Últimas histórias

  • Sobre , ,

    Mossoró promoverá “Dia D” de vacinação contra a dengue neste sábado (24)

    A Prefeitura de Mossoró realizará neste sábado (24) um “Dia D” de vacinação contra a dengue. Neste momento, a vacina está liberada para o público de 10 a 14 anos de idade.

    A mobilização será realizada das 8h às 16h nos seguintes locais: Unidade Básica de Saúde Maria Soares da Costa (Alto de São Manoel) e Unidade Básica de Saúde Dr. Chico Costa (Santo Antônio). Haverá ainda vacinação disponível no Partage Shopping, das 10h às 18h.

    O “Dia D” é uma estratégia adotada para ampliar a oferta da vacina, facilitando o acesso do público à proteção em dia e horário alternativo. Uma medida importante para o avanço da campanha no município e ainda aumento dos índices de cobertura vacinal.

    Os pais e responsáveis pelas crianças devem apresentar documento que comprove residência no município de Mossoró.

    A vacina contra a dengue é aplicada em duas doses, com intervalo de 3 meses entre a primeira e a segunda.

  • Sobre , , ,

    Vacinação contra a dengue começa em fevereiro em 521 municípios com alta transmissão da doença

    O Ministério da Saúde informou que 521 municípios brasileiros foram selecionados para iniciar a vacinação contra a dengue via Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de fevereiro. As cidades compõem um total de 37 regiões de saúde que, segundo a pasta, são consideradas endêmicas para a doença. A lista completa pode ser acessada aqui.

    As regiões selecionadas atendem a três critérios: são formadas por municípios de grande porte, com mais de 100 mil habitantes; registram alta transmissão de dengue no período 2023-2024; e têm maior predominância do sorotipo DENV-2. Conforme a lista, 16 estados e o Distrito Federal têm cidades que preenchem os requisitos.

    No Rio Grande do Norte, a vacina será aplicada nos municípios de Apodi, Areia Branca, Baraúna, Campo Grande, Caraúbas, Extremoz, Felipe Guerra, Governador Dix-Sept Rosado, Grossos, Janduís, Macaíba, Messias Targino, Mossoró, Natal, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Serra do Mel, Tibau e Upanema.

    A pasta confirmou ainda que serão vacinadas crianças e adolescentes de 10 a 14 anos, faixa etária que concentra maior número de hospitalizações por dengue. Os números mostram que, de janeiro de 2019 a novembro de 2023, o grupo respondeu por 16,4 mil hospitalizações, atrás apenas dos idosos, grupo para o qual a vacina não foi autorizada.

    “A definição de um público-alvo e regiões prioritárias para a imunização foi necessária em razão da capacidade limitada de fornecimento de doses pelo laboratório fabricante da vacina. A primeira remessa com cerca de 757 mil doses chegou ao Brasil no último sábado. O lote faz parte de um total de 1,32 milhão de doses fornecidas pela farmacêutica.”

    “Outra remessa, com mais de 568 mil doses, está com entrega prevista para fevereiro. Além dessas, o Ministério da Saúde adquiriu o quantitativo total disponível pelo fabricante para 2024: 5,2 milhões de doses. De acordo com a empresa, a previsão é que sejam entregues ao longo do ano, até dezembro. Para 2025, a pasta já contratou 9 milhões de doses.” 

    O esquema vacinal será composto por duas doses, com intervalo de três meses entre elas. O Brasil é o primeiro país do mundo a oferecer o imunizante no sistema público. A Qdenga, produzida pelo laboratório Takeda, foi incorporada ao SUS em dezembro do ano passado, após análise da Comissão Nacional de Incorporações de Tecnologias no SUS (Conitec).

    Com informações da Agência Brasil

  • Sobre , ,

    Ministério da Saúde lança calendário digital de vacinação

    O Ministério da Saúde lançou um calendário digital para ajudar a manter o cronograma de vacinação em dia. A ferramenta, disponível para download, permite pesquisar todas as doses atualmente disponíveis no Programa Nacional de Imunizações (PNI), além de oferecer informações sobre doenças preveníveis, público-alvo, faixa etária e, dentro de cada público, os imunizantes recomendados.

    O objetivo da pasta é ampliar as coberturas vacinais em todo o país, priorizando a atualização da caderneta de vacinação de crianças e adolescentes menores de 15 anos.

    No site do calendário digital de vacinação também é possível encontrar painéis de monitoramento da vacinação contra a covid-19 e contra a influenza, além de um vacinômetro, com números atualizados da vacinação no Brasil.

    Atualmente, 48 imunobiológicos são distribuídos anualmente pelo PNI: 31 vacinas, 13 soros e quatro imunoglobulinas (anticorpos). Entre as vacinas, estão as indicadas no Calendário Nacional de Vacinação e também as indicadas para grupos em condições clínicas especiais, como pessoas com HIV ou indivíduos em tratamento de doenças, aplicadas nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais.

    Covid-19

    A partir de 2024, a dose contra a covid-19 passará a fazer parte do PNI. A recomendação do ministério é que estados e municípios priorizem crianças de 6 meses a menores de 5 anos e grupos com maior risco de desenvolver formas graves da doença: idosos; imunocomprometidos; gestantes e puérperas; trabalhadores da saúde; pessoas com comorbidades; indígenas, ribeirinhos e quilombolas; pessoas em instituições de longa permanência e trabalhadores; pessoas com deficiência permanente; pessoas privadas de liberdade; adolescentes e jovens cumprindo medidas socioeducativas; funcionários do sistema de privação de liberdade; e pessoas em situação de rua.

    Profissionais de saúde

    De acordo com o ministério, a página do calendário digital também conta com conteúdo voltado para profissionais de saúde, incluindo publicações técnicas, atividades de microplanejamento e portarias. “Dessa forma, as equipes de saúde terão subsídios para planejar ações e traçar estratégias com o objetivo de melhorar a vacinação da população”, destacou a pasta.

    Agência Brasil

  • Sobre ,

    Natal amplia vacinação contra a Covid-19 com a bivalente Pfizer para o público a partir de 18 anos

    A Secretaria Municipal de Saúde de Natal ampliou nesta terça-feira (25), a vacinação de reforço  contra a Covid -19, com o imunizante Pfizer bivalente para o público a partir de 18 anos de idade.

    Para tomar a vacina de reforço, o usuário precisa ter concluído no mínimo o esquema básico D1 e D2, podendo ser aplicada quatro meses após a última dose. Para todos os reforços, o intervalo  permanece o mesmo de quatro meses da última dose. 

    A vacinação acontece nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 15h. Já os pontos extras do Midway Mall, Via Direta e Partage Norte Shopping, de segunda-feira a sexta-feira, no horário das 13h às 20h e aos sábados, no horário das 15h às 20h. 

    As pessoas que receberem a dose de reforço da vacina bivalente Pfizer terão seu esquema vacinal encerrado. Assim como, os idosos e imunossuprimidos que já receberam a terceira dose de reforço (D5), também terão seus esquemas encerrados após a dose de  reforço com Pfizer bivalente.

    Os públicos já contemplados nas cinco fases que ainda não se vacinaram também podem ser imunizados, que são: idosos a partir de 60 anos; pessoas de Instituições de Longa Permanência (ILPs); Residência Inclusiva (RI); trabalhadores destas instituições; imunossuprimidos a partir de 12 anos; comunidades Ribeirinhas, Quilombolas e indígenas; gestantes, puérperas; trabalhadores da saúde; pessoas com deficiência permanente; população privada de liberdade a partir de 18 anos; funcionários do sistema prisional; e adolescentes cumprindo medidas socioeducativas (menores de 18 anos).

  • Sobre

    Dia D de Vacinação contra Influenza, Covid-19 e Febre Amarela será neste sábado (15)

    Neste sábado (15) a população do Rio Grande do Norte terá a oportunidade de garantir a proteção contra a influenza, covid-19 (imunizante bivalente) e febre amarela. Será o Dia D de Multivacinação, uma iniciativa da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), em parceria com os municípios.

    Para isso, a Sesap reforçou a distribuição dos imunizantes: para influenza foram destinadas 156 mil doses, bivalente, 20.874 mil e febre amarela, 20 mil doses. A meta de cobertura vacinal da influenza e bivalente é de 90% do público-alvo, enquanto a da febre amarela é de 95%. Até o momento foram aplicadas no RN 19.628 doses da vacina contra influenza e 48.523 doses da bivalente desde o início das campanhas. Já em relação à febre amarela, foram aplicadas 141.878 doses em 2023. Os dados são do sistema RN Mais Vacina e DATASUS.

    “É muito importante que a população aproveite a oportunidade do dia “D” e vacine-se. A vacina contra influenza protege o corpo contra complicações da doença, diminui hospitalizações e o risco de morrer. Entre as possíveis complicações da gripe estão pneumonias, otites, sinusites e piora de doenças crônicas. Destacamos que a vacina influenza pode ser administrada na mesma ocasião de outras vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, então quem precisar tomar também a vacina contra a Covid-19 ou febre amarela pode fazê-lo no mesmo dia”, ressaltou a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Laiane Graziela.

    Quem pode se vacinar

    No que diz respeito à imunização contra febre amarela, o público-alvo são pessoas com idade entre 9 meses e 59 anos. Já os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde para a campanha de vacinação contra a influenza são:

    • Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias). Para a população indígena e pessoas com comorbidades, a vacina está indicada para as crianças de 6 meses a menores de 9 anos de idade.
    • Trabalhadores da Saúde dos serviços públicos e privados.
    • Gestantes.
    • Puérperas (todas as mulheres no período até 45 dias após o parto).
    • Professores do ensino básico e superior.
    • Povos indígenas.
    • Idosos com 60 anos ou mais de idade.
    • Profissionais das Forças de Segurança e Salvamento.
    • Profissionais das Forças Armadas.
    • Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independentemente da idade.
    • Pessoas com deficiência permanente.
    • Caminhoneiros.
    • Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário.
    • Trabalhadores portuários.
    • População privada de liberdade e funcionários do sistema de privação de liberdade, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas.

    Os grupos prioritários definidos para a vacinação bivalente são:

    • Idosos de 60 anos ou mais de idade;
    • Pessoas vivendo em instituições de longa permanência a partir de 12 anos (ILP e RI) e seus trabalhadores;
    • Pessoas imunocomprometidas a partir de 12 anos de idade;
    • Indígenas, ribeirinhos e quilombolas (a partir de 12 anos de idade);
    • Gestantes e puérperas;
    • Trabalhadores da saúde;
    • Pessoas com deficiência permanente (a partir de 12 anos de idade);
    • População Privada de Liberdade e Adolescentes em Medidas Socioeducativas; e,
    • Funcionários do Sistema de Privação de Liberdade.

  • Sobre

    São Paulo do Potengi recebe unidade móvel de vacinas do Sesc RN a partir desta terça-feira (11)

    O Serviço Social do Comércio do Rio Grande do Norte (Sesc RN), instituição do Sistema Fecomércio, deslocará sua unidade móvel de vacinas para a praça Monsenhor Expedito, em frente à Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo do Potengi, a partir desta terça-feira, 11. O caminhão permanece no local até o dia 15, oferecendo imunizantes para Covid, Febre Amarela, DT, Hepatite B e Tríplice Viral, atendendo ao Programa Nacional de Imunização, para todas as faixas etárias. 

    Essa é a primeira vez que a unidade é instalada na cidade, e, nesta edição, o serviço acontece em parceria com o projeto Minha Empresa Nota 10 da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) e Secretaria Municipal de Saúde do município. O objetivo do projeto é ampliar o acesso dos trabalhadores e trabalhadoras que têm dificuldade de se ausentar do trabalho para se dirigir a uma unidade de saúde, por isso foram escolhidos dois bairros para serem contemplados com o serviço. 

    A unidade permanecerá aberta de terça a sexta-feira, das 8h às 15h, e no sábado das 08h às 13h, com capacidade diária de 100 doses. Para receber a vacina, será necessário apresentar documento com foto, cartão do SUS, cartão de vacina, e crachá ou documento que comprove trabalho. Esta será a oitava instalação da unidade Móvel Sesc Vacina, que começou sua atuação na capital em abril do ano passado, aplicando mais de 11.000 imunizantes desde então. 

    Até a primeira semana de março, a plataforma RN+Vacina registrou que cerca de 88% dos potiguares estão vacinados com Segunda Dose (D2) e Dose Única (DU), ou seja, 2.794.783 pessoas de um público total de 3.168.027 pessoas. O público imunizado com a 1º dose de reforço, por outro lado, corresponde a 56% ou 1.798.045 pessoas. 

    Serviço:  

    O que? Unidade Móvel de Vacina do Sesc em São Paulo do Potengi. 

    Quando? Entre 11/04 e 15/04.

    Onde? Praça Monsenhor Expedito Nº 86, Centro. Em frente a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo do Potengi. 

    Horário de funcionamento: Terça a sexta-feira, das 8h às 15h; e sábado, das 08h às 13h. 

    Documentos Necessários: documento com foto, cartão do SUS, cartão de vacina, e crachá ou documento que comprove trabalho. 

    Tipos de vacina: Contra a Covid-19 (todas as doses de reforço), Febre Amarela, DT, DTPA, Hepatite B e Tríplice Viral, atendendo ao Programa Nacional de Imunização, para todas as faixas etárias. 

  • Sobre ,

    Campanha de vacinação bivalente contra a covid-19 começará no próximo dia 27 no RN

    Para fortalecer o combate à covid-19, o Rio Grande do Norte iniciará a vacinação bivalente no próximo dia 27. O imunizante utilizado será o da Pfizer, único aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A vacina conta com cepas atualizadas contra o coronavírus, incluindo a proteção contra a variante Ômicron.

    O estado recebeu 132.400 doses do imunizante e até o momento distribuiu 31.506. A meta é atingir a cobertura vacinal de 90% da população-alvo, estimada em 869.059 pessoas.

    Fases da vacinação e grupos prioritários

    Seguindo a recomendação do Ministério da Saúde, inicialmente a campanha contemplará pessoas com 70 anos ou mais, pessoas vivendo em instituições de longa permanência (ILPI) a partir de 12 anos, abrigados e os trabalhadores dessas instituições, imunocomprometidos, comunidades indígenas e quilombolas.

    Em sua segunda fase, a campanha imunizará pessoas de 60 a 69 anos de idade. Na terceira, gestantes em qualquer idade gestacional e puérperas (até 45 dias após o parto) de 12 anos ou mais. A quarta fase é direcionada a trabalhadores de saúde e a quinta contemplará pessoas com deficiência permanente a partir de 12 anos, população privada de liberdade a partir de 18 anos, adolescentes cumprindo medidas socioeducativas (menores de 18 anos), bem como funcionários do sistema de privação de liberdade.

    Esquema vacinal

    Para receber o imunizante bivalente, a pessoa precisa ter concluído, pelo menos, o esquema primário da vacinação contra covid-19, composto pelas duas primeiras doses ou dose única das vacinas monovalentes. O intervalo mínimo para ser vacinado com a bivalente é de 4 meses após a última dose monovalente recebida.

    Pessoas não vacinadas ou que receberam apenas uma dose da vacina devem iniciar ou completar o esquema primário com duas doses da vacina monovalente. Em seguida, a dose de reforço bivalente Pfizer deverá ser administrada com intervalo de 4 meses da última dose do esquema primário. Já as pessoas que completaram o esquema primário ou já receberam uma ou duas doses e reforço estão aptas a receber a dose de reforço bivalente, respeitando também o intervalo de 4 meses da última dose recebida.

    Coadministração de vacinas e contraindicações

    As vacinas contra covid-19 poderão ser administradas de maneira simultânea com as demais vacinas ou em qualquer intervalo na população de 6 meses de idade ou mais.

    As únicas contraindicações à vacina da covid-19 são hipersensibilidade ao seu princípio ativo ou a qualquer excipiente nela contido, bem como para as pessoas que já tiveram reações anafiláticas comprovadas a uma dose anterior da vacina.

  • Sobre ,

    Mossoró inicia imunização com vacina bivalente contra Covid-19 nesta segunda-feira (27)

    A Prefeitura de Mossoró inicia na próxima segunda-feira (27), imunização com a dose da vacina bivalente contra Covid-19. A vacina é destinada a pessoas que concluíram o esquema primário, composto pelas duas primeiras doses das vacinas monovalentes, há pelo menos 4 meses. O processo de imunização acontecerá seguindo calendário por grupos prioritários divididos em fases.

    Nesta primeira fase, a vacinação é voltada à população acima dos 70 anos de idade; pacientes imunocomprometidos a partir de 12 anos de idade; pessoas que vivem em Instituições de Longa Permanência (ILP) a partir de 12 anos de idade, abrigados e os trabalhadores dessas instituições; comunidades indígenas, ribeirinhas, e quilombolas a partir de 12 anos de idade.

    A vacina bivalente faz parte da segunda geração de imunizantes contra a Covid-19. A vacina protege contra a variante original do vírus e contra cepas que surgiram posteriormente como, por exemplo, a Ômicron e suas subvariantes. 

    A vacina funciona como dose de reforço, sendo direcionada às pessoas que possuem pelo menos duas doses das vacinas Coronavac, Pfizer, AstraZeneca ou Janssen. O intervalo para receber a bivalente é de 120 dias (4 meses) da última dose tomada.

    UBS Polos de imunização (vacina bivalente):

    UBS Maria Soares da Costa – Alto de São Manoel

    UBS Dr. José Leão – Alto da Conceição

    UBS Dr. Chico Costa – Barrocas

    UBS Dr. Lucas Benjamim – Abolição III

    UBS Centro Clínico Evangélico – Centro

    Cronograma (vacina bivalente):

    Fase 1:

    – Pessoas com mais de 70 anos de idade;

    – Imunocomprometidos a partir de 12 anos de idade;

    – Pessoas vivendo em Instituições de Longa Permanência (ILP) a partir de 12 anos de idade, abrigados e os trabalhadores dessas instituições;

    – Comunidades indígenas, ribeirinhas, e quilombolas a partir de 12 anos de idade.

    Fase 2:

    – Pessoas de 60 a 69 anos de idade.

    Fase 3:

    – Gestantes e puérperas.

    Fase 4:

    – Trabalhadores da saúde.

    Fase 5:

    – Pessoas com deficiência permanente;

    – População privada de liberdade a partir de 18 anos de idade;

    – Adolescentes cumprindo medidas socioeducativas (menores de 18 anos);

    – Funcionários do sistema de privação de liberdade.

  • Sobre ,

    Natal inicia vacinação contra a Covid com o imunizante Pfizer Baby nesta quinta (24)

    A Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria Municipal de Saúde,  recebeu 1.060 doses do imunizante da Pfizer Baby que protege contra a Covid-19, destinada às crianças de 6 meses a 2 anos de idade. Natal estima uma população de 28 mil crianças nesta faixa etária.


    A imunização inicia nesta quinta-feira, 24, nas Unidades Básicas de Saúde de referência de Natal, de segunda a sexta-feira das 8h às 11h30 e das 12h30 às 15h30h, distribuídas nos cinco Distritos Sanitários. Nos dias de jogos do Brasil, as UBS seguirão os horários estabelecidos pelo Decreto Municipal 12.682, publicado no Diário Oficial do Município desta quarta-feira. Os expedientes serão até às 14h nesta quinta-feira (24) e no dia 02 de dezembro, e até às 11h no da segunda-feira (28).  


    As UBS de referência são: Pajuçara e África; Vale Dourado e Soledade II; Candelária e Nova Descoberta; São João e Alecrim; Bairro Nordeste e Felipe Camarão II. 


    Para completar o esquema vacinal são necessárias a aplicação de três doses, com intervalos de quatro semanas da D1 para a D2 e oito semanas da D2 para a D3.


    Para serem vacinadas, as crianças devem estar acompanhadas de pais ou responsáveis. É necessário levar cartão de vacinação, documento de identificação (identidade, certidão de nascimento ou outro). Outras informações acessar a plataforma vacina.natal.rn.gov.br

  • Sobre ,

    Instituto Emílio Ribas recruta voluntários para teste de vacina contra chikungunya

    O Instituto de Infectologia Emílio Ribas, na capital paulista, esta recrutando voluntários adolescentes, de 12 a 17 anos de idade, para participar dos testes da primeira vacina contra a chikungunya. O imunizante já se provou seguro e eficiente em pesquisa realizada nos Estados Unidos com 4.115 adultos, e agora está em fase final de aprovação no órgão regulador norte-americano.

    No Brasil, o estudo, encabeçado pelo Instituto Butantan, está recrutando 750 adolescentes em dez centros de pesquisa. No estado de São Paulo, o Instituto de Infectologia Emílio Ribas é o responsável pelos testes, que já começaram a ser feitos em uma parcela dos adolescentes participantes, no início do ano.

    “A vacina é segura, e é uma dose única. Ela é muito importante porque ela combate uma doença que pode ter manifestações sistêmicas, como febre, muita dor no corpo, dor nas juntas, e casos mais graves, no caso de encefalite e até óbito. A vacina se mostrou segura nos adultos e, até o momento, nos adolescentes vacinados no Brasil, tem se mostrado segura”, disse a infectologista e pesquisadora do Instituto de Infectologia Emílio Ribas Ana Paula Veiga, coordenadora principal dos testes em São Paulo.

    “Nós temos bastante experiência, fizemos parte do estudo da vacina CoronaVac, junto ao Butantan, tivemos vários voluntários, então é uma equipe bastante experiente em relação à pesquisa clínica, que vai dar suporte para o voluntário e para sua família”, disse a infectologista.

    Para fazer parte da pesquisa, o interessado deverá fazer o cadastro no formulário do instituto ou entrar em contato com o Centro de Pesquisa pelo número 11 9 1026 6996 (Whatsapp) ou 11 3896 1302 (telefone). Outras informações sobre a vacina estão disponíveis no site do estudo do Butatnan.

    Para participar dos testes é obrigatória a autorização dos pais ou responsáveis. Na primeira visita presencial, tanto o adolescente quanto os acompanhantes adultos terão que assinar um termo de consentimento. O documento traz todas as regras do estudo. Nesta primeira etapa, também são feitas consultas médicas e exames laboratoriais para se constatar que o voluntário está apto a participar do estudo.

    Nas etapas seguintes, o voluntário receberá a dose da vacina, que pode ser de imunizante ou de placebo. O jovem, então, passará a ser monitorado pela equipe multidisciplinar da Unidade de Pesquisa especialmente por meio de visitas presenciais à unidade e por conversas pelo whatsapp. Um médico do estudo estará disponível 24 horas por dia, por telefone, para tirar dúvidas ou apoiar com atendimentos de qualquer eventual emergência. Caso o participante apresente algum evento adverso, ele poderá receber atendimento no Emílio Ribas.

    Atualmente, não há vacinas disponíveis contra a chikungunya. A doença é causada por vírus transmitido por mosquitos, como Aedes aegypti, o mesmo que causa a dengue.

    Agência Brasil

  • Sobre , ,

    Mais de 69 milhões de brasileiros não tomaram 1ª dose de reforço contra covid-19

    Mais de 69 milhões de brasileiros ainda não voltaram aos postos para receber a primeira dose de reforço da vacina contra covid-19, segundo dados do Programa Nacional de Imunizações (PNI). De acordo com Ministério da Saúde, 32,8 milhões de pessoas poderiam ter recebido a segunda dose de reforço contra a doença, mas ainda não se vacinaram. Os imunizantes estão disponíveis em mais de 38 mil postos de vacinação em todo o país. 

    Segundo a pasta, estudos mostram que a estratégia de reforçar o calendário vacinal contra o novo coronavírus aumenta em mais de cinco vezes a proteção contra casos graves e óbitos pela covid-19.

    Doses de reforço

    A primeira dose de reforço é recomendada para pessoas com mais de 12 anos de idade e deve ser aplicada quatro meses depois da segunda dose ou dose única. No momento, a segunda dose de reforço é recomendada para a população acima de 40 anos de idade e trabalhadores da saúde, independentemente da idade.

    Imunizantes

    As vacinas recomendadas para as doses de reforço são dos fabricantes Pfizer, AstraZeneca ou Janssen, que podem ser utilizadas para pessoas com 18 anos de idade ou mais. Para os adolescentes entre 12 e 17 anos, preferencialmente deve ser utilizada a vacina Pfizer. Caso não esteja disponível, pode ser utilizada a vacina CoronaVac na dose de reforço.

    Para quem começou o esquema vacinal com a dose única da Janssen, a recomendação é diferente das demais, com três reforços para pessoas com idade igual ou maior que 40 anos e dois reforços para pessoas de 18 a 39 anos.

    O primeiro reforço é aplicado dois meses após o início do ciclo; e os outros devem obedecer ao intervalo de quatro meses. A orientação é que também sejam utilizadas as vacinas AstraZeneca, Pfizer ou a própria Janssen para as doses de reforço.

    Agência Brasil

    Foto: Ana Cadengue

  • Sobre ,

    Natal tem Dia D de vacinação contra HPV e Meningite neste sábado (05)

    A Prefeitura do Natal, através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS/Natal), intensifica durante todo o mês de novembro os imunizantes contra HPV e Meningite (meningocócica C e ACWY). Crianças entre 03 meses e 14 anos podem receber a vacina, acompanhado dos pais ou responsáveis, em qualquer unidade básica de saúde ou pontos extras da capital. O Dia D acontece no sábado (05), das 08h às 12h, nas unidades básicas de saúde.

    Nos pontos extras do Via Direta, Midway, Partage Norte Shopping e Nélio Dias os imunobiológicos contra Covid-19, HPV (meninos e meninas entre 09 e 14 anos), Meningite C (crianças a partir de 03 meses), ACWY (crianças entre 11 e 14 anos) e outras vacinas também seguem disponíveis para crianças a partir dos 03 meses a adolescentes até 14 anos. Mais informações em vacina.natal.rn.gov.br .

    Além dos referidos imunizantes também estão disponíveis as vacinas da primeira infância e fase adulta para a população: Covid-19, Febre Amarela, Pólio, Tríplice Viral, Varicela, Influenza, Meningite e HPV. “O Vacinando com Natal é mais uma oportunidade de atualização do esquema vacinal da nossa população”, comenta o secretário de saúde George Antunes.

    foto: Joana Lima

Carregar...
Congratulations. You've reached the end of the internet.