

    Atiraram-se nas mãos de um Stéhpan, ao mesmo tempo vencido pelo aprisionamento imposto por um vírus invisível e desejoso de voar para os (a)braços e beijos dos amores próximos e distantes. Como uma vara que enverga, mas não quebra, desenhou nas próprias costas um par de asas com canetas que o presenteou um anjo gauche. E a cada quinze dias, saiu por ruas desertas, buquê de flores nas mãos, discretamente deixando na caixa de mensagens de cada um de seus amores, uma de suas flores – agora canções – regadas pelas águas do bem-querer, adubadas com esperanças. Entregues com o nome de “presentinhos”.

    Sobre Sandro Azevedo

    Alessandro Azevedo ou, simplesmente, Sandro Azevedo, lida com música desde os 16 anos, quando concorreu com composições de autoria própria, em festivais de música realizados entre os anos de 1985 e 1987, em Caicó (cidade onde nasceu e se criou). Em 1997, recém aprovado em concurso para professor da UFRN, trabalhando no CERES, em Caicó, criou o Coral Sertão Encanto. 

    Entre 2001 e 2006, integrou, como Tenor, o Madrigal da UFRN, participando de apresentações em Natal e fora do Estado, sob a regência do maestro André Luis Muniz Oliveira, e entre 2011 e 2019, integrou o Grupo Vocal Acorde.

    Durante a pandemia do COVID-19, deu vazão à sua verve autoral, compondo músicas e distribuindo-as, em gravações caseiras, em círculos de amigos e amigas mais próximos, como forma de atenuar os efeitos das incertezas e do distanciamento imposto pelo regime de segurança sanitária. Nascia aí o Projeto “O Jardim Secreto de Stéhpan Dehmía”.

    Ficha Técnica

    DIREÇÃO ARTÍSTICA: Sandro Azevedo

    DIREÇÃO MUSICAL: Zé Fontes

    PRODUÇÃO: Jamilly Mendonça

    MEDIAÇÃO DE IMAGEM E COMUNICAÇÃO: Casa da Flor

    ASSESSORIA DE IMPRENSA: Ana Paula Cadengue

    OPERAÇÃO DE SOM: Alexandre Maiorino, Rodrigo Vieira, Carlos Henrique Oliveira, Marcel ‘Pineoak’ Carvalho, João Pedro Carvalho Dias, Péricles Filgueira, Kádson Breno e Erik Lucas

    OPERAÇÃO DE VÍDEO: Isaías Lucas

    BANDA:

    Sandro Azevedo (vocal)

    Zé Fontes (Baixo)

    Ricardo Baya (Guitarra e violões)

    Humberto Luiz (Teclados)

    Silvio Franco (Bateria)

    CONVIDADOS ESPECIAIS:

    Airton Guimarães (Baixo Acústico)

    Gilberto Cabral (Trombone)

    CORPO DE LEITURA PÚBLICA E CANTO LÍRICO DO MULHERIO DAS LETRAS ZILA MAMEDE

    Amélia Freire

    Ariadne Mendes

    Carla Alves

    Daliane Cavalcanti

    Iatamyra Rocha Freire

    Jèssica de Pádua

    Josimey Costa

    Para ouvir “O Jardim Secreto de Stéhpan Dehmía” nas plataformas digitais:

    https://tratore.ffm.to/ojardsecretodestehpandehmia

    Serviço:

    Concerto Poético Musical “O Jardim Secreto de Stéhpan Dehmía”

    Dia 17 de Maio, às 19h30, na Escola de Música da UFRN

    ENTRADA GRATUITA

  • Sobre , , ,

    Caicó recebe Semifinal de Festival de Música com foco nos trabalhadores da indústria da região

    Chegou a vez dos candidatos do Polo Caicó, do Festival do Industriário 2024 – SESI Entoando Canções, descortinarem seus talentos musicais para o público. No dia 11 de maio, às 20h, a cidade recebe, no Centro Cultural Adjuto Dias, a Semifinal Polo Caicó, desse Festival que vem movimentando o cenário musical e o setor industrial do Rio Grande do Norte. O evento é aberto para todas as idades e os ingressos já podem ser retirados pelo Sympla https://www.sympla.com.br/produtor/sesirncultura   

    Neste dia, o público vai conhecer novas vozes do Estado em apresentações marcantes, competindo nas categorias: Interpretação e Autoral, concorrendo a vagas para a final.  Os candidatos semifinalistas, nas categorias Interpretação e Autoral, receberão os seguintes prêmios: Troféu de Semifinalista, Prêmio em dinheiro no valor de R$ 1 mil e participação de preparação vocal e cênica com especialistas.

    Na ocasião, também será premiada a “Melhor Torcida”, após decisão do júri. A regional Natal, realizou a sua Semifinal no último dia 27 e já tem seus finalistas. No dia 11, é a vez de Caicó e logo depois, regional Mossoró (24 de maio). A final do festival vai acontecer durante um grande evento no Teatro Riachuelo, em Natal, no dia 30 de maio. 

    O Festival, que tem como objetivo celebrar o Dia da Indústria, estimular a criação artística musical dos industriários, descobrir novos talentos, fomentar e difundir a produção musical do estado, é realizado pelo SESI com co-realização da FIERN. 

    Uma ação que fortalece o SESI como protagonista no incentivo cultural do Rio Grande do Norte. “Estamos com uma grande expectativa para as semifinais de Caicó e Mossoró. Os novos talentos da música potiguar vêm surpreendendo. A grande final também está sendo muito aguardada, onde os finalistas de todos os polos se apresentarão em um importante palco, sentindo de perto as vibrações dos familiares, amigos e torcidas organizadas. É isso, o Festival do Industriário foi lançado e veio para ficar, com uma resposta positiva vinda do industriário e do público”, comenta Roberto Serquiz, presidente da FIERN”, comenta Roberto Serquiz, presidente da FIERN.

    Sobre o Festival

    O Festival é destinado a todos os gêneros e estilos da música brasileira, e com foco nos trabalhadores da indústria brasileira (industriários e empresários) e seus descendentes diretos (cônjuges e filhos, a partir de 18 anos de idade). 

    Para mais informações sobre o Festival do Industriário 2024 – SESI Entoando Canções”, siga @sesirn.

  • Sobre , , ,

    Com acesso gratuito, “Baile do DK” acontece neste sábado na Arena das Dunas

    “Baile do Fim do Mundo” é a proposta do DJ potiguar DK para a próxima edição, do já tradicional, “Baile do DK”, que acontece neste sábado (11), na Arena das Dunas.

    Com acesso gratuito (mediante retirada antecipada de ingressos), muita música boa, ferveção, diversidade e aquele estilo que o DK tem de sobra, o Baile promete ser uma das festas mais bombadas da cidade no mês de maio.

    Entre as atrações, além do anfitrião DK, estão Vhoor (MG); MC RB; Leozinho do BA; Alê Du Black; Bonekinha Iraquiana (SP); Pablesco; Baile da Brota convida  Mano Dembele (PE).

    E quem não quiser perder nenhum detalhe e garatir o seu ingresso, segue o @bailedodk no Instagram para acompanhar todas as novidades e receber o alerta do último lote de ingressos gratuitos.

    SERVIÇO

    BDK –  BAILE DO FIM DO MUNDO
    Dia 11 de maio, sábado, na Arena das Dunas.

    Último lote de ingressos gratuitos, dia 08/05,  no site Outgo

  • Sobre , , , ,

    Orquestra Petrobras apresenta Saltimbancos e Legião sinfônico dia 5 em Natal

    Foto: Renato Mangolin

    A Orquestra Petrobras Sinfônica desembarca em Natal no dia 05 de maio, domingo, para duas apresentações marcantes, no Teatro Riachuelo. Abrindo os trabalhos, às 16h, vem o espetáculo “Os Saltimbancos Sinfônico”, que traz canções como “A História de uma Gata”, “Bicharia”, “O Jumento”, “Um Dia de Cão”. À noite, a partir das 20h, os músicos apresentam o concerto “Legião Sinfônico”, com clássicos de uma das bandas de rock mais marcantes do Brasil. No embalo de sucessos como “Tempo perdido”, “Será” e “Pais e filhos”, a noite promete ser de muita animação.

    “Os Saltimbancos Sinfônico” convida todo um público de adultos e crianças a conhecer a diversidade sonora de um concerto. Lançado em formato digital nas plataformas de streaming de música, o álbum da orquestra – que leva o mesmo nome da apresentação – conquistou o prêmio de Melhor Disco Infantil no Prêmio da Música Brasileira em 2017. 

    No showcerto “Legião Sinfônico”, o público vai se emocionar com um repertório que revisita clássicos como “Tempo perdido”, “Será”, “Pais e filhos”, “Eduardo e Mônica”, “Ainda é cedo” e “Que país é este”. Com arranjos inéditos, escritos especialmente para a Orquestra Petrobras Sinfônica, as apresentações, que acontecem em  Fortaleza/CE, Natal/RN e Recife/PE prometem ser a oportunidade ideal para fãs matarem a saudade do grupo que fez sua última apresentação em 1995.

    SERVIÇO

    Saltimbancos Sinfônico

    Data: 05 de maio, domingo, às 16h, no Teatro Riachuelo

    Ingressos: https://uhuu.com/evento/rn/natal/saltimbancos-sinfonico-12613 

    Legião Sinfônico

    Data: 05 de maio, domingo, às 20h, no Teatro Riachuelo

    Ingressos:https://uhuu.com/evento/rn/natal/legiao-sinfonico-12615 

  • Sobre , , , , , ,

    Sandro Azevedo faz brotar seu EP “O Jardim Secreto de Stéhpan Dehmía” dia 2 de maio em todas as plataformas digitais

    Projeto surgido em meio à pandemia da Covid-19, quando a arte foi fundamental para nos manter mentalmente sãos, “O Jardim Secreto de Stéhpan Dehmía” finalmente está pronto para ser desfrutado por inteiro. A partir do dia 2 de maio, o EP do projeto estará disponível nas plataformas digitais.

    No “Jardim Secreto de Stéhpan Dehmía”, Sandro Azevedo reúne um time de craques tanto na música quanto na poesia e serve delicados arranjos de canções autorais e em parceria com a poesia de Camilo Rosa, Josimey Costa e João Andrade.

    Os talentosos Zé Fontes, Ricardo Baya, Bruno Lucas, Jane Eyre Pedro e Humberto Luis comandam os instrumentos com as participações mais que especiais de Sérgio Farias, Airton Guimarães e Gilberto Cabral. Júlio Lima e Ciro Figueiredo também contribuem com o jardim.

    Para pré-salvar o EP clique em:

    https://tratore.ffm.to/ojardsecretodestehpandehmia?fbclid=PAZXh0bgNhZW0CMTEAAaZzXVcfDgzR46r_4N9E2mKYCLWX5_WwKAG2iBqMsnHpVx8nCSEEVjKEHyM_aem_AZVnfVAClCBeWQqznhoCJgzRbPowRQnGMhist0zuZlN4Gv8YuT5TalEpxUMO1WwHEwN-6i8ayH1oG1DVANobOYEl

    Sobre Sandro Azevedo

    Alessandro Azevedo ou, simplesmente, Sandro Azevedo, lida com música desde os 16 anos, quando concorreu com composições de autoria própria, em festivais de música realizados entre os anos de 1985 e 1987, em Caicó (cidade onde nasceu e se criou). Em 1997, recém aprovado em concurso para professor da UFRN, trabalhando no CERES, em Caicó, criou o Coral Sertão Encanto.

    Entre 2001 e 2006, integrou, como Tenor, o Madrigal da UFRN, participando de apresentações em Natal e fora do Estado, sob a regência do maestro André Luis Muniz Oliveira.
    Mais recentemente, entre 2011 e 2019, integrou o Grupo Vocal Acorde.

    Durante a pandemia do COVID-19, deu vazão à sua verve autoral, compondo músicas e distribuindo-as, em gravações caseiras, em círculos de amigos e amigas mais próximos, como forma de atenuar os efeitos das incertezas e do distanciamento imposto pelo regime de segurança sanitária. Nascia aí o Projeto “O Jardim Secreto de Stéhpan Dehmía”. Sua primeira flor-música registrada foi “Leve Vida Breve”, lançada e distribuída nas plataformas digitais em 2023.

    Agora, com o EP, Sandro Azevedo aventura-se em expor mais amplamente a diversidade de influências e estilos cultivados em seu jardim musical.

    FICHA TÉCNIA DO EP

    DIREÇÃO ARTÍSTICA: Sandro Azevedo
    DIREÇÃO MUSICAL: Zé Fontes
    BANDA: Sandro Azevedo (Voz /Violão) Zé Fontes (Baixo) Bruno Lucas (Bateria) Jane Eyre Pedro (Flauta/Saxofone) Humberto Luis (Teclado) Ricardo Baya (Guitarra/Violão)
    MÚSICAS:

    1. Anjo Caído (Sandro Azevedo/Camilo Rosa)
    2. Fantasia (Sandro Azevedo)
    3. Religação (Sandro Azevedo)
    4. Going To Caicó (Sandro Azevedo/João Andrade)
    5. Pessoas (Sandro Azevedo/Camilo Rosa)
      PARTICIPAÇÕES MAIS QUE ESPECIAIS: Sérgio Farias (violão), Airton Guimarães (Baixo Acústico) e Gilberto Cabral (Trombone), em “Fantasia”. Júlio Lima (como o Cigano Andrade João), em “Going To Caicó”. Ciro Figueiredo (duo vocal), em “Pessoas”.
Carregar...
Congratulations. You've reached the end of the internet.