Últimas histórias

  • Sobre

    Concurso da Petrobras tem inscrições abertas e oferece 757 vagas imediatas

    Foi publicado o novo edital nº 1/2021 do processo seletivo público da Petrobras (Petróleo Brasileiro S.A.), com vistas à contratação de novos empregados temporários de nível superior. A organizadora do concurso Petrobras é o Cebraspe.

    São oferecidas 757 vagas imediatas e 3.780 vagas para formação de cadastro reserva, totalizando 4.537 vagas. Os salários básicos são de R$ 6.937,43, mas há garantia de remuneração mínima de R$ 11.716,82, mais vantagens e benefícios, pelo regime celetista (CLT).

    O certame será composto por provas objetivas (todos), que estão previstas para serem aplicadas no dia 20 de fevereiro de 2022, além de avaliação de títulos (área de Engenharia de Segurança de Processo).

    Empregos do concurso Petrobras

    As especialidades (ou ênfases) disponíveis no edital do processo seletivo público da Petrobrás são as seguintes:

    1. Administração: 33 + 165 cadastros;
    2. Análise – Comércio e Suprimento: 36 + 180 cadastros;
    3. Análise – Transporte Marítimo: 4 + 20 cadastros;
    4. Analista de Sistemas – Engenharia de Software: 26 + 130 cadastros;
    5. Analista de Sistemas – Infraestrutura: 8 + 40 cadastros;
    6. Analista de Sistemas – Processos de negócio: 15 + 75 cadastros;
    7. Ciência de Dados: 33 + 165 cadastros;
    8. Economia: 3 + 15 cadastros;
    9. Engenharia Ambiental: 2 + 10 cadastros;
    10. Engenharia Civil: 8 + 40 cadastros;
    11. Engenharia de Equipamentos – Elétrica: 39 + 195 cadastros;
    12. Engenharia de Equipamentos – Eletrônica: 26 + 130 cadastros;
    13. Engenharia de Equipamentos – Inspeção: 11 + 55 cadastros;
    14. Engenharia de Equipamentos – Mecânica: 158 + 790 cadastros;
    15. Engenharia de Equipamentos – Terminas e Dutos: 8 + 40 cadastros;
    16. Engenharia de Petróleo: 97 + 485 cadastros;
    17. Engenharia de Processamento: 32 + 160 cadastros;
    18. Engenharia de Produção: 101 + 505 cadastros;
    19. Engenharia de Segurança de Processo: 42 + 210 cadastros;
    20. Engenharia de Segurança do Trabalho: 22 + 110 cadastros;
    21. Engenharia Naval: 21 + 105 cadastros;
    22. Geofísica – Física: 2 + 10 cadastros;
    23. Geofísica – Geologia: 12 + 60 cadastros;
    24. Geologia: 18 + 85 cadastros.

    Inscrições

    Pagando uma taxa de R$ 79,83, os candidatos devem se inscrever de 17 de dezembro de 2021 até as 18h do dia 05 de janeiro de 2022. As candidaturas podem ser feitas na página do Cebraspe.

    Provas do concurso Petrobras

    O processo seletivo público da Petrobras, como dissemos antes, terá a seguinte composição:

    • Avaliação escrita (provas objetivas), para todas as ênfases/especialidades;
    • Avaliação de títulos, somente para a ênfase 19 – Engenharia de Segurança de Processo.

    Todas as etapas acontecerão nas 26 capitais das Unidades da Federação, além de no Distrito Federal. Isso inclui tanto as provas objetivas quanto a avaliação da equipe multiprofissional dos que solicitarem concorrer como pessoa com deficiência e o procedimento de heteroidentificação dos que se autodeclararem negros.

    Provas objetivas

    As provas objetivas terão um total de 120 questões (50 de conhecimentos básicos e 70 de conhecimentos específicos), tendo uma duração de 4h e previsão de aplicação no dia 20 de fevereiro de 2022.

  • Sobre ,

    Senado pretende discutir com estados soluções para preços dos combustíveis

    Governadores de todos os estados participaram, nessa quinta-feira (21), de uma audiência com o presidente do Senado Federal, o senador Rodrigo Pacheco.  Os governos estaduais solicitaram o encontro virtual para externar preocupação quanto ao texto do Projeto de Lei Complementar 11/2020, aprovado na Câmara dos Deputados para mudar o sistema de cobrança do ICMS dos combustíveis e que será votado no Senado. Para os estados, a proposta é ineficaz em relação à redução dos preços dos produtos e pode comprometer o equilíbrio financeiro de estados e municípios. Foi proposta a criação de um fundo de estabilização dos preços e o senador se comprometeu a convocar a Petrobras para discutir, junto com os estados, a política de preços dos combustíveis no Brasil.

    O vice-governador, Antenor Roberto, e o secretário Estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier, participaram da audiência  representando  o Rio Grande do Norte, e classificaram como positiva a abertura do presidente da casa legislativa para o diálogo e pelos encaminhamentos dados. Eles alegam que a aprovação do PLP – nos termos da redação aprovada na Câmara dos Deputados – trará possíveis danos para os cofres estaduais e municipais sem de fato sanar o problema das constantes altas nos preços. 
     
    Ao mexer nos mecanismos de cálculo do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual, Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) dos combustíveis, cujas atribuição e competência são das unidades federativas, o projeto traz repercussão econômica impactante e de ordem bilionária sobre os estados e municípios. A estimativa é que ocorra uma perda total de receita para estados e municípios da ordem de R$ 32 bilhões por ano  sendo quase R$ 500 milhões somente no Rio Grande do Norte. 

    “Quase que de forma unânime, todos os governadores presentes à audiência se colocaram sensíveis ao problema da alta nos preços dos combustíveis, mas, salientaram que o problema dos aumentos sucessivos nas bombas não têm relação nenhuma com o ICMS. No entanto, os estados são sensíveis ao problema se colocaram à disposição para discutir o problema e encontrar uma solução”, revelou o titular da SET-RN, que acompanhou Antenor Roberto durante a audiência. 
     
    O resultado do encontro foi encarado como um avanço. Rodrigo Pacheco se comprometeu em ajudar a desmistificar as narrativas errôneas de que os governos estaduais são os responsáveis pelos constantes aumentos do preço dos produtos, e sim a Petrobras, que detém o monopólio da produção e do refino do petróleo no país. A estatal é responsável por atrelar a sua política de preços a do mercado internacional por meio do dólar. E, por isso, assegurou deverá convocar a Petrobras para uma reunião e abordar o assunto.