Últimas histórias

  • Sax in the House lança o clipe “Just For You” nesta quarta-feira (12)

    O último lançamento do “SAX IN THE HOUSE”, a música “Just For You” – collab com o artista RAiK, será lançada em clipe no próximo dia 12, no canal do projeto no YouTube.

    A música foi composta por Ruud van Schaik (RAiK), cantor holandês, participante do “The Voice Holanda”. Em 2019, em uma visita ao Brasil, o artista foi apresentado ao Sax in the House e na ocasião veio a ideia de gravarem algo juntos.

    Após algumas alterações na composição e a substituição do refrão original pelo solo do saxofone, acrescentado as batidas que já fazem parte da identidade musical do Sax in the House, nasceu “Just For You”.

    Com gravação da Megalume Filmes, o clipe protagonizado pela atriz Natália Souza, tem cenas gravadas em Roterdã (cenas de RAiK), Marinas Resort (Tibau do Sul), Goianinha, e Natal.

    O clipe “Just For You” tem o patrocínio da Lei Aldir Blanc, através Governo do Estado Rio Grande do Norte, Fundação José Augusto, Secretaria Especial de Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

    SERVIÇO

    Sax In The House – Clipe “Just For You”

    Lançamento: Dia 12 de janeiro, a partir das 11h

    Canal: https://www.youtube.com/c/SaxintheHouse

    OUÇA “Just For You”: https://onerpm.lnk.to/JustforYou

  • Inscrições para o ciclo de debates em Economia Política do Audiovisual vão até dia 12

    Estão abertas até 12 de janeiro de 2022 as inscrições para a 3ª edição do Ciclo de Debates em Economia Política do Audiovisual, realizado pelo Departamento de Comunicação Social da UFRN (Decom). O evento de extensão acontece respectivamente nos dias 13, 20 e 27 de janeiro de 2022, remotamente, pela plataforma Google Meet. As inscrições podem ser realizadas no Sigaa.

    Trata-se de uma atividade gratuita e aberta ao público mediante prévia inscrição. Ao todo, serão ofertadas 60 vagas, sendo 45 para estudantes do curso de Comunicação Social – Audiovisual e 15 para demais interessados.

    Nesta edição, o ciclo reunirá pesquisadoras de diferentes instituições brasileiras que apresentarão resultados de investigações científicas sobre políticas públicas para o audiovisual, contemplando os projetos da Ancinav, experiências nacionais e estrangeiras de fomento às políticas de exibição cinematográficas e a diversidade cultural no cinema brasileiro.

    A atividade é uma iniciativa do Grupo de Pesquisa em Economia Política do Audiovisual (EPA!) e integra o conteúdo programático da disciplina de mesmo nome do curso de Comunicação Social – Audiovisual. Mais informações no site do evento ou no Instagram @epaufrn.

    Programação

    13 de janeiro de 2022, às 19h

    Políticas Públicas para o Audiovisual: o caso Ancinav

    Marina Rossato

    Mestre no Programa de Pós-Graduação em Imagem e Som na linha de História e Políticas do Audiovisual pela Universidade Federal de São Carlos. Graduada no curso de Imagem e Som pela Universidade Federal de São Carlos. É autora do livro Políticas Públicas para o Audiovisual: o caso Ancinav (2016).

    20 de janeiro de 2022, às 19h

    Políticas de Exibição Cinematográfica

    Gabriela Andrieta

    Doutoranda em Artes pela Unesp, mestra em Estudos Culturais pela USP e graduada em Relações Internacionais pela Facamp.

    27 de janeiro de 2022, às 19h

    Diversidade Cultural no Cinema Brasileiro

    Vivianne Lindsay

    Doutora em Comunicação na Unesp. Graduada em Comunicação Social – Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Integra o Lecotec – Laboratório de Estudos em Comunicação, Tecnologia e Educação Cidadã/Unesp.

  • “Parelhas mostra Parelhas” começa nesta terça-feira (11)

    Exposições fotográficas, lançamentos de livros, palestras, degustação de culinária local, contação de estórias, cordel, poesias, teatro, sarau, apresentações audiovisuais e muito mais no evento “Parelhas mostra Parelhas”, que começa nesta terça-feira (11) e vai até 20 de janeiro, dia de São Sebastião, padroeiro do município.

    “Parelhas mostra Parelhas” acontece na Biblioteca Municipal Dr. Antõnio Pereira de Macêdo e é uma realização da Prefeitura de Municipal de Parelhas junto com os projetos contemplados pela Lei Aldir Blanc, do Governo Federal.

    Confira a programação:

    Dia 11 – Exposição Fotográfica “Pássaros do Sertão – Um olhar fotográfico”, de Ronaldo de Lima

    Dia 14 – Contação de estórias e lançamento do livro infantil “A Menina que Falava com as Mãos”, de Ana Gabriela

    – Musical e lançamento do livro “O Conto das Bonecas”, de Maria José de Souza Araújo

    Dia 15 – Lançamento dos livros:  Vida e obra de Tertuliano Pereira, de Laíse Sebastiana, e Ensaio Literário “As Filhas de Pompeia”, de Tertuliano Pereira

    Dia 17 – Contação de estórias e lançamentos do livro infantil “Quem Escreve e Conta Seus Males Espanta”, de Gisele Freitas

    – Lançamento do livro “Versos e poesias” de Terezinha Tavares

    Dia 18 – Exposição Fotográfica “Identidade sertaneja para além das tradições”, de Damião Almeida

    Dia 19 – Exposição de audiovisual: “Casas antigas, curiosidades e relatos do nosso povo”, de Hélio Viturino

    – Lançamento do livro “O Tesouro da Culinária Parelhense – Sítio Cidade”, conversa sobre as nossas raízes e degustação da culinária local, de Maria das Graças Silva Oliveira

    Dia 20 – Exposição Dr. Graciliano Lordão e Maternidade de Parelhas – 70 Anos de História

  • Canguaretama inicia programa de arborização

    O município de Canguaretama iniciou nesse domingo, 09, um programa de arborização, com plantio e distribuição de mudas. O objetivo, além de embelezara paisagem urbana, é amenizar as altas temperaturas.

    As ruas e praças da cidade receberão uma grande variedade de mudas de Aroeira, Caju, Acerola, Ipê Rosa, Ipe amarelo, Flamboyant mirim, Flamboyant, Caraibeira e Ipê de jardim, que já fazem podem ser encontradas no horto municipal.

  • MPRN suspende atendimento presencial devido ao aumento de casos de Covid e gripe

    O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) suspendeu novamente o atendimento presencial ao público externo, excetuadas situações comprovadamente excepcionais. O motivo é o aumento dos casos confirmados e da taxa de transmissibilidade da Covid-19 no Estado e o crescimento do número de acometidos com síndromes gripais, com sintomas semelhantes ao da Covid, e a sobrecarga nos atendimentos de urgência nas unidades de saúde. A medida passa a valer já a partir desta segunda-feira (10).

    Para tomar essa decisão, o MPRN levou em consideração a crescente confirmação de casos de Covid-19 de integrantes da instituição e a necessidade de evitar a transmissão da doença, resguardando a saúde dos integrantes e demais colaboradores do MPRN, bem como da população.

    O retorno das atividades presenciais, enquanto não estiver controlada a disseminação da Covid-19 em todo o território do Rio Grande do Norte, ocorrerá de forma gradual, por meio de rodízio, no percentual de até 50% do total de integrantes nas respectivas unidades, respeitando o distanciamento social entre as estações de trabalho, de modo a conciliar a preservação da saúde e a produtividade institucional, cabendo às respectivas chefias imediatas a definição de escalas de trabalho.

    O horário de funcionamento do MPRN será, de forma presencial e remota, de segunda a quinta-feira, das 8h às 15h, e sexta-feira, das 8h às 14h, bem como, apenas remotamente, de segunda a quinta-feira, das 15h às 17h. Com isso, fica suspensa a contabilização de créditos e eventuais compensações do banco de horas dos servidores.

    O horário de atendimento ao público ocorrerá, de segunda a quinta-feira, das 8h às 17h e, sexta-feira, das 8h às 14h, pelos meios disponíveis no portal do MPRN (clique aqui), tais como e-mail e telefone funcional.

    Além dessas formas de atendimento, estão disponíveis o WhatsApp do Gaeco (98863-4585) e da Ouvidoria do MPRN (99994-6057), e, fora do horário de expediente, o telefone de Atendimento ao Cidadão (99972-5298).

    Fica suspensa a realização de eventos, cursos e treinamentos presenciais dentro do MPRN.

  • 50% de jovens no RN já receberam duas doses da vacina contra a Covid-19

    A vacinação contra a Covid-19 entre os adolescentes de 12 a 17 anos no Rio Grande do Norte alcançou metade do grupo com as duas doses do imunizante. 

    São pouco mais de 159 mil jovens potiguares que completaram seu esquema de proteção, de acordo com a plataforma RN+ Vacina. No total, mais de 419 mil doses já foram aplicadas, chegando a 81% do público-alvo, que é de aproximadamente 318 mil pessoas nos 167 municípios. 

    A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) alerta, no entanto, para o quantitativo de doses em atraso, que passa dos 47 mil adolescentes. “Cada vez mais a campanha de imunização avança e é importante ir alcançando esses patamares de imunização. Porém, não podemos perder de vista a necessidade de tomar a segunda dose. A vacinação é uma estratégia de proteção coletiva, precisa que todos façam sua parte”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia. 

    O quantitativo de 50% dos jovens com duas doses foi alcançado após cinco meses de campanha. A vacinação iniciou-se, com intercorrências e poucas doses disponibilizadas pelo Ministério da Saúde, pelas adolescentes grávidas, passando aos jovens com comorbidades ou deficiência permanente, para depois ser liberada para todos entre 12 e 17 anos. 

    ADULTOS
    Entre os moradores do RN acima dos 18 anos, a cobertura de vacinação contra a Covid-19 já chegou a 91% com a primeira dose e 83% com a segunda dose. A dose de reforço, que está liberada apenas para os adultos, ultrapassou os 21% do público-alvo no início deste mês. 

    Ao olhar para a população geral, os percentuais de aplicação das vacinas no estado estão em 84% para a primeira dose e 75% para as duas doses. 

    CRIANÇAS
    A Sesap aguarda a sinalização do Ministério da Saúde com relação ao envio das doses para o público das crianças entre 5 e 11 anos. A Comissão Comissões Intergestores Bipartite, que reúne a representação da Sesap e dos municípios, aprovou de forma unânime que a vacinação de crianças contra a Covid-19 no RN não terá exigência de laudo médico e/ou autorização de pediatra. 

    A logística para a operação da vacina nas crianças será a mesma mantida pela Sesap, em parceria com a Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), desde o início da campanha, há cerca de um ano, com a distribuição das doses em menos de 24h após a chegada do carregamento ao estado.

  • Ômicron, gripe e resfriado têm sintomas parecidos e assustam a população

    O avanço da variante ômicron tem mexido com o dia-a-dia de todos que acharam que a pandemia já acabou. Não acabou. O cancelamento de festivais de música e do carnaval de rua em várias cidades brasileiras, como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Olinda estão aí provando que os cuidados devem ser redobrados.

    Não é porque a maioria dos brasileiros já tomou, pelo menos, duas doses da vacina contra a Covid-19 que pode liberar geral. Não pode e as aglomerações das festas de fim de ano comprovam isso. Para onde se olhe, hospitais e unidades de saúde lotados, filas e mais filas para exames e testes em laboratórios e farmácias.

    O surto de gripe não melhora o quadro. Aliás, só confunde. Como a ômicron tem se apresentado no mundo, com sintomas menos graves e diferentes de variantes anteriores, é comum ficar em dúvida em relação a sintomas como febre, dor de cabeça, mal estar e coriza. Isso porque as doenças respiratórias, que também incluem resfriado e gripe, costumam apresentar sinais bem parecidos, por afetarem as mesmas regiões do corpo.  Alguns especialistas dizem que “covid e gripe ‘derrubam’. O resfriado só ‘atrapalha’ a rotina”.

    Para a vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Isabella Ballalai, diante do que já se verificou em países do Hemisfério Norte, onde a variante se espalhou em grandes proporções, o momento é de retroceder. “É preciso que a população entenda que mudou. Não podemos mais relaxar de maneira nenhuma”, disse.

    Para tentar entender um pouco, o Blog traz as características das doenças que assustam nossos dias:

    Ômicron

    A nova variante costuma provocar sintomas com menor intensidade em comparação com as demais cepas que já se espalharam até então. Estudos apontam que a ômicron costuma causar coriza, dor de cabeça, cansaço, espirros e dor de garganta. Os sintomas melhoram, em média, cinco dias após o início. A febre também pode surgir, mas com menos frequência.

    Gripe

    De acordo com o Instituto Butantan, os principais sintomas da gripe são: febre súbita, tosse (geralmente seca), dor de cabeça, dores musculares e articulares, mal-estar, dor de garganta e coriza. Os sinais da gripe costumam durar de cinco a sete dias, sendo que a tosse pode levar duas semanas ou mais para desaparecer.

    Resfriado

    Tem sintomas mais leves que a gripe e se parece bem mais com os sinais dados pela ômicron.  Os principais sintomas do resfriado são: coriza (nariz escorrendo com secreção aquosa e transparente), nariz entupido, espirros, dor de garganta e febre baixa (mais comum em crianças — adolescentes e adultos não costumam apresentar). Os sinais costumam durar de três a quatro dias, mas podem se prolongar em fumantes, chegando a até dez dias.

    Prevenir é o melhor remédio

    Há medidas que ajudam a prevenir as três doenças, como uso de máscaras, higienização recorrente das mãos e distanciamento social. Com os estudos apontando a maior transmissibilidade da ômicron, especialistas recomendam o uso de máscaras mais filtrantes, como a PFF2 ou N95. Caso não seja possível, a orientação é usar duas máscaras: a cirúrgica por baixo e a de pano por cima, ou usar uma máscara de pano com camada dupla.

    Mas, nada se compara à vacina, que é o método mais eficaz de prevenção. Elas não impedem totalmente o contágio, mas reduzem drasticamente a gravidade, mesmo se não tiverem sido desenvolvidas especificamente para a variante dominante no momento.

    Se mesmo assim, você adoecer, mantenha a calma. Observe os sintomas, tente repousar e se hidrate bem. Água, sucos, chás e sopas ajudam bastante. Verifique a temperatura e, se o quadro se agravar, com febres acima de 39º, vômitos e dificuldade para respirar, procure o serviço médico de emergência.

    Com informações das Agências Brasil e Globo.

  • OMS: infecções de Covid-19 no mundo aumentaram 70% na semana passada

    As infecções no mundo pelo coronavírus aumentaram na semana passada 70%, índice inédito, e as mortes baixaram 10%, mostra boletim epidemiológico semanal da Organização Mundial da Saúde (OMS).

    Entre 27 de dezembro e 2 de janeiro houve no mundo 9,5 milhões de contágios confirmados, número que quase duplica os recordes semanais anteriores, e 41 mil mortes. É a quarta semana consecutiva de diminuição de óbitos.

    A Europa, que voltou a ser o epicentro da pandemia de covid-19 devido à variante Ômicron do SARS-CoV-2, mais transmissível, concentrou mais da metade dos casos (5,3 milhões) e mortes (22 mil) mundiais.

    Segundo o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, “o maior número de casos notificados até agora ocorreu na semana passada” e, ainda assim, pode estar subestimado.

    O aumento de novos casos foi da ordem de 100% na América e de 65% na Europa. As mortes por covid-19 baixaram 18% e 6% nas duas regiões, respectivamente.

    Se for mantido o ritmo de contágios na Europa, que totaliza 103 milhões de infecções desde o início da pandemia, em 2020, o continente superará a América (104 milhões) em número de casos confirmados.

    De acordo com a OMS, as mortes diminuíram na semana passada 7% no sul da Ásia, mas os novos contágios aumentaram 78%.

    Na África, onde foi detectada inicialmente a variante Ômicron, as infecções subiram apenas 7%, o menor percentual, mas as mortes cresceram 22%.

    Nesse continente, a maioria da população continua sem se vacinar – as vacinas contra covid-19 em circulação previnem a doença grave e a morte, mas não evitam a infecção e transmissão do vírus.

    O boletim da OMS mostra ainda que foram administradas mais de 9,3 mil milhões de doses de vacinas contra covid-19, que permitiram imunizar 59% da população mundial com pelo menos uma dose. Nos países mais pobres, a maioria na África, esse índice baixa para 8,8%.

    O relatório semanal não registra dados sobre a presença das diferentes variantes do coronavírus nas novas infecções, mas em vários países, a Ômicron já é dominante.

    A covid-19 provocou mais de 5,4 milhões de mortes em todo o mundo desde o início da pandemia.

    A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detectado há dois anos em Wuhan, cidade do centro da China, e que se disseminou rapidamente pelo mundo.

    Atualmente, segundo a classificação da OMS, existem cinco variantes de preocupação do SARS-CoV-2, sendo que a Ômicron, mais recente, é a mais contagiosa.

    Apesar de sua elevada capacidade de transmissão, essa variante é menos maligna quando comparada com a antecessora Delta. Na maioria dos casos, tem se revelado assintomática ou provocado sintomas ligeiros.

    O diretor-geral da OMS alertou para o risco de se desvalorizar a Ômicron, afirmando que embora a variante se mostre menos grave, especialmente entre as pessoas vacinadas, “isso não significa que possa ser classificada como ligeira”.

    Agência Brasil

  • Parnamirim oferta vagas para curso de eletricista na área de energias renováveis

    A Prefeitura de Parnamirim em parceria com o Instituto Federal do Rio Grande do Norte – IFRN vai ofertar à população parnamirinense 80 vagas para o Curso de Formação Inicial e Continuada de Eletricista de Sistemas de Energias Renováveis. 

    A pré-inscrição deve ser realizada na Secretaria de Assistência Social (Semas), localizada na Rua Aspirante Santos, 396, em Santos Reis, dos dias 17 a 20 de janeiro, no horário das 7h30 às 13h. O curso terá duração de 200h/aula, contemplando teoria e prática, e será ministrado através do Pronatec, programa de qualificação profissional voltado à inserção de jovens e adultos no mercado de trabalho. Serão 2 turmas com 40 vagas cada, uma no período da manhã e outra à tarde. 

    Podem se inscrever estudantes, trabalhadores e beneficiários de programas do Governo Federal, do sexo masculino e feminino, maiores de 18 anos. A escolaridade mínima exigida é o ensino fundamental I completo (5° ano). Esta modalidade de capacitação consiste em uma linha de fomento para a oferta de vagas em cursos de qualificação profissional na área de Eletricista de Sistemas de Energias Renováveis, executado através de bolsa formação (Lei n° 12.513/2011), no âmbito do Pronatec. As vagas oferecidas geram ótimas possibilidades de estágio profissional para os alunos que mais se destacarem.

    As aulas serão presenciais no Campus Parnamirim do IFRN. A previsão é que a primeira turma inicie as aulas já no mês de fevereiro.

    No ato da pré inscrição, será necessário apresentar cópia da seguinte documentação:

    – RG;

    – CPF;

    – Comprovante de residência;

    – Comprovante de escolaridade; e

    – Dados bancários (agência e conta).

  • Testes mostram que atual vacina da gripe protege contra H3N2 Darwin

    O Instituto Butantan, fabricante da vacina contra a gripe utilizada no Programa Nacional de Imunização (PNI) no país, informou hoje (6) que testes de laboratório realizados pelo instituto mostraram que o imunizante é capaz de conferir proteção contra infecção pelo vírus influenza H3N2 (Darwin), mesmo sem ter a cepa na sua composição. A variante H3N2 Darwin é responsável pelo surto de gripe que atinge várias partes do país.

    Segundo o diretor de produção do Instituto Butantan, Ricardo Oliveira, a vacina atual, trivalente, feita contra os vírus da influenza H1N1, H3N2 e B, protege contra a H3N2 Darwin de forma cruzada, ou seja, neutraliza essa variante em razão de ter em sua composição a proteção contra a cepa H3N2 original, “parecida” com a Darwin. 

    “Você tem um grau muito próximo de parentesco com a sua mãe, mas você é diferente dela. As cepas da influenza são parentes, têm mudanças na estrutura viral, nos aminoácidos, mas têm partes do vírus que são as mesmas e ela confere essa proteção mesmo com a atualização do vírus”, disse.

    Oliveira ressalvou, no entanto, que a atual vacina produz uma proteção menor do que um imunizante fabricado especificamente contra a cepa H3N2 Darwin. “A vacina que temos hoje traz uma proteção cruzada contra a Darwin, menor do que a vacina específica, mas confere. Vimos isso nos reagentes que usamos no controle de qualidade, nas reações in vitro”.

    Nova vacina

    A nova versão da vacina da influenza, que será distribuída em 2022 pelo PNI do Ministério da Saúde, é trivalente, composta pelos vírus H1N1, H3N2 (Darwin) e a cepa B, e já está sendo produzida pelo Butantan em suas fábricas. O envase está previsto para a primeira semana de fevereiro. 

    O Instituto Butantan produz atualmente 80 milhões de doses da vacina contra influenza anualmente oferecidas na campanha nacional de vacinação contra a gripe. O imunizante é modificado a cada ano baseado nos três subtipos do vírus influenza que mais circularam no ano anterior no hemisfério Norte, monitorados e indicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

    Agência Brasil

Voltar ao Topo

Entrar

Esqueceu a senha?

Esqueceu a senha?

Insira os dados da sua conta e nós lhe enviaremos um link para redefinir sua senha.

Seu link de redefinição de senha parece ser inválido ou expirou.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.