Arthur Dutra lança “Natal do Futuro” nesta quarta-feira (1º) no Seaway

O advogado apaixonado por jornalismo Arthur Dutra estreia na literatura e lança nesta quarta-feira, 1º, o livro “Natal do Futuro”, que reúne uma série de textos com temáticas variadas, que vão desde urbanismo, empreendedorismo, tecnologia, turismo, gestão pública e história de Natal. “Todos com uma ligação entre si, pois apontam para o desenvolvimento da cidade e se encontram no permanente desejo de Natal por estar sempre à frente do seu tempo, como já expressou Manoel Dantas, em 1909, na famosa conferência Natal daqui a cinquenta anos, que inspira este trabalho”, diz o autor.

Arthur explica que aproveitou muito da experiência colhida ao longo do processo de revisão do Plano Diretor de Natal, onde representou a OAB/RN, “essa uma discussão que se abre para diversos aspectos da vida cidade e dá oportunidade para reflexões sobre os problemas e soluções do presente, mas sempre olhando para o passado e, claro, para o futuro”.

Como destaca o historiador Sérgio Trindade no Prefácio, “Incorporando o espírito de Manoel Dantas, que não era historiador de ofício mas soube sê-lo no ofício, Arthur adverte não pretender escrever um livro de história, pois não se considera ‘versado no ofício de contar os acontecimentos de forma sistemática, científica, distante dos personagens e dos fatos’. O seu intento, continua, é estar em meio aos fatos e personagens, tocando-os e sentindo-os, mergulhando no passado da cidade que ama para saber viver o presente dela e, quem sabe, antever os caminhos do futuro.

Mais Manoel Dantas impossível.

Arthur não é historiador de ofício, mas como Manoel Dantas sabe contar os acontecimentos de forma tocante e apaixonante, abrindo veredas por onde passarão reflexões dele e de quem se dispuser discutir a cidade a sério”.

No texto de apresentação, o professor de Filosofia e História, Douglas Cavalheiro lembra da “imagem urbanística da urbe espremida entre dunas e o rio, fundada por uma capela no alto e embaixo uma fortaleza pode ser em qualquer lugar, como também em lugar-nenhum; é uma quimera ou uma utopia. Nessa forma, a cifrada máxima lapidada no átrio em tempos imemoriais, tal qual a autognose da sentença em conhece-te a ti mesmo, revelou: a eternidade do homem é a terra da sua alma, o genius loci”.

É Cavalheiro também quem traz um ponto central para essa Natal de quatrocentas e tantos anos. “Arthur Dutra apresentou que a responsabilidade da Urbs æterna pertence não apenas ao reino do imaginário, mas também na prática por meio da ação do agente: o indivíduo. Ele é a chave-mestra que destranca e abre os caminhos do mundo para transmutação da Urbs æterna, substância hipotética, em uma concreta cidade”.

O livro Natal do Futuro será lançado amanhã (1º), a partir das 18h, no Seaway Center, na Av. Roberto Freire, e sai pela tradicional Sebo Vermelho Edições, que o incluiu na Coleção João Nicodemos de Lima (N. 565). O projeto gráfico e impressão são da Offset Gráfica. Na capa, uma ilustração do artista natalense Erre Rodrigo, que desenhou um trecho da conferência de Manoel Dantas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

Idema abre consulta pública para o Monumento Natural Cavernas de Martins

Pinacoteca do Estado reabre neste sábado (04) com artes visuais e música