Governo e FIERN lançam plataforma do Atlas Eólico e Solar do RN

O Governo do Rio Grande do Norte, em parceria com a Federação das Indústrias do RN (Fiern), através do Instituto Senai de Inovação (ISI) , lançou nesta segunda-feira, 28, a Plataforma do Atlas Eólico e Solar do RN. O atlas é investimento de R$ 2,6 milhões, foi elaborado por técnicos da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico (Sedec) e mapeia as áreas disponíveis para novos investimentos em usinas eólicas e solares, mede a velocidade do vento, irradiação solar, correntes migratórias da fauna, identifica áreas já ocupadas e disponíveis para orientar novos investimentos.

Além do atlas, a governadora Fátima Bezerra anunciou o Programa Norte-rio-grandense de Hidrogênio Verde e a conclusão dos estudos para instalação de um porto-indústria no estado para dar suporte à indústria eólica offshore (no mar) – que exige a fabricação de aerogeradores no local – que poderá ser executado por meio de parceria público-privada (PPP).

“Atuar para o desenvolvimento e defender as energias renováveis é defender e construir, hoje, o futuro”, afirmou a governadora Fátima Bezerra na solenidade na sede da Fiern, em Natal. Ela lembrou que o RN é o estado líder em produção de energia eólica com 6,5 gigawhats e com potencial para produzir equivalente a capacidade de 10 usinas hidroelétricas como Itaipu, a segunda maior do mundo. “Nosso Governo é centrado em fazer essa área avançar. Hoje temos investimentos de R$ 6,5 bilhões e até 2026 devemos chegar a R$ 13 bilhões em investimentos. Isto significa o fortalecimento da economia, mais oportunidades de trabalho e empregos”, declarou.

O presidente Fiern, Amaro Sales, disse que as iniciativas do Governo do Estado e o diálogo com as instituições representativas da sociedade “marcam positivamente a vida potiguar. Este Atlas, por exemplo, é fruto da relação franca e transparente entre o governo e as instituições. O RN vai exportar energia para o mundo, hoje majoritariamente eólica, mas temos imenso potencial solar e hidrogênio verde. O governo da professora Fátima junto com a Fiern faz um grande trabalho. Estamos no caminho certo, tenho certeza”.

Para a diretora da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), Elbia Gannoum, o Rio Grande do Norte avança no campo das energias renováveis. “São muito importantes as ações que o Governo do Estado desenvolve. A Abeeólica pensa nos investidores, no Estado, nas pessoas e na saúde do planeta, na transição energética na perspectiva de negócios. E reconhecemos a importância da ciência, da inovação, das novas tecnologias como o hidrogênio verde que é o futuro que começa agora. Isto vemos acontecer aqui no Rio Grande do Norte, que cria oportunidades, condições favoráveis e torna o ambiente amigável aos investimentos”, registrou.

CARTA ABERTA

No evento no auditório da Fiern, também foi lançada a “Carta Aberta das Energias Renováveis para o Brasil”. O deputado Danilo Forte, presidente da Frente Parlamentar de Energias Renováveis da Câmara Federal, considerou o momento como “histórico e diferenciado para o RN e para a região Nordeste que enfrenta o desequilíbrio econômico. Hoje damos uma aula ao Brasil por abastecer o país com o conforto da energia limpa, moderna e barata. Parabéns ao Governo do RN pela luta em abrir espaços para os investimentos, tornando o Estado o maior produtor nacional”.

Ele se referiu ao desequilíbrio no clima com graves consequências para a sociedade provocadas pelo consumo de combustíveis fósseis. “Esta carta que estamos lançando aqui demonstra ao Brasil nossa preocupação com a busca de unidade pela segurança energética diante do alto potencial que dispomos; por energia barata, menos onerosa, que venha a proporcionar produtos e serviços mais baratos, reduzindo o custo de vida e aumentando o PIB, as exportações, fazendo crescer o mercado interno, os empregos, a massa salarial e a renda informal, trazendo reflexos positivos sobre o funcionamento da economia e, por consequência, na arrecadação”. Reforçando a oportunidade da proposição da Carta, Danilo Forte se referiu ao discurso do pré-sal “que era baratear os combustíveis no Brasil. Mas hoje vemos o contrário, grandes dificuldades para a economia e para a população”, concluiu.

Acesse aqui o Atlas Eólico e Solar do RN: http://atlaseolicosolarn.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

Prefeitura de Natal abre 320 vagas para cursos de capacitação profissional em diversas áreas

Natiruts apresenta novo show neste sábado (02) na Arena das Dunas