Últimas histórias

  • Sobre ,

    Grupo de Pesquisa da UFRN lança coleção sobre direito das mulheres

    O Grupo de Pesquisa Direito, Estado e Feminismos (Defem), vinculado ao Departamento de Direito Público (Dipub) do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da UFRN, lançou os volumes I e II da coletânea “Direito, Estado e Feminismos”. As obras, organizadas pela professora do Dipub, Mariana de Siqueira, foram lançadas na primeira quinzena deste mês, e podem ser adquiridas na versão digital ou impressa no site da Amazon.

    O objetivo da coletânea publicada pela Editora Porta, é promover os principais debates sobre os direitos das mulheres, correlacionando Direito, Estado e Feminismos, levando em consideração as questões de desigualdade de gênero que têm sido destacadas como tema de pesquisa no mundo inteiro. Reflexo disso é a repercussão dos livros, que em poucos dias obtiveram mais de 500 downloads. “Quando um livro desse vai para um site como o da Amazon e os seus dois volumes são classificados como primeiro e segundo volumes mais baixados da área jurídica, eu acho que isso mostra a importância desse tipo de pesquisa e a demanda por leituras desta ordem”, registra a professora Mariana de Siqueira.

    Os livros foram desenvolvidos a partir da publicação de um edital divulgado pela página no Instagram do Defem e pesquisadores do mundo todo enviaram trabalhos. Professoras que constam na obra como Conselho de Revisão dos Artigos, fizeram a revisão às cegas dos trabalhos submetidos para aferir a qualidade dos mesmos e selecioná-los às publicações. Os volumes I e II são compostos por pesquisas de autores e autoras do Brasil inteiro. 

    Para a professora Mariana de Siqueira, os livros tratam-se de uma importante contribuição para os estudos feministas do país e do mundo “por estarmos diante de múltiplos olhares, com lentes jurídicas, que investigam problemáticas contextualizadas neste período histórico”. O lançamento presencial das obras ocorrerá na cidade de Natal/RN, em um local a definir, até a primeira semana de abril de 2022.

    DEFEM

    O grupo foi criado no ano de 2019 e é a primeira iniciativa da instituição a se dedicar especificamente a pesquisar o Direito e suas relações com os feminismos. Na primeira edição do grupo, apenas estudantes mulheres se candidataram às vagas de pesquisa, hoje o professor Leonardo Freire, é o único homem vinculado ao Defem no momento, mas o grupo é aberto a mulheres e homens.

  • Sobre ,

    Concurso Literário Novos Escritores tem inscrições abertas até 14 de fevereiro

    Autores do Nordeste com idades entre 18 e 25 anos e não tiveram livros publicados podem se inscrever, até o dia 14 de fevereiro, no Concurso Literário Novos Escritores, promovido pela Fundação Joaquim Nabuco. Os jovens autores podem inscrever contos inéditos de sua autoria.

    Os 25 melhores contos farão parte de uma coletânea que será publicada pela Editora Massangana e os três primeiros colocados receberão prêmios que variam entre R$ 2 mil e R$ 6 mil. As obras possuem temáticas livres e cada autor só pode inscrever um conto.

    O resultado do concurso será publicado no Diário Oficial da União no dia 30 de março e o evento de entrega dos prêmios será no dia 29 de abril.

    As inscrições devem ser feitas de forma exclusivamente eletrônica por meio do portal da Fundação Joaquim Nabuco.

    O edital pode ser consultado aqui.

    Agência Brasil

  • Sobre

    Complexo Cultural Rampa e UFRN firmam parceria para lançamento de livro sobre Augusto Severo

    O mês de maio marca 120 anos do encantamento de Augusto Severo, expoente norte-rio-grandense, político, jornalista, inventor e aeronauta de relevância internacional e a realização do seu invento mais ousado, o Pax, dirigível que explodiu em Paris durante seu primeiro voo experimental. Com o objetivo de recuperar essa memória histórica e tornar ainda mais conhecido esse personagem, diversas parcerias e homenagens estão em curso. Uma delas envolve o Complexo Cultural Rampa e a UFRN, com a publicação do livro “Os balões de Augusto Severo”, do escritor Rodrigo Visoni.

    As tratativas para essa parceria foram firmadas por Gustavo Wanderley, curador do projeto Rampa – arte museu paisagem e pela professora  Ângela Paiva, coordenadora do Parque Científico Tecnológico do Rio Grande do Norte Augusto Severo (PAX/UFRN), em reunião realizada no último dia 11, exatamente exatamente quando se celebrava os 158 anos do nascimento de Augusto Severo. O encontro capitaneado pelo vice-governador do Estado, Antenor Roberto, contou com diversas entidades ligadas ao tema.

    A publicação do livro deverá ser a primeira do selo Rampa Edições, do projeto Rampa – arte museu paisagem, em parceria com a Editora da UFRN e projeto PAX. Com abertura prevista para o primeiro semestre de 2022, o espaço Complexo Cultural Rampa, em Santos Reis, está na fase de criação do acervo e do programa educativo.

    Segundo Gustavo Wanderley, curador do Rampa – arte museu paisagem – , apoiar esse tipo de obra está diretamente relacionado ao propósito do complexo, que além de abrigar exposições de arte, quer oportunizar o desenvolvimento humano e de novas ideias. “Mais do que revelar um homem que inventou uma máquina, falar de Augusto Severo é falar de um jovem inquieto que conseguiu imaginar-se voando. Com essa publicação, queremos impulsionar a memória de alguém que sonhou e conseguiu. Queremos pensar e fomentar a potência do sonho, a potência do realizar”, explica o curador.

    Resultado de anos de pesquisa, o livro “Os balões de Augusto Severo”, de Rodrigo Moura Visoni, é ricamente ilustrado e resgata a vida e a obra de Augusto Severo de Albuquerque Maranhão, que foi concorrente de Alberto Santos Dumont na busca pela dirigibilidade aérea. Augusto Severo foi o projetista dos dois primeiros dirigíveis semirrígidos do mundo, o Bartholomeu de Gusmão (1894) e o Pax (1902), e inventor de novos tipos de motores e engenhos aéreos.  

  • Sobre

    Observatório das Metrópoles lança livro sobre governança metropolitana

    O Núcleo Natal do Observatório das Metrópoles, vinculado ao Departamento de Políticas Públicas (DPP/UFRN), apresenta o livro Governança de Regiões Metropolitanas: contribuições à luz do Estatuto da Metrópole, que busca contribuir para a compreensão de como a governança metropolitana deve ser entendida e pode ser implementada.

    Organizado por Maria do Livramento Clementino e Lindijane Almeida, a publicação é resultado do projeto de pesquisa Governança Metropolitana: subsídios à integração da Região Metropolitana de Natal, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, e trata do atual quadro político, econômico e social de governança das regiões metropolitanas – em contexto diverso – visando a contribuir com o aprimoramento dos atuais quadros normativos, instrumentais e teóricos, em especial sobre a implementação no Brasil do Estatuto da Metrópole.

    Além disso, a obra chama atenção para o fato de a governança atuar como um nível intermediário entre áreas locais e metropolitanas, bem como de seus instrumentos de gestão serem valorosos para resolver os complexos problemas do crescimento urbano regional. O equilíbrio entre as demandas sociais e a capacidade de resposta dos governos dos municípios envolvidos, por meio de políticas públicas, é apontado como um dos principais desafios.

    Estruturado em quatro partes, o livro aborda os seguintes tópicos: Experiências internacionais de governança metropolitana; Experiências nacionais de planos metropolitanos; Elementos a serem considerados para uma governança metropolitana; e Subsídios para um modelo de gestão da Região Metropolitana de Natal.

  • Sobre ,

    Livro “Escravidão no Rio Grande do Norte” já está disponível para download

    A Editora da UFRN (EDUFRN) lança o livro Escravidão no Rio Grande do Norte, que conta com a organização de Juliana Teixeira Souza e Margarida Maria Dias de Oliveira, ambas professoras do Departamento de História da UFRN (Dehis). A obra está disponível gratuitamente para download no Repositório Institucional da Universidade e é voltada para o ensino básico em História. 

    O livro é uma das primeiras produções da editora dedicadas à produção de obras didáticas para o ensino de História, sendo realizada tanto por professores como por alunos do curso na UFRN. A realização do projeto procura trazer debates sobre o ensino de história e de cultura afrodescendente, tendo como fundamento referencial a pesquisa histórica.

    A publicação conta com sete propostas de sequências e recursos didáticos, incluindo textos sobre o ensino-aprendizagem da história da escravidão negra no Rio Grande do Norte, cuja abordagem foca na população, trabalho e formas de resistência à servidão forçada. 

    Mão na massa

    O processo de produção de Escravidão no Rio Grande do Norte foi baseado na bibliografia acerca da escravidão no Brasil Império. Também serviram de referência textos legais sobre   políticas públicas educacionais relacionadas ao combate à desigualdade racial e de gênero no ambiente de ensino. 

    A partir disso, professores e alunos envolvidos com a realização do livro discutiram como as experiências em sala de aula envolvem os temas tratados na obra. Os estudantes, por sua vez, relembraram a vivência de ex-alunos do ensino básico ao serem ensinados sobre os assuntos que estão presentes na publicação. Os discentes também refletiram como esses tópicos foram abordados durante seus estágios como professores, bolsistas de projetos de iniciação científica e assistentes de professores.

  • Sobre ,

    Arthur Dutra lança “Natal do Futuro” nesta quarta-feira (1º) no Seaway

    O advogado apaixonado por jornalismo Arthur Dutra estreia na literatura e lança nesta quarta-feira, 1º, o livro “Natal do Futuro”, que reúne uma série de textos com temáticas variadas, que vão desde urbanismo, empreendedorismo, tecnologia, turismo, gestão pública e história de Natal. “Todos com uma ligação entre si, pois apontam para o desenvolvimento da cidade e se encontram no permanente desejo de Natal por estar sempre à frente do seu tempo, como já expressou Manoel Dantas, em 1909, na famosa conferência Natal daqui a cinquenta anos, que inspira este trabalho”, diz o autor.

    Arthur explica que aproveitou muito da experiência colhida ao longo do processo de revisão do Plano Diretor de Natal, onde representou a OAB/RN, “essa uma discussão que se abre para diversos aspectos da vida cidade e dá oportunidade para reflexões sobre os problemas e soluções do presente, mas sempre olhando para o passado e, claro, para o futuro”.

    Como destaca o historiador Sérgio Trindade no Prefácio, “Incorporando o espírito de Manoel Dantas, que não era historiador de ofício mas soube sê-lo no ofício, Arthur adverte não pretender escrever um livro de história, pois não se considera ‘versado no ofício de contar os acontecimentos de forma sistemática, científica, distante dos personagens e dos fatos’. O seu intento, continua, é estar em meio aos fatos e personagens, tocando-os e sentindo-os, mergulhando no passado da cidade que ama para saber viver o presente dela e, quem sabe, antever os caminhos do futuro.

    Mais Manoel Dantas impossível.

    Arthur não é historiador de ofício, mas como Manoel Dantas sabe contar os acontecimentos de forma tocante e apaixonante, abrindo veredas por onde passarão reflexões dele e de quem se dispuser discutir a cidade a sério”.

    No texto de apresentação, o professor de Filosofia e História, Douglas Cavalheiro lembra da “imagem urbanística da urbe espremida entre dunas e o rio, fundada por uma capela no alto e embaixo uma fortaleza pode ser em qualquer lugar, como também em lugar-nenhum; é uma quimera ou uma utopia. Nessa forma, a cifrada máxima lapidada no átrio em tempos imemoriais, tal qual a autognose da sentença em conhece-te a ti mesmo, revelou: a eternidade do homem é a terra da sua alma, o genius loci”.

    É Cavalheiro também quem traz um ponto central para essa Natal de quatrocentas e tantos anos. “Arthur Dutra apresentou que a responsabilidade da Urbs æterna pertence não apenas ao reino do imaginário, mas também na prática por meio da ação do agente: o indivíduo. Ele é a chave-mestra que destranca e abre os caminhos do mundo para transmutação da Urbs æterna, substância hipotética, em uma concreta cidade”.

    O livro Natal do Futuro será lançado amanhã (1º), a partir das 18h, no Seaway Center, na Av. Roberto Freire, e sai pela tradicional Sebo Vermelho Edições, que o incluiu na Coleção João Nicodemos de Lima (N. 565). O projeto gráfico e impressão são da Offset Gráfica. Na capa, uma ilustração do artista natalense Erre Rodrigo, que desenhou um trecho da conferência de Manoel Dantas.

  • Sobre , , ,

    E-book da EDUFRN reúne olhares sobre a saúde da população negra no Brasil

    O novo livro da Editora UFRN (EDUFRN), Raça e saúde: múltiplos olhares sobre a saúde da população negra no Brasil, debate aspectos sociais, políticos, históricos e culturais que permeiam a existência de corpos negros no país. O e-book nasceu da parceria entre Isabelle Barbosa, professora da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa/UFRN), Kezauyn Miranda, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSCOL/UFRN), e Talita Araújo de Souza, doutoranda em Ciências da Saúde (PPGCSA/UFRN).

    Para a elaboração da obra, foi necessária a visão da temática a partir da união de vários saberes e aproximações com os temas da saúde da população negra brasileira, tendo sido construído um esforço conjunto de especialistas de diversas áreas do conhecimento. A massiva participação de pesquisadores da saúde na autoria do livro é um destaque, considerando a invisibilização histórica que a população negra tem recebido por esse campo do conhecimento.

    Ao longo de seus 19 capítulos, o livro se aprofunda em recortes sociais da vivência de pessoas pretas no Brasil, abordando a realidade de mulheres, quilombolas, idosos, povos de terreiros, pessoas com transtornos mentais e outros grupos postos à margem da sociedade. A obra manifesta a prioridade da implementação de uma política de saúde da população negra e enfatiza a importância de ela ser incluída na criação dessas políticas.

    Destaca-se a necessidade de formação e conscientização de gestores e profissionais sobre a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra (PNSIPN) e a problemática do racismo institucional, que é tão influente na vida e na morte da população negra. Na análise feita pelas escritoras, as formas de racismo que subjugam e excluem as pessoas negras da sociedade demonstram a ineficácia do modelo brasileiro de democracia racial, e é justamente dessa falha que nascem as iniquidades em saúde que atingem a população negra brasileira, o que torna a cor da pele um marcador do processo de cuidado.

    A obra levanta um debate minucioso sobre as condições de vida e de saúde da população negra brasileira, enfatizando que não é uma população doente, mas, sim, que o processo saúde-doença-cuidado desse grupo possui outra magnitude e transcendência. Todos os caminhos apontam para o fato de que é necessário, durante a formação de profissionais de saúde, educar sobre questões raciais e incluir pessoas pretas nesse meio.

    Para mais informações e aprofundamento no tema, a leitura já está disponível de forma gratuita e online.

  • Sobre ,

    Alexandre Gurgel lança “Além do Tempo” neste sábado (09)

    O jornalista, cozinheiro de mão cheia e escritor Alexandre Gurgel lança neste sábado seu mais novo livro. “Além do Tempo – viagem biográfica de Fernando Garibaldi” fala da vida de um menino do Alecrim, nascido na segunda metade da década de 30 do século passado, que ficou órfão de pai aos 4 anos, e que com a sua intuição empreendedora, tornou-se num grande realizador de sonhos.

    Neste livro, Créu, como é chamado pelos amigos, traça um paralelo da vida de Fernando Garibaldi, hoje aos 84 anos e de memória privilegiadíssima, com a história e evolução de Natal desde a década de 30 até os dias atuais, contadas pelo próprio biografado.

    “Para quem gosta de memórias é um prato cheio! Então, puxe a cadeira, sente à mesa, peça uma cerveja bem gelada, um petisco de primeira, adquira o seu livro e venha sorrir e brindar a vida comigo na tarde deste sábado”, convida Alexandre.

    O lançamento será amanhã, 09, a partir do meio-dia, no Bar do Pedrinho (Nélio ou o Bom Ladrão, como queiram), por trás do Camelódromo, na Cidade Alta. Quem adquirir o livro terá direito ao drinque de uma ‘meladinha’, única bebida genuinamente natalense criada no Beco da Lama pelo inesquecível Nazi. O livro custa 30 reais.

    SERVIÇO

    Lançamento do livro ‘Além do Tempo – viagem biográfica de Fernando Garibaldi’. Autor: Alexandre Gurgel.

    LOCAL: BAR DO PEDRINHO (Rua Vigário Bartolomeu, n° 540 – Cidade Alta, pro trás do Banco do Brasil e do Camelódromo).

    DATA: 9 de outubro (próximo sábado).

    HORA: A partir do meio-dia.

    VALOR: R$ 30,00 (trinta Reais).

    Obs: caso não queira pagar na hora, pode realizar a transferência pelo PIX: alegurgel@yahoo.com.br (Nubank)