E-book da EDUFRN reúne olhares sobre a saúde da população negra no Brasil

O novo livro da Editora UFRN (EDUFRN), Raça e saúde: múltiplos olhares sobre a saúde da população negra no Brasil, debate aspectos sociais, políticos, históricos e culturais que permeiam a existência de corpos negros no país. O e-book nasceu da parceria entre Isabelle Barbosa, professora da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa/UFRN), Kezauyn Miranda, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSCOL/UFRN), e Talita Araújo de Souza, doutoranda em Ciências da Saúde (PPGCSA/UFRN).

Para a elaboração da obra, foi necessária a visão da temática a partir da união de vários saberes e aproximações com os temas da saúde da população negra brasileira, tendo sido construído um esforço conjunto de especialistas de diversas áreas do conhecimento. A massiva participação de pesquisadores da saúde na autoria do livro é um destaque, considerando a invisibilização histórica que a população negra tem recebido por esse campo do conhecimento.

Ao longo de seus 19 capítulos, o livro se aprofunda em recortes sociais da vivência de pessoas pretas no Brasil, abordando a realidade de mulheres, quilombolas, idosos, povos de terreiros, pessoas com transtornos mentais e outros grupos postos à margem da sociedade. A obra manifesta a prioridade da implementação de uma política de saúde da população negra e enfatiza a importância de ela ser incluída na criação dessas políticas.

Destaca-se a necessidade de formação e conscientização de gestores e profissionais sobre a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra (PNSIPN) e a problemática do racismo institucional, que é tão influente na vida e na morte da população negra. Na análise feita pelas escritoras, as formas de racismo que subjugam e excluem as pessoas negras da sociedade demonstram a ineficácia do modelo brasileiro de democracia racial, e é justamente dessa falha que nascem as iniquidades em saúde que atingem a população negra brasileira, o que torna a cor da pele um marcador do processo de cuidado.

A obra levanta um debate minucioso sobre as condições de vida e de saúde da população negra brasileira, enfatizando que não é uma população doente, mas, sim, que o processo saúde-doença-cuidado desse grupo possui outra magnitude e transcendência. Todos os caminhos apontam para o fato de que é necessário, durante a formação de profissionais de saúde, educar sobre questões raciais e incluir pessoas pretas nesse meio.

Para mais informações e aprofundamento no tema, a leitura já está disponível de forma gratuita e online.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

Edição de novembro da Papangu na Rede já está no ar

Pix Saque e Pix Troco estão disponíveis a partir de hoje