Cartilha de Autodefesa da Juventude Negra é lançada na Câmara de Natal

Marcando a despedida do vereador Pedro Gorki (PCdoB) do mandato parlamentar, devido ao retorno da vereadora Júlia Arruda (PCdoB) que é titular do cargo, a Frente Parlamentar da Juventude, presidida por ele na Câmara Municipal de Natal, realizou uma audiência pública nesta sexta-feira (1°), na qual foi lançada a Cartilha de Autodefesa da Juventude Negra e Periférica Contra a Violência Policial.

O documento traz orientações, instrui sobre a identificação de atos de violência e de abusos, além de contatos dos órgãos de defesa para denúncias sobre violação de direitos. “É mais um instrumento de autodefesa contra a violência da juventude negra. Nosso objetivo é para que a juventude da periferia passe a ocupar as universidades e não as penitenciárias, construindo dia a dia, de maneira empenhada uma sociedade antirracista, livre e igualitária, de paz e de direitos respeitados”, destacou Pedro Gorki.

De acordo com o Observatório da Violência do Rio Grande do Norte (OBVIO/UFRN), entre 2011 e 2021, mais de 90% dos jovens assassinados na capital eram negros, refletindo a desigualdade nas áreas de maior vulnerabilidade localizadas nas regiões Norte e Oeste. “É importante que a juventude e estudantes negros estejam aqui para dizer que é inadimissível viver num país que mata sua juventude, principalmente a negra. A cartilha instrui o jovem a se defender e denunciar a violência que sofre”, apontou o vice-presidente da União Brasileira de Estudantes (UBES), Roberth Góis.

A iniciativa foi elogiada e recebeu apoio de entidades que defendem os direitos dos jovens, estudantes e população negra. “Essa cartilha não pode ficar somente nessa plenária, mas deve ser levada às comunidades porque são informações importantes que precisam chegar a todos, criando condições para que, ao menos, uma abordagem policial seja respeitosa”, enfatizou o presidente da União de Negras e Negros pela Igualdade (Unegro), Pedro Júnior.

Patrícia Santiago, da Subsecretaria Estadual da Juventude, endossou esse posicionamento e disse que a cartilha complementa outro instrumento da pasta. “Lançamos uma nota técnica no ano passado para combater o racismo nos órgãos públicos e que agora se junta a essa cartilha para ajudar e disseminar que nossa juventude saiba seus direitos, como reivindicá-los e se defender”, disse ela.

A audiência contou ainda com a participação das vereadoras Brisa Bracchi (PT) e Divaneide Basílio (PT), além de representantes de outras entidades, como a Defensoria Pública e movimentos sociais, tais como a União da Juventude Socialista (UJS), Conselho Estadual de Igualdade Racial (COEPIR), dos Direitos Humanos e Cidadania, Movimento de Luta por Moradia Popular (MLMP) e Associação Popular dos Estudantes Secundaristas (APES).

DESPEDIDA

Com o retorno da vereadora Júlia Arruda (PCdoB), que estava licenciada para assumir a titularidade da Secretaria Estadual das Mulheres, da Juventude, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (Semjidh), o vereador Pedro Gorki (PCdoB) oficializou sua saída do mandato durante a audiência da Frente Parlamentar da Juventude nesta sexta-feira (1°).

Ele disse que encerra este ciclo enquanto vereador com sentimento de dever cumprido, relembrando o apoio dos movimentos sociais e da bancada da oposição. “Construímos, debatemos e propomos diversos projetos para a cidade, discutindo a situação e visitando equipamentos públicos. Fico extremamente feliz e orgulhoso em ter dividido o espaço dessa Casa com cada movimento, com cada eleitor, cada vereador e servidor que acreditou no nosso projeto pela construção da causa coletiva, por uma cidade melhor”, declarou Pedro Gorki.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

Festival Literário de Gostoso realiza 2ª edição de 27 a 29 de maio

Projeto Caravana Rec realiza segunda temporada