Últimas histórias

  • Hospital Varela Santiago lança campanha “Aniversário Solidário”

    O Hospital Infantil Varela Santiago lança essa semana uma nova campanha de doações, o “Aniversário Solidário”. Com a iniciativa, o aniversariante abre mão do seu presente e o reverte para doações em dinheiro à instituição.

    “É uma maneira fantástica de ajudar o Varela. O momento de pandemia tem nos trazido vários problemas, inclusive de distanciamento dos nossos doadores. Então, a intenção foi utilizarmos a tecnologia para reaproximá-los. Com essa ferramenta, vamos oferecer aos aniversariantes que querem ajudar o hospital, comodidade, facilidade, e transparência para as suas doações. Muitas são as pessoas que tem esse espírito de solidariedade, e que, ao fazer aniversário, preferem fazer do seu presente um presente as nossas crianças”, explica Francisco Regis, gerente administrativo do hospital.

    As contribuições entram direto na plataforma de doações da Instituição e todo o valor arrecadado é revertido para custeio, manutenção do Hospital e tratamento dos pacientes.

    Para aderir é muito simples. Veja como funciona:

    1 – O interessado envia um e-mail com o título “Aniversário Solidário” para o endereço: marketing@hospitalvarelasantiago.org.br colocando seus dados para contato e data da comemoração;

    2 – A equipe de marketing do hospital retorna o contato através do e-mail e cria uma página de site personalizada para o aniversariante divulgar com o link da campanha;

    3 – Pronto! O aniversariante divulga o link da campanha para sua rede e comemora o seu aniversário com uma linda corrente do bem, de qualquer lugar do país e ajudando a transformar pequenas vidas em grandes histórias!

    Sobre o hospital

    O Varela Santiago atende crianças e adolescentes de 0 a 14 anos, de todo o estado do Rio Grande do Norte. A Instituição realiza em torno de 15 mil procedimentos por mês, todos prestados exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O hospital conta com 110 leitos para internamento, além da Casa de Apoio Nazinha Lamartine que fornece abrigo, alimentação e material de higiene para os acompanhantes durante o período de internamento dos pacientes.

  • E-book aborda o impacto das plataformas digitais no jornalismo

    A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) lançou, nesta terça-feira, 18, o e-book “O impacto das plataformas digitais no Jornalismo”. Fruto do trabalho de jornalistas e pesquisadores de diferentes áreas, com o apoio da Fundação Friedrich Ebert, a publicação reúne artigos que tratam do impacto político, econômico e cultural das mega corporações mundiais da internet no ecossistema jornalístico brasileiro, notadamente, das plataformas digitais de negócios e de redes sociais.

    O livro tem o objetivo de traçar, de forma interdisciplinar, ao longo de sete capítulos, o retrato de como a internet está estruturada no país, seu impacto na contemporaneidade, as consequências da sua presença na sociedade e, especialmente, seu reflexo no jornalismo. A organização é do diretor de Relações Institucionais da FENAJ, José Augusto Camargo.

    Apesar da promessa inicial de ser um espaço de liberdade de opinião, a internet acabou dominada por corporações como Google, Apple, Facebook, Amazon e Microsoft. “Estes grupos, que não são por si mesmos produtores de conteúdo, mas sim intermediadores e distribuidores da produção de terceiros, paradoxalmente limitam o alcance e a qualidade da informação consumida pela maioria das pessoas na rede mundial de computadores. Um dos resultados desta contradição é o enfraquecimento da imprensa escrita”, alerta a publicação.

    Para a presidente da FENAJ, Maria José Braga, é papel do poder público (Estado) garantir ao cidadão informação jornalística de qualidade. “É a informação de qualidade que produz exercício da cidadania. Então, o financiamento público para a produção jornalística é essencial. Ele precisa ser transparente. E é isso o que a FENAJ vem propondo com esse projeto de criação de um fundo para apoio e fomento do jornalismo”, pontua.

    👉🏽 Acesse o e-book em www.fenaj.org.br

  • CPI da Pandemia promete semana agitada

    Nesta semana, a CPI da Pandemia fará audiências sobre a chegada de vacinas ao Brasil. A comissão ouvirá a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), responsável pela autorização para uso de imunizantes no país, e a Pfizer, empresa americana cujas vacinas foram rejeitadas pelo governo federal em 2020.

    Na terça-feira (11), a comissão recebe Antônio Barra Torres, diretor-presidente da Anvisa. A agência deu início às aprovações de vacinas em janeiro, com autorização emergencial para a chinesa CoronaVac, e até agora já liberou o uso de quatro imunizantes: além da CoronaVac, as vacinas da Janssen, da Oxford/Astrazeneca e da Pfizer. Apenas as duas últimas têm registro definitivo, enquanto as outras se baseiam em autorização emergencial.

    Recentemente, a Anvisa foi criticada por impedir a distribuição da vacina russa Sputnik V, alegando falhas no processo de produção. A CPI requisitou que a agência apresentasse atas e registros em vídeo das suas reuniões em que se tratou da Sputnik V.

    Pfizer

    Na quinta-feira (13) a CPI receberá Marta Díez, presidente da subsidiária brasileira da Pfizer. A empresa farmacêutica recentemente entregou cerca de 1 milhão de doses ao Brasil, mas já negociava com o governo brasileiro desde o ano passado. Segundo relatos da companhia, o governo rejeitou as primeiras ofertas. A vacina da Pfizer foi a primeira a obter registro definitivo na Anvisa, no final de fevereiro.

    Também sobre as negociações com a Pfizer, a CPI ouvirá na quarta-feira (12) o ex-ministro da Secretaria de Comunicação da Presidência da República Fábio Wajngarten, que deixou o cargo no início de março. Em entrevista concedida algumas semanas depois, Wajngarten atribuiu ao ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello a responsabilidade pelo encerramento das negociações com a farmacêutica.

    Pazuello será ouvido pela CPI no próximo dia 19. Seu depoimento seria na semana passada, mas foi adiado após ele informar que teve contato com casos confirmados de covid-19.

    Requerimentos

    A CPI continuará votando requerimentos durante a semana. O relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), apresentou pedido de convocação de Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho do Ministério da Saúde. O documento atribui a ela a defesa de medicamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19. Na última quinta-feira (6), o chefe da pasta, ministro Marcelo Queiroga, afirmou que sua gestão não participou da distribuição desses remédios.

    Os senadores também querem convocar titulares de outros ministérios — como Economia, Casa Civil, Ciência e Tecnologia, Justiça, Relações Exteriores e CGU — e governadores estaduais. Por enquanto, a CPI apenas requisitou informações dos órgãos e dos estados, mas não chamou nenhuma dessas autoridades para prestar depoimento.

    * Informações da Agência Senado/ Ilustração “caiu na rede”

  • Ônibus terão limite de passageiros

    A Prefeitura do Natal, através da Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal (STTU) publicou uma nota técnica nesta sexta-feira (07) que define a capacidade máxima de lotação dos ônibus urbanos em 40 passageiros sentados e 15 em pé enquanto a pandemia de Covid-19 estiver em seu período crítico.

    A medida, adotada para evitar as aglomerações de passageiros e os riscos de contágio com o coronavírus prevê que o limite de 3 pessoas por metro quadrado. Os veículos devem ter demarcações dos espaços.

    Vamos ver agora como isso vai funcionar.

  • Câmara debate aglomerações nos ônibus

    As aglomerações no transporte público de Natal foram debatidas nesta sexta (07) na Câmara Municipal.  Os vereadores questionaram sobre custos do transporte com gratuidades e meia passagem de estudantes, contrapartidas das isenções fiscais concedidas pelo Município e pelo Estado às empresas, dívidas das empresas com o município, divulgação das medidas adotadas para orientar os usuários, além da possibilidade de manter distanciamento nos ônibus e de aumentar a frota ou as viagens.

    Os técnicos da STTU apresentaram uma nota técnica com todas as informações sobre a frota atual, os impactos da pandemia no transporte público, cálculo da tarifa, demanda de passageiros e os parâmetros e critérios que definem essa demanda. De acordo com o secretário da STTU Paulo César Medeiros, a frota está em torno de 70% e a demanda em 40% e algumas linhas foram acrescidas para atender os usuários.

    Participaram da reunião os vereadores Divaneide Basílio (PT), Brisa Bracchi (PT), Nina Souza (PDT) e os vereadores Anderson Lopes (SDD), Eribaldo Medeiros (PSB), Robério Paulino (PSOL), Luciano Nascimento (PTB), Preto Aquino (PSD), Raniere Barbosa (AVANTE) e Milklei Leite (PV,  representantes da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), da Defensoria Pública Estadual e representantes do Sindicato das Empresas e Ônibus (Seturn) e da secretarias de Tributação do Estado e do Município.

    Para os vereadores, o debate foi importante, apesar de permanecer sem definição sobre o retorno da totalidade da frota.  Ou seja, as aglomerações devem continuar.

    * Com informações e foto da Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal do Natal

Voltar ao Topo

Entrar

Esqueceu a senha?

Esqueceu a senha?

Insira os dados da sua conta e nós lhe enviaremos um link para redefinir sua senha.

Seu link de redefinição de senha parece ser inválido ou expirou.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.