“O boi careta”: EDUFRN lança edição impressa do livro de Newton Navarro

“O chão era de terra vermelha, varrido do vento. Vez por outra, – um Nordeste mais brando, passageiro – vento maluco, brincalhão, levantando a poeira, fazia redemoinhos, trazendo um cheirinho de chuva. Mas, que nada! Molha não molha”. A descrição do interior sertanejo no comecinho do conto “O boi careta” é prova direta da intimidade de Newton Navarro com o ambiente onde viveu seu eu lírico. Conhecido pelas artes plásticas, Navarro – que para os desavisados é apenas o nome de uma ponte – sabia traduzir como poucos as intimidades do Nordeste, perfeitamente retratado em suas gravuras, mas também na literatura que ele deixou. Um pedacinho desse trabalho volta às cabeceiras através da Editora da UFRN (EDUFRN) que está lançando, nesta quinta-feira, 2, a versão impressa do livro O boi careta e a morte do cavalo baio.

O livro reúne sete contos de Newton Navarro, selecionados a partir de um trabalho dos escritores Paulo de Tarso Correa de Melo e Gustavo Sobral. De acordo com Paulo de Tarso, os textos foram apresentados a ele por Jurandyr Navarro, primo de Newton. Os documentos estavam reunidos em pasta plástica em que figurava a representação de um desenho de Navarro utilizado pela UFRN em evento datado entre 12 e 17 de julho de 1998. “De acordo com Jurandyr, o material havia chegado em suas mãos através de Salete Navarro, esposa de Newton”, conta Paulo. 

De acordo com Helton Rubiano, diretor adjunto da EDUFRN, o lançamento do livro O boi careta e a morte do cavalo baio representa mais uma ação alusiva aos 60 anos da Editora. “A versão impressa, cinco anos depois da versão digital, simboliza, ainda, a atenção da EDUFRN sobre o público, cuja preferência é o suporte papel. A escolha de Newton Navarro para esse investimento decorre da importância do seu nome no cenário artístico-cultural do estado”, diz Helton. 

Na apresentação da nova edição do livro, o reitor José Daniel Diniz Melo lembra que a versão digital desta obra está disponível no Repositório Institucional desde 2017. “O livro no formato que ora é entregue ao leitor, revela nossa disposição em homenagear, de um modo que certamente o agradaria, esse ícone das artes plásticas – e também da literatura potiguar – chamado Newton Navarro. E, se assim procedemos, é igualmente para valorizar uma tradição que remonta à própria criação da Instituição, nascida sob a calorosa saudação de Câmara Cascudo, também professor de Direito na universidade nascente. Não chega a ser uma mera coincidência, aliás, que os dois – Navarro e Cascudo – tivessem defendido tão fervorosamente, em suas produções, a noção de pertencimento à terra potiguar”, diz o reitor.

Para ele, a leitura do livro pode comprovar não apenas o extraordinário talento do autor, mas a força do amor telúrico de um dos maiores artistas da terra potiguar. “Creio, por isso, que o leitor – como eu – haverá de se sentir recompensado com a beleza da edição e a leitura desses contos, alguns dos quais produzidos à época em que também surgiu o notável pintor. Seus enredos são simples, assim como são os personagens. Porém, uns e outros surgem transbordantes de humanidade e beleza plástica”, completa José Daniel Diniz Melo. 

No posfácio do livro, o jornalista e escritor Gustavo Sobral apresenta uma biografia bem elaborada do autor, contando desde sua excursão pelas artes plásticas até sua participação na cena artística potiguar. “Navarro está por toda a cidade. É o pintor do álbum de futebol que alguém guardou, é o homem que vivia na Redinha junto aos pescadores. É um pôr do sol sobre o rio Potengi, é os marinheiros no cais, é a crônica nos arquivos da Tribuna do Norte, é aquele que era reconhecido em todos os bares. Personagem da cidade, Navarro é mito”, escreveu Sobral.

Lançamento

O lançamento da edição física do livro O boi careta e a morte do cavalo baio acontece nesta quinta-feira, 2 de junho, às 18h, no foyer da Galeria Conviv’Art do Núcleo de Artes (NAC/UFRN) – prédio anexo à Biblioteca Central Zila Mamede. As confirmações podem ser feitas no e-mail cerimonial@reitoria.ufrn.br. No dia do lançamento serão oferecidos, em caráter de doação, 100 exemplares ao público presente. Após esse momento, os livros serão comercializados diretamente pela EDUFRN. É importante ressaltar que a versão digital continuará disponível, em acesso aberto, no Repositório Institucional da UFRN.

O autor*

Newton Navarro Bilro (1928-1991), nasceu e viveu em Natal, Rio Grande do Norte. Cidade que foi a sua grande paixão, espaço dos seus encantos e de suas vivências, expressão da sua arte. Pintor, desenhista, teatrólogo, orador, Newton Navarro praticou a excelência nas manifestações artísticas às quais se dedicou. Uma delas, a literatura, e foi assim também poeta, cronista, contista e novelista. 

Amado e querido na cidade, cometeu crônicas nos jornais da cidade nos anos 1950, lançou a arte moderna em Natal, influenciou gerações, cultivou amigos. Contista moderno, recebeu elogios de Jorge Amado e Erico Verissimo. Em 1961, lançou, em grande festa, o primeiro livro de contos, O solitário vento do verão. Não demorou e mais um livro de contos foi publicado, Os mortos são estrangeiros, nos anos 1970. São estas algumas das obras que reúnem o tanto que escreveu. O boi careta e a morte do cavalo baio integram-se a estes títulos.

*Trecho retirado da orelha do livro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

Comissão aprova criação da Política Municipal para população de rua de Natal

Mossoró: Uern realiza nesta sexta (03) drive thru para testagem de Covid-19