Últimas histórias

  • Sobre

    UFRN promove concurso para professor adjunto e auxiliar

    A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp), abriu inscrições para concurso público para professor adjunto e auxiliar. Ao todo, o edital disponibiliza 27 vagas imediatas. As inscrições, feitas exclusivamente pelo SIGRH, pelo menu Concursos, devem ser realizadas até o dia 12 de julho.

    Para o campus de Natal são ofertadas dez vagas, uma para cada unidade de lotação. As áreas são Mecânica dos Sólidos, Teoria da Elasticidade e Dinâmica de EstruturasCircuitos para Comunicação e Redes InteligentesGeologia EconômicaPediatria GeralGeriatria/Saúde do Idoso/Internato em Medicina de Família e Comunidade/MAPSHematologiaHematologia ClínicaDireção de arte, animação e prática na criação e na finalização das imagensFilosofia ModernaHipersônica e MatemáticaInteligência Artificial e Ciência de Dados Aplicadas a Negócios.

    Nove vagas são destinadas às diversas áreas de Saúde da Escola Multicampi de Ciências Médicas. O Centro de Ensino Superior do Seridó (Ceres) oferta duas vagas, uma delas para a área de Administração e Gestão de Tecnologia da Informação, e a outra para a área de Direito Processual Civil e Direitos Especiais. Três vagas para a Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa) e três vagas para a Faculdade de Engenharia, Letras e Ciências Sociais do Seridó (Felcs), nas áreas de Engenharia de Produção e Administração Geral. Todas as informações referentes às vagas estão disponíveis no edital.

    A taxa de inscrição é diferente para cada vaga: R$ 220 para professor Adjunto A, com dedicação exclusiva; R$ 150 para professor adjunto A, com carga horária de 40h semanais; R$ 80 para professor adjunto A, com carga horária de 20h semanais; R$ 50 para professor auxiliar, com regime de trabalho de 20h semanais. É necessário efetuar o pagamento até o dia 15 de julho, no local indicado na Guia de Recolhimento da União (GRU).

    A prova escrita de todas as áreas de conhecimento será aplicada no dia 9 de outubro, às 8h, no município de Natal, com exceção do Departamento de Computação e Tecnologia e do Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas, ambos do Ceres, e das áreas de Administração e Gestão de Tecnologia da Informação e Hematologia Clínica, que será aplicada às 14h. As demais etapas do processo têm previsão de ocorrer entre os dias 10 de outubro a 28 de outubro.

  • Sobre ,

    Trio Calidris apresenta recital na EMUFRN no dia 02 de julho

    O trio de música Calidris, composto por três professores da UFRN, apresenta recital na Escola de Música (EMUFRN). Formado por Lourenço de Nardin Budó, no violino, Frederico Nable, no violoncelo, e Joana Holanda, no piano, o grupo apresenta obras do repertório de Música de Câmara e um prelúdio das Cinco Miniaturas Brasileiras de Edmundo Villani-Cortês. O evento acontece no dia 2 de julho, às 14h30, com entrada gratuita.

    O grupo, que tem o nome do gênero de aves migratórias e que viajam pelo litoral do Brasil, é formado por uma brasiliense, Joana, um mineiro, Frederico, e um gaúcho, Lourenço. O nome foi escolhido para representar a multi-regionalidade do grupo, como revelado pelo violinista. Lourenço dedica-se à atuação na Música de Câmara, além de ensino e pesquisa sobre técnicas contemporâneas no violino. Frederico é professor de violoncelo, sendo coordenador da Orquestra Infanto-juvenil da UFRN, e Joana atua como pianista e camerista.

    O evento se inicia com a apresentação da composição de Edmundo Villani-Côrtes, Cinco Miniaturas Brasileiras, prelúdio que será a abertura do recital e que se trata de uma adaptação para trio. Após a introdução, a primeira obra a ser apresentada é o Trio Op. 70, em Ré maior, de Beethoven. Lourenço conta que a composição é conhecida como Fantasma, pois há o contraste do movimento intermediário com os outros que fazem parte da obra. “Nós entendemos que o motivo dessa alcunha é justamente aquele segundo movimento que é muito lento, muito estático e tem um contraste gigantesco com os outros dois movimentos”, afirma.

    A segunda obra apresentada é Las Cuatro Estaciones Porteñas, de Astor Piazzola. A composição foi originalmente feita para formação de quinteto com bandoneón, instrumento que produz som a partir de palhetas. O trio fará a apresentação com o arranjo para violino, violoncelo e piano do programa de José Bragato, violoncelista italiano que tocou com Piazzola. 

    “Nesse arranjo, nós adicionamos alguns elementos, porque são vários efeitos, várias coisas que se fazem na música do tango argentino em geral”, o violinista explica. Ele adiciona que as composições de Piazzola tinham características de improvisação, com efeitos que não estavam prescritos ou anotados, enfatizando a diferença com obras de Beethoven.

    As composições apresentadas têm características distintas, Budó descreve Piazzola como alguém que revolucionou as harmonias do tango, havendo uma grande inspiração. “Diferentemente de Beethoven, que tem uma música muito fluida, orgânica, muito escrita e prescrita, as partes e as justificações, principalmente de dinâmica pros três instrumentos, interagem muito, mas de forma equilibrada”, argumenta.

    Programação:

    Edmundo Vilani – Cortês (n.1930)

    – Cinco Miniaturas Brasileiras – Prelúdio

    L.v. Beethoven (1770-1827)

    Trio Op. 70 – Allegro vivace e con brio

    – Largo assai ed Expressivo

    – Presto

    Astor Piazzola (1921-1992) – Cuatro Estaciones Porteñas

    – Primavera

    – Verão

    – Outono

    – Inverno

  • Sobre , ,

    Orquestra Filarmônica da UFRN realiza apresentações em São Paulo

    Depois que precisou trocar os palcos por apresentações virtuais durante o período mais crítico da pandemia de covid-19, a Orquestra Filarmônica da UFRN (FIL) retornou aos poucos suas apresentações presenciais desde a flexibilização das restrições, sempre arrastando público considerável. Para marcar esse retorno também fora do RN, a FIL se prepara para duas apresentações de grande relevância. Nos dias 23 e 24 de julho, será recebida, respectivamente, na Sala São Paulo e no Festival de Campos do Jordão. 

    “O convite para o evento em Campos veio do diretor artístico do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, o violonista Fábio Zanon, que no ano passado atuou como nosso solista e ficou bem impactado com a qualidade da Filarmônica UFRN”, diz André Muniz, professor e maestro da orquestra. Um dos maiores violonistas brasileiros de todos os tempos e um dos mais influentes da atualidade, continua Muniz, Fábio Zanon representa para os violonistas clássicos brasileiros a epítome da música erudita de corda.

    Buscando enfatizar a produção erudita da região Nordeste, a Filarmônica vai explorar produções regionais em ambas as apresentações. De acordo com André Muniz, serão duas apresentações e ambas têm um repertório focado em compositores nordestinos ou que contribuíram para a edificação de composições nessa região, como é o caso de Guerra-Peixe. O maestro também destaca a première de uma obra especialmente composta pelo professor Caio Facó para ser estreada na Sala São Paulo.

    Foto: Anastácia Vaz – Agecom/UFRN

    A Sala São Paulo é o berço da música clássica no Brasil, inaugurada no dia 9 de julho de 1999, foi a primeira sala de concertos do Brasil, considerada uma das melhores do mundo desde a sua concepção. O Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão é reconhecido como o maior evento de música clássica da América Latina. 

    Com 12 anos em atividade, a Filarmônica UFRN é formada exclusivamente por alunos da Universidade e tem sido um laboratório orquestral de projeção de músicos para o mercado nacional e internacional. Em sua história, a Filarmônica coleciona prêmios e participações em grandes eventos. Foi o primeiro conjunto orquestral do Rio Grande do Norte a realizar uma turnê pela Alemanha, em projeto de parceria entre a UFRN e o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD). Outro momento auge foi o concerto, em 2019, para o Papa Francisco, no Vaticano, com apresentação de obras inéditas de compositores potiguares.

  • Sobre

    UFRN: Inscrições abertas para curso sobre políticas públicas de igualdade de gênero

    O programa de extensão Observatório das Desigualdades, ligado ao Departamento de Administração Pública e Gestão Social (DAPGS), do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA/UFRN), abriu inscrições para o curso Observa Pesquisa. O foco está nos temas da primeira etapa da pesquisa políticas de igualdade de gênero (mulheres e LGBTQIA+), raça e juventude. Aberta ao público, a atividade acontece nos dias 5 e 7 de julho. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas no Sigaa.

    No primeiro dia do curso, 5 de julho, o foco será nas desigualdades em uma perspectiva interseccional e nas políticas para as mulheres e LGBTQIA+. No segundo, 7 de julho, serão discutidas as políticas de juventude e igualdade racial. As discussões serão em torno das políticas públicas do Rio Grande do Norte. Nos dois dias, a programação contempla uma parte expositiva (painéis) e uma segunda (oficina), que envolve a discussão nos grupos de trabalho, sendo essa última conduzida pelas integrantes do projeto de pesquisa e demais membros do Observatório.

    São ofertadas 60 vagas com certificados para o curso de extensão (40 internas para a UFRN e 20 externas, abertas a toda a comunidade). Os encontros ocorrerão a partir das 18h30, no auditório 1 do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Ciências Sociais Aplicadas (Nepsa 2). A carga horária total é de 6 horas, sendo 3 horas em cada dia.

    Para consultar a programação detalhada, com todas atividades e respectivos horários, acesse a página do evento no Sigaa.

    Ilustração: Freepik

  • Sobre ,

    Feira de Livros da Cooperativa Cultural acontece até sexta (10) na UFRN

    Depois de dois anos sem a possibilidade de reunir pessoas, livros, expositores, música e outras manifestações culturais e artísticas, a Cooperativa Cultural Universitária do Rio Grande do Norte retoma uma de suas mais prazerosas atividades e promove, até o dia 10 de junho, das 8h às 18h, no Centro de Convivência da UFRN, a 5° edição da Feira de Livros da Cooperativa.

    O evento não só traz de volta esse tipo de atividade que permite a reunião de pessoas pós-pandemia, como também é um símbolo de luta e resistência ao livro e à leitura, numa livraria que esse ano completa 45 anos de fundação e que traz como tema “Memória, Ancestralidade e Resistência”.

    “Escolhemos essa temática pra festejar nosso aniversário, uma vez que somos a única livraria cooperativa do país que segue aberta e a mais antiga em atividade de Natal. Outra questão que achamos importante abordar é o resgate memorialístico da nossa ancestralidade, no intuito de manter a identidade cultural e essência do nosso povo, principalmente nos dias de hoje” explica José Correia Torres Neto, presidente da Cooperativa.

    Durante o evento, o público pode assistir a curtas potiguares e apresentações culturais, participar de mesa redondas, lançamentos de livros com sessões de autógrafos e terá acesso ao conteúdo de editoras, livrarias e sebos. Entre os 20 expositores estão: Sebo Cata Livros, Sebo Vermelho, Seburubu, Sebo Gajeiro Curió, Sebo Magno, Sebo Lisboa, Casa do Cordel, Editora Escribas, Editora CJA, Editora da UFRN, Editora da IFRN, Espaço Colaborativo Milena Azevedo, Livraria Mundo e Coletivo Mulherio das Letras.

    A curadoria da programação foi pensada em consonância com o tema da Feira. Sobre Memória, por exemplo, será lançado o livro “Ribeira: beco, praça, travessas, ruas e avenidas históricas”, de Cícero Oliveira, José Clewton do Nascimento e José Correia Torres Neto. Nessa obra colaborativa, os autores fazem passeio histórico, fotográfico e arquitetônico, conduzindo o leitor a refletir sobre as condições atuais do boêmio bairro, além de relatarem histórias pessoais e marcantes do passado.

    Outro destaque é o lançamento do livro “Religare – Os Caminhos da Fé”, da jornalista e psicanalista Sheyla de Azevedo, que traz uma série de reportagens com adeptos de religiões não hegemônicas, aqui no Estado, com objetivo dar visibilidade a práticas religiosas que não têm os mesmos espaços na mídia. Além desse, uma manhã de autógrafos com as autoras que homenageiam o centenário de Edgar Morin. O livro “Epistemologia da Complexidade: Em Torno das Ideias de Edgar Morin” foi escrito por Conceição Almeida e “A Cidade de Natal no Centenário de Edgar Morin”, de autoria de Josineide Silveira e Eugênia Dantas.

    Em nível nacional e por meio de videoconferência, a programação conta com o Jornalista Zeca Camargo que conversa sobre a elaboração da biografia oficial de Elza Soares e com o jornalista Júlio Maria, autor da biografia de Ney Mato Grosso.

    “Durante o evento, os leitores, associados ou não, poderão comprar livros com 20% de desconto de grandes editoras parceiras da cooperativa, entre elas o Grupo Cia das Letras, Editora Perspectiva, Editora da Unesp, Editora Todavia, Editora Boitempo, Editora Aleph e Editora Vozes”, destaca Wani Fernandes, vice-presidente da Cooperativa.

    A quinta edição da Feira de Livros é uma realização da Cooperativa Cultural Universitária do RN, com o patrocínio da ADURN, CAURN, OCERN/SESCOOP, SICOOB, Governo do Estado do RN e Fundação José Augusto e conta com o apoio da PROEX, NAC, APURN, Agência SAIBA MAIS, SEDIS e Criativa Som e Luz.

    Acesse a programação completa: encurtador.com.br/atIQS

    SERVIÇO

    V Feira de Livros da Cooperativa Cultural

    Até o dia 10 de junho no Centro de Convivência da UFRN

    Agência Saiba Mais

  • Sobre

    “O boi careta”: EDUFRN lança edição impressa do livro de Newton Navarro

    “O chão era de terra vermelha, varrido do vento. Vez por outra, – um Nordeste mais brando, passageiro – vento maluco, brincalhão, levantando a poeira, fazia redemoinhos, trazendo um cheirinho de chuva. Mas, que nada! Molha não molha”. A descrição do interior sertanejo no comecinho do conto “O boi careta” é prova direta da intimidade de Newton Navarro com o ambiente onde viveu seu eu lírico. Conhecido pelas artes plásticas, Navarro – que para os desavisados é apenas o nome de uma ponte – sabia traduzir como poucos as intimidades do Nordeste, perfeitamente retratado em suas gravuras, mas também na literatura que ele deixou. Um pedacinho desse trabalho volta às cabeceiras através da Editora da UFRN (EDUFRN) que está lançando, nesta quinta-feira, 2, a versão impressa do livro O boi careta e a morte do cavalo baio.

    O livro reúne sete contos de Newton Navarro, selecionados a partir de um trabalho dos escritores Paulo de Tarso Correa de Melo e Gustavo Sobral. De acordo com Paulo de Tarso, os textos foram apresentados a ele por Jurandyr Navarro, primo de Newton. Os documentos estavam reunidos em pasta plástica em que figurava a representação de um desenho de Navarro utilizado pela UFRN em evento datado entre 12 e 17 de julho de 1998. “De acordo com Jurandyr, o material havia chegado em suas mãos através de Salete Navarro, esposa de Newton”, conta Paulo. 

    De acordo com Helton Rubiano, diretor adjunto da EDUFRN, o lançamento do livro O boi careta e a morte do cavalo baio representa mais uma ação alusiva aos 60 anos da Editora. “A versão impressa, cinco anos depois da versão digital, simboliza, ainda, a atenção da EDUFRN sobre o público, cuja preferência é o suporte papel. A escolha de Newton Navarro para esse investimento decorre da importância do seu nome no cenário artístico-cultural do estado”, diz Helton. 

    Na apresentação da nova edição do livro, o reitor José Daniel Diniz Melo lembra que a versão digital desta obra está disponível no Repositório Institucional desde 2017. “O livro no formato que ora é entregue ao leitor, revela nossa disposição em homenagear, de um modo que certamente o agradaria, esse ícone das artes plásticas – e também da literatura potiguar – chamado Newton Navarro. E, se assim procedemos, é igualmente para valorizar uma tradição que remonta à própria criação da Instituição, nascida sob a calorosa saudação de Câmara Cascudo, também professor de Direito na universidade nascente. Não chega a ser uma mera coincidência, aliás, que os dois – Navarro e Cascudo – tivessem defendido tão fervorosamente, em suas produções, a noção de pertencimento à terra potiguar”, diz o reitor.

    Para ele, a leitura do livro pode comprovar não apenas o extraordinário talento do autor, mas a força do amor telúrico de um dos maiores artistas da terra potiguar. “Creio, por isso, que o leitor – como eu – haverá de se sentir recompensado com a beleza da edição e a leitura desses contos, alguns dos quais produzidos à época em que também surgiu o notável pintor. Seus enredos são simples, assim como são os personagens. Porém, uns e outros surgem transbordantes de humanidade e beleza plástica”, completa José Daniel Diniz Melo. 

    No posfácio do livro, o jornalista e escritor Gustavo Sobral apresenta uma biografia bem elaborada do autor, contando desde sua excursão pelas artes plásticas até sua participação na cena artística potiguar. “Navarro está por toda a cidade. É o pintor do álbum de futebol que alguém guardou, é o homem que vivia na Redinha junto aos pescadores. É um pôr do sol sobre o rio Potengi, é os marinheiros no cais, é a crônica nos arquivos da Tribuna do Norte, é aquele que era reconhecido em todos os bares. Personagem da cidade, Navarro é mito”, escreveu Sobral.

    Lançamento

    O lançamento da edição física do livro O boi careta e a morte do cavalo baio acontece nesta quinta-feira, 2 de junho, às 18h, no foyer da Galeria Conviv’Art do Núcleo de Artes (NAC/UFRN) – prédio anexo à Biblioteca Central Zila Mamede. As confirmações podem ser feitas no e-mail cerimonial@reitoria.ufrn.br. No dia do lançamento serão oferecidos, em caráter de doação, 100 exemplares ao público presente. Após esse momento, os livros serão comercializados diretamente pela EDUFRN. É importante ressaltar que a versão digital continuará disponível, em acesso aberto, no Repositório Institucional da UFRN.

    O autor*

    Newton Navarro Bilro (1928-1991), nasceu e viveu em Natal, Rio Grande do Norte. Cidade que foi a sua grande paixão, espaço dos seus encantos e de suas vivências, expressão da sua arte. Pintor, desenhista, teatrólogo, orador, Newton Navarro praticou a excelência nas manifestações artísticas às quais se dedicou. Uma delas, a literatura, e foi assim também poeta, cronista, contista e novelista. 

    Amado e querido na cidade, cometeu crônicas nos jornais da cidade nos anos 1950, lançou a arte moderna em Natal, influenciou gerações, cultivou amigos. Contista moderno, recebeu elogios de Jorge Amado e Erico Verissimo. Em 1961, lançou, em grande festa, o primeiro livro de contos, O solitário vento do verão. Não demorou e mais um livro de contos foi publicado, Os mortos são estrangeiros, nos anos 1970. São estas algumas das obras que reúnem o tanto que escreveu. O boi careta e a morte do cavalo baio integram-se a estes títulos.

    *Trecho retirado da orelha do livro

  • Sobre ,

    UFRN: Podcast evidencia a voz de mulheres na ciência

    Promover o diálogo entre cientistas e a sociedade, disseminar informações sobre a desigualdade de gênero na ciência e propor soluções para essa problemática. Essas são as premissas que movem o podcast She’Science, uma ação de extensão interdisciplinar vinculada ao Departamento de Ecologia (Decol) do Centro de Biociências da Universidade Federal do Rio Grande do Norte  (CB/UFRN). O projeto, que trabalha com múltiplas abordagens de divulgação científica,  inicia em 2022 uma nova fase.

    A ideia, surgida em 2019, foi idealizada por Iohara Quirino e Mery Alencar, respectivamente mestre e doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Ecologia (PPGECO/UFRN). Durante as aulas de uma disciplina, as estudantes notaram uma lacuna de representatividade feminina na área da Ecologia. “Nós não víamos as mulheres na ecologia, não víamos professores ou materiais de estudo falando sobre isso. Todos os considerados ícones da área mostrados no nosso aprendizado eram homens”, explica Iohara. O problema, observa, não pertence unicamente à Ecologia, mas à ciência em geral. 

    O projeto é estabelecido em duas frentes, o podcast em si e o perfil no Instagram. Neste, são feitas postagens elaboradas com temáticas relacionadas ao último episódio lançado. Iohara ressalta que a equipe faz uma pesquisa detalhada de cada tema, a fim de informar o público alvo da forma mais correta possível. Já o podcast segue uma estrutura de quadros, com atualmente três em produção. O Rapidinhas, episódios curtos de cinco a dez minutos traz assuntos rápidos que permitem a participação de convidadas. O She’Science Analisa contém discussões entre as podcasters sobre assuntos científicos urgentes ou em evidência na mídia. 

    Por fim, os episódios lançados em temporadas narrativas são o carro-chefe do projeto e trazem a história de mulheres cientistas em espaços de liderança. O quadro busca também sanar uma dificuldade encontrada pelas organizadoras de fazer a divulgação científica no Nordeste com um público alvo específico de mulheres. Por isso, existe um foco maior em entrevistar mulheres do RN, para trazer a força e importância das pesquisadoras locais. Atualmente o quadro lança sua Temporada Zero, com a expectativa de 4 a 5 episódios lançados esse semestre.

    She’Science é uma força tarefa e movimenta um processo de pesquisa de conteúdo e apuração de possíveis fontes, roteirização e entrevista. Para essa produção, a equipe conta com cinco participantes, evidenciando a autonomia dos envolvidos e a interdisciplinaridade nas etapas de produção. Adicionalmente, a longo prazo, o projeto pretende ser muito mais que um podcast. A meta, conta Iohara, é criar um espaço seguro para mulheres em cursos e ambientes predominantemente masculinos. 

    O projeto almeja estabelecer, por exemplo, uma plataforma que envie para mulheres oportunidades na área, principalmente de cunho internacional. Outro objetivo específico é escrever um artigo científico sobre a mulher na ciência no Brasil, sumarizando o que foi aprendido no She’Science e divulgando esse aprendizado para a comunidade acadêmica. “Sei que é difícil, e as mulheres têm dificuldades maiores por causa do gênero, mas uma mensagem que gostaria de repassar é: não desistam. O She’Science está aberto para todas as mulheres, sendo da Ecologia ou não. O que queremos é criar e fortalecer uma rede de apoio para mulheres que querem fazer ciência”, completa Iohara sobre o impacto que a equipe espera atingir.

  • Sobre ,

    Pianista Isadora Rezende conquista prêmio especial da Fundação Chopin e ganha bolsa para estudar nos EUA

    A jovem pianista potiguar Isadora Rezende, 16 anos, foi a grande vencedora do concurso internacional Frost Chopin Academy (Fundação Chopin dos EUA) e conquistou o prêmio especial: uma bolsa do estudo de Piano FGCU – Bolsa de estudo de graduação na Bower School of Music & the Arts, da Florida Gulf Coast University. Diante de sua performance, recebeu um prêmio especial adicional, a Bolsa de Estudo Frost Chopin Academy, concedendo bolsa de estudos integral para este prestigioso Festival, no período de 19 a 26 de junho de 2022, em Miami, Flórida.

    Aluna do Curso Técnico em Música da Escola de Música da UFRN, Isadora conquistou o prêmio especial depois de participar em 2021 do I Concurso Internacional Parnassus de la Musica, organizado pela Universidade Nacional de Música e a Sociedade Parnassus de Música. Foram três etapas de repertórios específicos, baseadas em avaliações de gravações de performances ininterruptas de 10 minutos, 15 minutos e 30 minutos. A pianista foi agraciada com a primeira colocação em sua categoria.

    Durante sua estada em Miami, Isadora terá a oportunidade ímpar de se aprofundar na obra de Frédéric Chopin, um dos compositores mais profícuos e representativos da literatura pianística, em aspectos estéticos, estilísticos, técnicos e históricos. Além disso, a participação da jovem pianista tentará a possibilidade de estabelecer contatos com alguns dos mais respeitados professores de piano na atualidade, responsáveis por concessões de inúmeras bolsas internacionais e pela formação de inúmeros jovens pianistas detentores de títulos em concursos internacionais.

    Isadora Resende tem uma década de carreira. Aos dez anos ela já chamava atenção de professores e técnicos com suas interpretações de Frédéric Chopin, chegando a ser um dos talentos escolhidos no Concurso Nacional de Piano da USP-Steinway/Caio Pagano. Filha de pais musicistas (pai fagotista, mãe pianista e irmão flautista), Isadora é estudante do Curso Técnico em Música da Escola de Música da UFRN e em 2021 foi protagonista de um documentário “Quando as nuvens eram nossas”, na qual ela reencontra a vida e a obra do compositor norte-rio-grnandense Oriano de Almeida.

    A Fundação Chopin dos Estados Unidos tem como maior objetivo ajudar jovens e talentosos pianistas a desenvolver suas carreiras como concertistas internacionais e tornar a música clássica, especialmente a música de Chopin, acessível a todos. Frédéric Chopin, também foi um pianista polonês radicado na França e compositor para piano da era romântica. É amplamente conhecido como um dos maiores compositores para piano e um dos pianistas mais importantes da história.

  • Sobre

    UFRN oferta 297 vagas residuais para o período 2022.2

    A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Núcleo Permanente de Concursos (Comperve), divulgou edital de Reocupação de Vagas Residuais para o período letivo de 2022.2. São ofertadas 297 vagas para cursos de graduação dos Campi de Natal, Multicampi e Santa Cruz. As inscrições acontecem na página da Comperve, a partir das 8h da segunda-feira, 23 de maio, até as 23h59 do dia 12 de junho. A taxa de inscrição é de R$ 30.

    Para se inscrever, o candidato deve acessar a página da Comperve, na qual estarão disponíveis o Edital e o Formulário de Inscrição, em seguida preencher, integralmente, o Formulário de Inscrição de acordo com as instruções constantes nele. O próximo passo é imprimir a Guia de Recolhimento da União (GRU) para poder efetuar o pagamento da taxa de inscrição, que deve ocorrer até o dia 13 de junho, no local indicado na GRU.

    O processo seletivo se destina a candidatos que têm ou tiveram vínculo com curso de graduação em Instituição de Ensino Superior, reconhecido ou autorizado pelo Ministério da Educação (MEC). As vagas residuais são geradas por cancelamentos de curso, conforme o Regulamento dos Cursos Regulares de Graduação da UFRN (Resolução nº 046/2020 – Consepe). 

    As vagas ofertadas são para os cursos nas áreas de Ciências da Vida e da Saúde – Campus Natal, Santa Cruz e Multicampi (Caicó, Currais Novos e Santa Cruz), e de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas e de Ciências Exatas e Tecnológicas – para o Campus Natal. 

    A seleção dos candidatos será realizada em duas etapas: Avaliação do Resultado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de caráter eliminatório e classificatório, sendo os candidatos classificados de acordo com as notas obtidas no Exame; e Avaliação Institucional e Acadêmica, de caráter classificatório, sendo atribuída aos candidatos pontuação, de acordo com o Anexo II do Edital (tabela de pontuação – avaliação institucional e acadêmica). 

    Podem participar do processo seletivo para reocupação de vagas residuais os candidatos com vínculo ativo em curso de graduação: na UFRN – em curso distinto daquele que tenha vínculo ativo (atual); em outra Instituição de Ensino Superior – para o mesmo curso daquele que o candidato tem vínculo ativo (vínculo atual); candidatos portadores de diploma de curso de graduação – desde que a inscrição seja para curso distinto do que o candidato tenha concluído; estudantes de graduação da UFRN que tiveram seu curso cancelado –  por abandono de curso, por decurso de prazo máximo ou por insuficiência de desempenho acadêmico – nos períodos de 2017.1 a 2021.2.

    Todas as informações sobre o processo seletivo de reocupação de vagas residuais da UFRN podem ser consultadas no edital. O resultado final deve ser divulgado no dia 24 de setembro, na página da Comperve.

    Foto: Cícero Oliveira – Agecom/UFRN

  • Sobre

    Restaurante Universitário da UFRN reabre nesta segunda-feira (02)

    O Restaurante Universitário (RU) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) retoma o atendimento nesta segunda-feira, 2 de maio, conforme foi planejado junto à representação estudantil, em virtude da finalização dos trâmites logísticos para reabertura da unidade. Devido aos protocolos de biossegurança, inicialmente, o serviço será voltado aos estudantes que receberam o auxílio alimentação temporário em abril, além de todos os residentes e beneficiários do auxílio moradia do Campus Central.

    De acordo com a diretora do RU, Michele Medeiros, levando em consideração o Protocolo de Biossegurança da UFRN, o Restaurante terá a capacidade de atender, neste primeiro momento de reabertura, cerca de 1.500 usuários, chegando a uma média de quase 3.500 refeições diárias. Antes da pandemia da covid-19, o RU oferecia cerca de 4.500 refeições por dia. Nesse sentido, em razão da restrição de ocupação, a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Proae) vai ofertar, por meio de edital, auxílio alimentação em espécie, no valor de R$ 280,00, a 1.945 estudantes contemplados no edital para acesso ao RU em 2022.1.

    Nesta primeira etapa, o RU não atenderá usuários pagantes, visto que a prioridade será o fornecimento de refeições gratuitas àqueles que se enquadrem nos critérios de atendimento estabelecidos pelo Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes). Posteriormente, após a normalização da produção de alimentos e a incorporação de todos os beneficiários do auxílio alimentação, o RU fornecerá refeições a pagantes subsidiados ou não. Neste momento, por uma questão de logística, o acesso aos refeitórios se fará mediante a conferência manual da identificação do usuário. 

    Serviço

    – RU-Central: 10h30 às 13h30, para almoço, e das 17h às 19h, para jantar;

    – RU-Tecnológica: 11h às 13h;

    – RU-Biomédica: 11h às 13h, para almoço, e das 17h às 18h30, para jantar.

    *O café da manhã continuará a ser servido aos residentes.

    Foto: Cícero Oliveira

  • Sobre ,

    Natal pode ganhar Centro de Referência em tratamento de doenças raras

    Natal tem cerca de 28% da população com algum tipo de deficiência. É o maior percentual entre todas as capitais do país, mas na contramão dessa estatística, o RN é o único Estado brasileiro que não possui um Centro de referência em tratamento de doenças raras.

    “É um absurdo. Devíamos ser exemplo, mas hoje nosso destaque é negativo. Por isso nosso mandato sempre esteve na luta para melhorar de todas as formas o acesso aos tratamentos de doenças raras e deficiências. Nosso foco é dar qualidade de vida e dignidade a essas pessoas “, diz o vereador Tércio Tinoco.

    Nessa segunda (25) o parlamentar se reuniu com o superintendente do Ministério da Saúde no RN, Francisco Junior do Rêgo e a presidente da Associação de Doenças raras do Rio Grande do Norte, Andreia Mota, para discutir o assunto.

    “Estamos avançando no projeto de construir uma agenda propositiva com HUOL, Hospital Universitário Onofre Lopes “, garantiu o superintendente. A presidente da associação completou: “A demanda é grande e além do diagnóstico, a pessoal com doença rara precisa de um lugar para se tratar, com referência e atendimento multidisciplinar. Nós acreditamos que o HUOL está capacitado pra isso”, diz Andreia.

  • Sobre ,

    Aula Magna da UFRN será dia 28 e abordará habilidades socioemocionais

    A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) promove, no dia 28 de abril, a Aula Magna do período 2022.1, que aborda o tema Habilidades socioemocionais na formação, trabalho e futuro: o eu, o outro e o que as neurociências têm a nos ensinar. A palestra será proferida pelo professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), José Neander Silva Abreu, a partir das 9h, no Auditório Otto de Brito Guerra, na Reitoria da UFRN. 

    Psicólogo e especialista em Neuropsicologia, Neander de Abreu irá promover uma conversa sobre como as neurociências contribuem para a compreensão e o aprimoramento das habilidades emocionais, tanto do ponto de vista pessoal quanto profissional. O momento fecha a programação alusiva ao início do ano letivo de 2022, que começou no dia 28 de março, com atividades comemorativas nos campi da UFRN em Currais Novos, Caicó, Santa Cruz e Macaíba. 

    A participação na Aula Magna poderá acontecer de forma presencial ou remota, por meio de transmissão ao vivo pela TVU, canal aberto 5.1, e pelo canal da UFRN no Youtube. Para realizar a inscrição, clique aqui.

    Currículo

    O professor José Neander Silva Abreu é doutor em Neurociências e Comportamento (Universidade de São Paulo), bolsista de produtividade 2 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e coordenador do Programa de Pós-graduação em Psicologia da UFBA. Já foi presidente da Sociedade Brasileira de Neuropsicologia (SBNp) e, atualmente, é membro da Sociedade Internacional de Neuropsicologia e líder do Laboratório de Neuropsicologia Clínica e Cognitiva – Neuroclic- Grupo de Pesquisa CNPq/UFBA.

    ilustração: Freepik

Carregar...
Congratulations. You've reached the end of the internet.