Dengue

Um foco monstro de dengue foi encontrado hoje (14) pela manhã num terreno baldio da vizinhança. De acordo com o agente comunitário de saúde que visitou nossa casa, copos e garrafas vazias serviam de criadouro para o mosquito em meio a muito lixo. Disse que conversou com a família que morava ao lado e, junto com um colega, tentou limpar o que conseguiu.

Aqui em casa, nenhum foco foi achado. Apesar disso, estamos todos – os quatro moradores – doentes. Meu filho adolescente foi diagnosticado ontem com dengue. Minha mãe na semana passada. Eu estou me sentindo só a palha do milho debulhado. Testes negativos para covid. Repouso e canja de galinha. E esperança de que um dia as pessoas aprendam a cuidar da coletividade e do ambiente em que vicem. Haja esperança!

Saiba mais sobre a Dengue

Dengue não é só meu apelido de faculdade em Brasília, é uma virose adquirida através da picada do mosquito Aedes aegypti, que se manifesta sob duas formas clínicas: a clássica, de evolução benigna, e a hemorrágica, mais grave e de maior risco de complicações e morte. Em qualquer forma clínica, os sintomas mais comuns são febre, enjoo, vômitos, dor nos olhos, cansaço, falta de apetite, dores no corpo, principalmente nos músculos e nas articulações e dores de cabeça. Em alguns casos, podem também aparecer manchas vermelhas pelo corpo e sangramento, mais comum nas gengivas.

O Aedes aegypti é um mosquito pequeno, de cor escura e rajado de branco, bem adaptado às áreas urbanas. O inseto ataca o homem durante o dia. O mosquito tem a capacidade de se proliferar em qualquer lugar, onde se acumula água limpa, como caixas d’ água, cisternas, latas, pneus, cacos de vidro, tampinhas de garrafa e vasos de plantas.

Alguns cuidados para evitar a proliferação do mosquito:

·Escorrer a água dos pratinhos de vasos de plantas ou de xaxins dentro e fora de casa e preenchê-los com areia até a borda;

·Retirar a água acumulada nas bromélias ou outras plantas;

·Manter AS lixeiras tampadas;

·Não deixar em quintais, nem jogar em terrenos baldios, tampinhas de garrafas, cascas de ovo, latinhas, saquinhos plásticos de cigarros, embalagens plásticas e de vidro, copos descartáveis ou qualquer outro objeto que possa acumular água. Colocar tudo em saco plástico e jogá-lo NO lixo;

·Manter os pneus fora de uso em LOCAL coberto, secos e protegidos da chuva;

·Lavar com sabão em água corrente, pelo menos uma vez por semana,os potes com água oferecidos aos animais domésticos (cão, gatos, etc.);

·Manter o vaso sanitário tampado e dar sempre descarga;

·Manter os ralos de cozinha, banheiro, sauna e ducha fechados quando estiverem fora de uso;

·Retirar sempre a água das bandejas externas de geladeiras;

·Lavar o interior dos suportes dos garrafões de água mineral durante a troca do galão;

·Manter limpos os lagos, cascatas e espelhos de água decorativos;

·Lavar AS paredes internas dos tonéis e depósitos de água;

·Manter caixas de água, cisternas e poços tampados ou com telas quando a tampa própria não estiver disponível;

·Tratar a água das piscinas com cloro e limpá-las uma vez por semana. Se não forem usadas, devem ser mantidas vazias ou cobertas;

·Manter AS calhas limpas e desentupidas, removendo-se folhas e materiais que possam impedir o escoamento da água;

·Manter AS lajes limpas e secas;

·Colocar areia em todos os cacos de vidro nos muros que possam acumular água.

Com informações da UFRJ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

Mossoró comemora 95 anos de resistência em memória aos que lutaram contra o bando de Lampião

Michael Diniz toma posse como deputado estadual na Assembleia Legislativa do RN