Últimas histórias

  • Sobre ,

    Natal amplia D2 e D3 da Pfizer e realiza Dia D contra a Covid-19

    A Prefeitura do Natal amplia neste sábado (27) o público em vacinação apto a receber a D2 e D3 do imunobiológico da Pfizer. Qualquer morador do município que tenha tomado a primeira dose até 30 de outubro, já pode receber a segunda dose desse imunizante. 

    A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS/Natal) também vai ampliar os públicos em vacinação com a dose de reforço D3 para 58 anos e mais nesta sexta (26) e 55 anos e mais na segunda-feira (29); o critério exigido nesse caso é que a pessoa tenha completado cinco meses (150 dias) da conclusão de seu esquema vacinal (a contar da segunda dose de Coronavac, Oxford ou Pfizer ou ainda dose única da Janssen).

    A outra novidade é que as gestantes que anteriormente tenham se imunizado com a Janssen, busquem um ponto vacinal para receber o reforço vacinal com a Pfizer, desde que estejam no intervalo de cinco meses pós aplicação da dose única.

    Neste sábado (27) a Prefeitura do Natal realiza o Dia D da Mega Vacinação contra a Covid-19 na capital. Todas as salas de vacinação das unidades básicas de saúde do Município, vão funcionar das 08h às 12h, com a aplicação da primeira, segunda ou terceira dose dos imunizantes (exceto a UBS Panatis que passa por manutenção). Neste mesmo dia, os drives do Via Direta e Nélio Dias funcionam das 08h às 16h; e o trailer instalado na Árvore de Mirassol, das 18h às 22h (este funciona de quinta-feira a domingo). Toda a documentação necessária para receber os imunobiológicos pode ser conferida no vacina.natal.rn.gov.br .

    VACINAÇÃO EM NATAL

    PRIMEIRA DOSE
    Pessoas com 12 anos e mais.

    SEGUNDA DOSE

    CORONAVAC
    Podem se vacinar as pessoas que completaram os 28 dias da primeira dose do imunizante Coronavac.

    OXFORD
    Podem receber a aplicação da D2 da Oxford quem se vacinou até o dia 20 de setembro.
    Grávidas que tomaram a D1 de Oxford.
    As gestantes que tomaram a primeira dose com o imunizante Oxford e que, por recomendação do Ministério da Saúde, não tomaram a segunda dose poderão completar seu esquema vacinal com o imunizante da Pfizer.

    PFIZER
    A segunda dose da Pfizer está disponível para quem tomou a primeira dose até 30 de outubro.

    JANSSEN

    Gestantes que anteriormente tenham se imunizado com a Janssen, se estiverem no intervalo de 05 meses após aplicação da dose única, podem buscar um ponto vacinal para receber o reforço com a Pfizer.

    TERCEIRA DOSE

    Estão aptos a receber a terceira dose: população em geral com 58 anos e mais na sexta (26) e 55 anos e mais na segunda-feira (29); e profissionais e trabalhadores da saúde a partir de 18 anos. É necessário ter completado o esquema vacinal, com duas doses ou dose única, de qualquer imunizante (Coronavac, Oxford ou Pfizer) há cinco meses ou 150 dias para os idosos e seis meses ou 180 dias para os profissionais e trabalhadores da saúde; este último grupo ainda deve apresentar documentação comprobatória de vínculo.

    Os Imunossuprimidos também podem receber a terceira dose, desde que tenham completado o esquema vacinal há 28 dias, apresentando laudo médico dentro das categorias: Imunodeficiência primária grave; Quimioterapia para câncer; Transplantadas de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras; pessoas vivendo com HIV/Aids; uso de corticóides em doses > 20mg/dia de prednisona, ou equivalente, por > 14 dias; uso de drogas modificadoras da resposta imune ou pacientes com hemodiálise e pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas (reumatológicas, auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias).


  • Sobre ,

    Municípios podem aplicar D2 da Pfizer em quem tomou primeira dose da Oxford

    A Câmara Técnica de Vacinação do Rio Grande do Norte deliberou, nessa quarta-feira, 27, sobre a aplicação da D2 da Pfizer em pessoas que tomaram a primeira dose da vacina Oxford/Atrazeneca. A medida já foi tomada por outros estados e a intercambialidade da vacina já acontece também em outros países com segurança. 

    Ficou aprovado que os municípios que estão desabastecidos de Oxford/Atrazeneca apliquem a D2 da Pfizer em quem está com a segunda dose em atraso. 

    O Estado vai distribuir 20.346 doses de Pfizer para ajudar os municípios a cumprir o esquema vacinal deste público. O intervalo para a D2 se mantém o mesmo da Astrazeneca, ou seja, de 90 dias.

    A Sesap ressalta a importância de completar o esquema vacinal para o enfrentamento da pandemia da covid-19. A plataforma RN Mais Vacina aponta que hoje o Estado do Rio Grande do Norte tem 207.054 pessoas que não voltaram para tomar a segunda dose.

  • Sobre ,

    Vacina de reforço tem eficácia de 95,6%, diz Pfizer-BioNTech

    Uma dose de reforço da vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo consórcio Pfizer/BioNTech é eficaz em 95,6% dos casos sintomáticos da doença, mostra estudo feito pelos dois laboratórios e publicado hoje (21).

    O ensaio clínico de fase 3, realizado em “10 mil pessoas com mais de 16 anos”, demonstra “eficácia de 95,6%” e um “perfil de segurança favorável”, de acordo com comunicado.

    “São os primeiros resultados de eficácia de um ensaio amplo para testar o reforço da vacina contra a covid-19”, disseram as duas empresas.

    O estudo foi feito no período em que a variante Delta se tornou a principal a circular.

    “Esses resultados demonstram, mais uma vez, a utilidade dos reforços para proteger a população contra a doença”, afirmou Albert Bourla, diretor-geral da Pfizer, citado no comunicado.

    A idade dos participantes ficou em torno dos 53 anos.

    Os resultados serão submetidos às autoridades de regulação “logo que seja possível”, acrescentaram as fontes.

    Vários países já autorizaram a administração de uma dose de reforço contra o novo coronavírus para estimular a imunidade das pessoas vacinadas, que costuma baixar ao fim de vários meses, conforme estudos.

    Nos Estados Unidos, os peritos da Agência de Medicamentos (FDA, na sigla em inglês) defenderam, no final de setembro, uma terceira dose da Pfizer/Biontech para determinadas populações de risco, como os maiores de 65 anos.

    Na Europa, a Agência dos Medicamentos (EMA) aprovou, no início do mês, de forma mais ampla, o princípio de uma terceira dose da Pfizer/Biontech para os maiores de 18 anos, deixando aos estados a escolha mais precisa sobre as populações elegíveis.

    Outros governos estão indo mais longe: em Israel, a terceira dose está disponível a partir dos 12 anos de idade, cinco meses após a vacinação.

    O tema da terceira dose reacendeu, entretanto, a questão das desigualdades entre países ricos e pobres, quando o acesso à primeira dose da vacina continua muito limitado em algumas regiões do mundo, especialmente na África.

    Fonte: Agência Brasil