Últimas histórias

  • Sobre , ,

    Festival “Eita Camarão Gostoso!” promete movimentar turismo gastronômico

    O circuito culinário “Eita Camarão Gostoso!” promete movimentar o turismo gastronômico de São Miguel do Gostoso entre os dias 19 e 21 de novembro. O evento seguirá um modelo descentralizado, onde cada estabelecimento oferece um cardápio especial do festival, tendo o camarão como sua grande estrela. Com menu composto por entrada e prato principal, o circuito abrange estabelecimentos gastronômicos do município, incluindo restaurantes, lanchonetes e barracas. 

    Todos os restaurantes participantes do evento, independentemente do porte, estarão com menu especial no valor de R$ 60. Já nos estabelecimentos menores, como barracas, bares e lanchonetes, o valor investido para apreciar a entrada e o prato principal do festival será de R$ 30. Os estabelecimentos que integram o circuito estarão sinalizados com bandeirolas que identificará sua participação. 

    O Rio Grande do Norte é nacionalmente conhecido como o maior produtor de camarão do País, o que dá ao Estado um destaque especial para a gastronomia litorânea. Com o objetivo de atrair turistas, movimentar a economia e consolidar o turismo local, o “Eita Camarão Gostoso!” é uma iniciativa da AEGostoso (Associação dos Empreendedores de São Miguel do Gostoso) e da Camanor, e recebe o apoio da Prefeitura de São Miguel do Gostoso.

  • Sobre , ,

    Municípios do RN caem no ranking de produção de camarão em 2020

    Dados do IBGE divulgados nesta quarta-feira, 29, apontam que municípios do RN caíram no ranking de produção de camarão no ano de 2020. Com 3,7 mil toneladas produzidas em 2020, Pendências cedeu a posição de líder na produção para o município cearense de Aracati (3,9 mil toneladas). Também localizado no Ceará, Acaraú (2.627 toneladas) ficou à frente de Canguaretama, com 2.620 toneladas, e Arês, município produtor de 2,5 mil toneladas.

    Somados, o Rio Grande do Norte e o Ceará produzem sete em cada dez toneladas de camarão brasileiro. Os dados municipais refletem a situação desses estados. Enquanto o Ceará teve um crescimento de 25,6% na produção entre 2019 e 2020, o estado norte-rio-grandense cresceu 5,7% no período.

    Mesmo assim, o Rio Grande do Norte permanece como maior produtor nacional do crustáceo com 21,9 mil toneladas de camarão em 2020. Essa produção foi calculada em mais de meio bilhão de reais (R$ 565 milhões), o que corresponde a 42,6% do valor de produção de todo o camarão produzido em território nacional. 

    Em 2020, o Brasil (com produção de 63,2 mil toneladas) cresceu 16,2% na produção do crustáceo em relação ao ano anterior. O valor da produção brasileira chegou a R$ 1,3 bilhão.

    Larvas

    O município de Canguaretama é o maior produtor de larvas e pós-larvas de camarão do Brasil com 3.650.000 milheiros produzidos em 2020. Também teve destaque no ranking o município de Aracati (3.645.000 milheiros), no Ceará. Com uma produção de 6,6 milhões de milheiros, o Rio Grande do Norte se mantém como maior produtor de larvas e pós-larvas, as formas jovens de camarão. Em 2020, o Brasil produziu 12,5 milhões de milheiros.