Complexo Cultural Rampa busca personagens e histórias do local para compor acervo

O Complexo Cultural Rampa, localizado exatamente na antiga Rampa, uma das edificações mais importantes de Natal, no bairro de Santos Reis, está em processo de pesquisa para construção do acervo. Com o intuito de resgatar memórias sobre o lugar,  o Núcleo Museológico do projeto Rampa – arte museu paisagem busca narrativas e personagens.

Para isso, foi criado um canal de comunicação direta com o Núcleo, via Whatsapp, onde todos podem compartilhar essas histórias. Pessoas que trabalharam na Rampa, viveram momentos marcantes que envolvem o espaço ou possuem qualquer outra lembrança do local, podem entrar em contato  pelo WhatsApp (84 99191-9680). O Núcleo Museológico pede também que as pessoas indiquem conhecidos que possam ter essas informações.

A curadoria do projeto Rampa – arte museu paisagem é de Gustavo Wanderley e Rafael Bicudo e a coordenação do núcleo museológico está à cargo de Marília Bonas, profissional com reconhecido trabalho na área de Museologia, hoje é diretora técnica do Museu da Língua Portuguesa e do Museu do Futebol.

Segundo Marília, o acervo museológico será composto por referências patrimoniais em ambiente digital. “Estamos mapeando e documentando as ocupações do território não só por meio de arquivos históricos e publicações, mas, especialmente, pela voz dos moradores e trabalhadores, formando, assim, um dos principais núcleos de testemunhos de seu acervo museológico, a ser disponibilizado em plataforma digital. Nesse contexto, o protagonismo de pescadores, marisqueiros e de todo comércio pesqueiro é indiscutível – não só na perspectiva histórica, mas como principal cadeia produtiva a ser visibilizada, apoiada e potencializada em seus saberes e fazeres”, explica.

Localizado na antiga edificação – que foi totalmente reformada pelo Governo do Estado -, o Complexo Cultural Rampa é um dos maiores equipamentos culturais em desenvolvimento no país. Sua área de 11 mil m²  compreende duas salas de exposição, salas educativas, espaço para café e restaurante, recepção, bilheteria, área externa para eventos com até 3 mil pessoas, estacionamento e a calçada Potengi, espaço com visão privilegiada do rio, devolvendo à cidade o acesso à paisagem.

A ocupação artística do complexo, com o projeto Rampa – arte museu paisagem, está sob responsabilidade da Casa da Ribeira, instituição independente e com expertise na elaboração e gerenciamento de projetos culturais, e produção executiva da House Cultura. O projeto está dividido em duas fases e será viabilizado através da Lei Câmara Cascudo de renúncia fiscal (onde empresas destinam parte do seu ICMS para patrocínio cultural). A inauguração será em 2022.

Link para Whatsapp:https://abre.ai/projetorampa
Instagram:instagram.com/rampa.cultura
Site:casadaribeira.com.br/rampa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

Morre o maestro Neemias Lopes

Vereadores discutem inclusão de alunos com deficiência com secretária de Educação