Últimas histórias

  • Sobre ,

    Número de pequenos negócios no RN aumenta 17,3% em 2021

    A quantidade de novas empresas de micro e pequeno portes apresentou um crescimento de 17,3% no Rio Grande do Norte em 2021 no comparativo com o ano anterior. Ao longo do ano, foram abertas 46.385 empresas e outros 16.434 negócios encerraram as atividades, o que resultou em um saldo de 29.961 novas empresas criadas – 4.437 a mais que no ano de 2020. A abertura de empreendimentos elevou para mais de 220,9 mil o número de empresas de pequeno porte instaladas no Rio Grande do Norte.

    Os dados são da Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae no Rio Grande do Norte, que divulga mensalmente boletins tratando dos principais indicadores que influenciam segmento dos pequenos negócios potiguares. Neste, sobre a atividade empresarial, são classificados os quantitativos de empresas por porte, regime de arrecadação, setores e índice de abertura de novos negócios com base em informações da Receita Federal. O informativo está disponível para consulta e download no Portal do Sebrae www.rn.sebrae.com.br.

    A maioria desses negócios criados foram formalizados na categoria de Microempreendedor Individual (MEI). Nos últimos 12 meses, foram registrados 26,2 mil negócios como MEI no Rio Grande do Norte, segundo estatísticas do informativo. A facilidade de registro pela internet e a rapidez com que o empreendedor constitui um negócio formal, têm atraído cada vez mais um maior número de pessoas que sonham em deixar de ter patrão e ter o próprio negócio.

    Criada com o objetivo de incentivar a formalização de profissionais autônomos, a categoria do Microempreendedor Individual (MEI) é considerada o meio mais desburocratizado e menos oneroso de começar uma atividade, sobretudo pela baixa carga tributária em comparação com outras categorias de empresas optantes pelo Simples Nacional, o regime simplificado de arrecadação de impostos. Tudo o que o microempreendedor tem de pagar é uma contribuição mensal que equivale a apenas 5% do salário mínimo. Esse compromisso precisa ser quitado até o dia 20 de cada mês.

    Para ser considerado MEI, o faturamento anual do negócio não pode ultrapassar o valor de R$ 81 mil. Ao se formalizar e passar a contar com um CNPJ, o empreendedor pode emitir notas fiscais, contratar até um funcionário e acessar uma série de benefícios previdenciários, como aposentadoria por idade, aposentadoria por invalidez, auxílio-doença, auxílio-maternidade e pensão por morte.

  • Sobre , ,

    Sebrae lança Prêmio Prefeito Empreendedor para gestores municipais do RN

    O Sebrae do Rio Grande do Norte lançou nesta quinta-feira (4) a décima primeira edição do Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor Governador Cortez Pereira, no auditório da instituição em Natal. O prêmio, lançado em parceria com a Federação dos Municípios do RN (FEMURN) e a Assembleia Legislativa do Estado, tem como objetivo reconhecer e divulgar gestores que tenham elaborado projetos e implementado ações, com resultados comprovados de influência para o surgimento, desenvolvimento e competitividade dos pequenos negócios em seus municípios. 

    As inscrições para a etapa estadual Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor Governador Cortez Pereira estão abertas até o dia 04 de fevereiro de 2022 no site https://www.prefeitoempreendedor.sebrae.com.br/. Cada município pode inscrever até dois projetos de categorias diferentes. Ao todo são oito categorias:  Desburocratização; Sala do Empreendedor; Compras Governamentais; Empreendedorismo na Escola; Governança Regional e Cooperação Intermunicipal; Inovação e Sustentabilidade; Marketing Territorial e Setores Econômicos e Cidade Empreendedora na Pandemia.

    O diretor superintendente do Sebrae-RN, José Ferreira de Melo Neto, destaca que o prêmio estimula, reconhece e dá visibilidade às ações de prefeituras que apresentam resultados que impactam na modernização da gestão pública e no fomento ao segmento de pequenos negócios. “Os municípios que aderem ao prêmio e apoiam ações de empreendedorismo geram mais empregos e renda. Os vencedores desse prêmio comprovam isso, ao longo desses 20 anos do prêmio. A grande maioria dos empregos são gerados em empresas com menos de 10 empregados. Daí a importância de apoiarmos o empreendedorismo e os pequenos negócios”, afirma Melo.

    O vice-presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-RN, Itamar Manso Maciel, lembra que o tema central do prêmio na décima primeira edição é “O desenvolvimento nasce e cresce no seu município” e que se reveste de um papel importante de trazer o reconhecimento de iniciativas empreendedoras dos gestores públicos municipais, à exemplo do ex-governador Cortez Pereira, que dá nome ao prêmio em nível estadual, que foi um grande gestor e empreendedor em prol do desenvolvimento do estado do RN.

    O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Rio Grande do Norte – FEMURN, Anteomar Pereira (Babá), também prefeito de São Tomé, destacou o apoio do Sebrae aos municípios norte-rio-grandenses com projetos como o Cidade Empreendedora. “O estímulo ao empreendedorismo é fundamental para diminuir a pressão por emprego nos municípios. E o Sebrae tem tido um papel muito importante nas parcerias com a Femurn. Esse prêmio é um grande incentivo para os municípios apresentarem projetos inovadores e competitivos que possam beneficiar toda a comunidade”,  afirma Anteomar .

    O prêmio, que no Rio Grande do Norte leva o nome do ex-governador Cortez Pereira, destaca o papel do prefeito como protagonista do desenvolvimento municipal, ao criar condições e fomentar parcerias para o aprimoramento do ambiente de negócios e adotar medidas efetivas para o fortalecimento da economia, fomentando a geração de emprego, renda e arrecadação. Esta edição comemora os 50 anos do Sebrae, que serão completados em 2022, ano da entrega da premiação aos ganhadores, e os 20 anos do prêmio criado nacionalmente em 2001.

  • Sobre ,

    Pequenos negócios do RN respondem por 85,3% das vagas geradas no ano

    O Rio Grande do Norte registrou um saldo de 6.302 postos de trabalho com carteira assinada em setembro e 68,7% dessas novas vagas foram geradas pelas empresas de micro e pequeno portes. Os pequenos negócios têm conseguido ultrapassar significativamente as médias e grandes empresas em termos de novas contratações frente ao número de desligamentos. No nono mês do ano, essas organizações abriram 4.332 novas frentes de trabalho, elevando o sado de emprego formal. Esse número é 51% maior que o verificado em setembro do ano passado, quando o RN somou 2.865 vagas abertas pelos pequenos negócios.

    O segmento demonstra a importância para a economia potiguar ao se avaliar o saldo acumulado que esse tipo de negócio acumulou ao longo do ano em termos de geração de empregos. Juntas, as micro e pequenas empresas de vários segmentos somam ,até setembro, um volume de 25.645 novos postos de trabalho. Isso equivale a 85,3% das mais de 30 mil novas vagas geradas no estado em 2021.

    Os dados constam no Mapa do Emprego no RN de setembro, uma publicação elaborada mensalmente pelo Sebrae no Rio Grande do Norte, que analisa a evolução das contratações e demissões formais. O informativo foi divulgado nesta quarta-feira (27), tendo como base os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), referentes aos nove primeiros meses do ano, divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência.

    Desde janeiro do ano passado, o uso do Sistema do Caged foi substituído pelo eSocial (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas) para as empresas, o que traz diferenças na comparação com resultados dos anos anteriores a 2019. O Mapa do Emprego no RN está disponível para visualização e download no portal do Sebrae www.rn.sebrae.com.br/.

    De acordo com o boletim, há 462.287 trabalhadores no Rio Grande do Norte registrados em empregos formais. Em setembro, foram registradas 17.487 admissões contra 11.185 desligamentos, o que gerou um saldo de 6.302 empregos. Com isso, o RN foi o quinto estado com maior número de novos empregos gerados, ficando atrás de Pernambuco, Alagoas, Ceará e Bahia.

    Ainda segundo o informativo do Sebrae-RN, no nono mês do ano, a atividade que mais absorveu mão de obra formal foi o setor de serviços com a criação de 1.896 novas vagas, seguido do setor agropecuário, responsável pela geração de 1.634 novas frentes de trabalho. A construção civil criou 1.028 vagas, enquanto a indústria e o comércio abriram, respectivamente, 966 vagas e 778 empregos.

    O Mapa do Emprego aponta ainda as regiões onde as contratações estiveram em alta ou em baixa no período. Em setembro, as oportunidades de novos empregos formais surgiram principalmente nos municípios de Natal, que gerou 1.921 vagas, e de Mossoró, com a criação de outras 1.205 vagas. Já Parnamirim abriu no mês passado 323 novas vagas. As cidades onde foram registrados os maiores números de redução de postos de trabalho, foram Pedra Grande (-77), Coronel João Pessoa (-38), Caiçara do Rio do Vento (-33), Jucurutu (-28) e Pau dos Ferros (-19).