Últimas histórias

  • Sobre

    Dicas para manter cães e gatos bem hidratados nesse calorão

    O aumento da temperatura nos últimos tempos e as muitas atividades de verão pedem cuidados especiais com a alimentação e hidratação não só dos humanos, mas também de cães e gatos.

    Independente da rotina do animal, é importante uma alimentação nutritiva e saudável, com as quantidades adequadas de nutrientes. A veterinária e nutróloga pet Karla Danielle destaca a importância do cuidado com a alimentação nesse período: “Para que o pet não sofra tanto com o aumento das temperaturas,  é interessante adequar a alimentação para dar um maior conforto térmico. Se o pet come ração, oferecer água gelada, gelinhos, caldo de proteína ou picolés pet. Se ele for alimentação natural  ou comida caseira,  a comidinha pode ser oferecida gelada ou em temperatura ambiente e esse tipo de alimentação naturalmente já fornece mais água versus a ração, então sai na frente no quesito hidratação. Frutas mais suculentas como melão e melancia, como também banana e maçã podem ser servidas geladas. Sucos de frutas também são bem-vindos, mas todos em quantidade moderada por se tratar de carboidratos / frutose.”

    No período das férias os pets também podem ser mais expostos a ambientes externos com temperaturas mais elevadas, alguns cuidados com a hidratação são essenciais. A água é de extrema importância para manter ativas diversas funções do organismo dos pets, como na digestão. E mais: compõe grande parte da massa corporal e auxilia na saúde do trato urinário. Karla Danielle dá a dica de um cálculo bem prático: usar cerca de 60 ml por kg de peso, como base, mas se o pet come alimentação natural, parte dessa quantidade de água também virá da alimentação. Observar um fator simples como a cor do xixi, também é um parâmetro prático interessante.

    Para os tutores que têm gatos, a atenção deve ser constante. Os cães têm a ingestão hídrica mais espontânea. O gato é muito mais exigente, pela sua característica menos domesticada, eles têm necessidade da água em movimento (fontes, pingos na torneira), ou seja, a água tem que ser sempre limpa de impurezas, resíduos e cheiros. Até o tipo de vasilha interfere na ingestão dos felinos, portanto, o tutor deve estar sempre atento.

    E além da preocupação com a hidratação, os pets não devem sair em horários de sol muito forte porque correm o risco de queimar as patinhas. E mesmo em casa também é preciso ficar atento à ventilação disponível no local onde eles vão ficar. O ideal é mantê-los sempre em locais ventilados ou climatizados. Karla Danielle atenta que os pets podem ter uma febre fisiológica chamada hipertermia maligna, que não é infecciosa mas pode matar, e é justamente desencadeada pelo esforço extremo associado a altas temperaturas.