Últimas histórias

  • Sobre

    DuFred e Fazenda Caju fazem parceria para gerar negócios saborosos

    Uma visita técnica que evoluiu para uma parceria que ainda pode render bons negócios. Assim pode ser definida a aliança entre o produtor Marinho Souza, proprietário da queijeira Fazenda Caju, eo chef Fred Carvalho Filho, que é responsável pela marca DuFred, especializada em molhos, caponatas e terrines. Os dois decidiram fazer negócios juntos e apresentam pela primeira vez o resultado dessa parceria, com a estreia na Exposição Terroir da Agência Sebrae Festa do Boi, com a venda de queijos e degustação dos preparos do chef de cozinha.

    A parceria já nasce com títulos. Localizada em Ceará-Mirim, a Fazenda Caju é considerada a primeira queijaria artesanal do Rio Grande do Norte devidamente registrada para comercialização dos queijos produzidos (coalho, ricota, fresco e maturado). Já Fred Carvalho Filho é considerado o mais novo chef de cozinha com Síndrome de Down do Brasil. E talento não falta a esse amante da gastronomia. Aos 20 anos, ele – juntamente com o pai – está concluindo a graduação em Gastronomia nos próximos meses e já mantém em funcionamento a loja DuFred, no bairro de Candelária, na capital potiguar, onde vende suas experimentações gastronômicas e saborosas da cozinha italiana.

    Na junção das duas empresas, o chef de cozinha passou a incluir os queijos da marca Fazenda Caju nas receitas elaboradas. E nas vendas e exposição, os queijos são harmonizados com os molhos e antepastos da marca DuChef. “A parceria é para andarmos juntos, pois um agrega valor ao produto do outro. Estamos divulgando juntos os produtos das duas marcas, pois isso só agrega valor tanto para os molhos, quanto nossos queijos”, explica Marinho.

    Os dois se conheceram durante uma visita técnica. “Fredinho foi conhecer o nosso processo produtivo pela UniNassau e gostou das nossas linhas de queijo, inserindo alguns deles nas suas receitas. Vimos que podíamos formar uma parceira para promover as duas marcas juntas”, explica o produtor.

    De acordo com o pai do chef, o jornalista Fred Carvalho, o jovem sempre teve um fascínio pela cozinha e essa paixão evoluiu para uma formação superior. “Tivemos dificuldades para encontrar uma instituição com um sistema de vestibular adaptado. Até que conseguimos na UniNassau. Nos matriculamos  e estudamos juntos, na mesma sala, e agora estamos nos formando. Também sou amante da gastronomia como hobby”, conclui o jornalista, que é um dos maiores incentivadores do filho, com Milena Araújo, Microempreendedora Individual que é também é auxiliar da cozinha do DuChef.

  • Sobre ,

    Governo regulamenta produção de queijos artesanais no RN

    Com o objetivo de fortalecer a cadeia produtiva do queijo artesanal, a governadora do estado, Fátima Bezerra, assinou na tarde dessa quinta-feira (18) um decreto que altera a Lei Estadual n° 10.230 (07-08-2017), a chamada Lei Nivardo Mello. O ato governamental regulamenta a produção e a comercialização de queijos e produtos lácteos do Rio Grande do Norte. A cerimônia ocorreu no espaço Agência Sebrae Festa do Boi, juntamente com o lançamento do “Documentário de Queijos Artesanais” e do “Caderno de Boas Práticas de Produção para o Queijo Artesanal Potiguar”, uma edição do Sebrae.

    Além da assinatura do decreto e do lançamento dos materiais produzidos pelo Sebrae-RN, o público também pôde conhecer mais informações sobre o selo ARTE. A iniciativa do Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN (Idiarn) permite que produtos, como os queijos artesanais possam ser vendidos livremente em qualquer parte do território nacional, o que representa um importante avanço para os produtores de leite e derivados.

    Para a governadora, com a publicação do decreto, os produtores de leite e derivados do Rio Grande do Norte poderão de fato usufruir da Lei Nivardo Melo, que beneficiará mais de 300 queijeiras em todo o estado. “Em um trabalho conjunto, conseguimos tirar do papel e colocar em prática ações que irão de fato beneficiar os pequenos produtores”, afirmou.

    Lei Nivardo de Mello

    Proposta pelo deputado estadual Hermano Moraes (PMDB), a Lei recebeu o nome de Nivardo de Mello, um dos mais importantes fabricantes de queijos artesanais de Caicó, fundador da Fazenda Beleza.

    Para o deputado, que também esteve presente no espaço, a lei vem trazer uma maior segurança ao pequeno produtor, e agora, com os ajustes realizados em conjunto com produtores, Sebrae e outras instituições, será ainda mais representativa. 

  • Sobre ,

    Sebrae destaca rentabilidade da criação de abelhas sem ferrão na Festa do Boi

    Apesar de ter atravessado uma fase de declínio no Brasil, a atividade da criação de abelhas nativas sem ferrão volta a ganhar impulso. A meliponicultura tem se destacado pelo baixo risco, sustentabilidade ambiental e, sobretudo, rentabilidade da produção. Enquanto em uma área onde se cultiva 24 colmeias de abelhas africanizadas do gênero Apis se obtém um faturamento médio de R$ 8 mil por ano com a comercialização dos produtos, é possível montar até 200 colmeias de abelhas nativas, que podem render até R$ 70 mil por ano para o produtor e sem nenhum perigo de ferroada, ao mesmo tempo em que mantém o equilíbrio da flora da região.

    Por esses motivos, a meliponicultura – atividade já regulamentada no Rio Grande do Norte – tem despertado a atenção de produtores nos últimos anos e o Sebrae-RN vai demonstrar os motivos desse interesse, durante a 59ª Festa do Boi. O evento será realizado entre os dias 13 e 20 deste mês, no Parque Aristófanes Fernandes, em Parnamirim.

    Logo na entrada da Agência Sebrae Festa do Boi, a instituição está montando um meliponário com dez colmeias de abelhas dessas espécies, levando aos visitantes informações sobre a criação, manejo e rentabilidade dessa atividade, inclusive com um consultor técnico especializado nesse tipo de cultivo presente. Estima-se que no Brasil existem mais de 240 espécies de abelhas melíponas, entre elas a abelha de Jandaíra, famosa no Rio Grande do Norte pelo mel saboroso,  que foi popularmente associado a propriedades medicinais, e de alto valor agregado.

    “Estamos montando essa estrutura para exposição bem semelhante a que foi construída no município de Jandaíra pelo projeto do Sebrae em parceria com a Fundação Banco do Brasil para repassar orientação e informações técnicas a quem busca apostar nessa atividade, cuja procura aumentou bastante no período da pandemia. Isso em função do mel mais saboroso e por ser um tipo de abelha mais dócil, sem ferrão”, explica a analista técnica da Unidade de Desenvolvimento Rural do Sebrae-RN, Honorina Eugênia, responsável pelo meliponário a ser montado no Parque Aristófanes Fernandes.

    As abelhas silvestres sem ferrão carregam características específicas e propícias para o desenvolvimento agroecológico sustentável, já que são encarregados de polinizar muitas plantas nativas, como, no caso do Rio Grande do Norte, espécies endêmicas da caatinga. As colônias podem ser montadas em áreas residenciais, já que as espécies não apresentam riscos de acidentes.

    Mais atrações

    Os meliponários modelo são apenas uma das atrações da fazendinha, o espaço demonstrativo de vários tipos de atividades ligadas ao agronegócio montado na entrada da Agência Sebrae na Festa do Boi. De acordo com o coordenador do espaço, o analista técnico do Sebrae-RN, Acácio Brito, a fazendinha será a porta de entrada dos visitantes no espaço do Sebrae, apresentando, logo de início, várias unidades demonstrativas de projetos rurais no evento.

    No local, estará funcionando a Queijeira Artesanal Nivardo Mello, assim como exposto um curral com vacas leiteiras oriundas do Projeto Leite & Genética e potros gerados pelo Projeto Genepotro, ambos desenvolvidos pelo Sebrae e parceiros. Segundo Acácio Brito, também terá unidades de aquicultura, avicultura e de produção agroecológica de hortaliças. Também estarão na unidade demonstrativa os serviços do Rufião Móvel e Vaca Móvel. O espaço oferecerá atendimentos técnicos especializados de todos esses setores e oficinas práticas de queijos artesanais na queijeira padrão existente no espaço.

  • Sobre ,

    Governo do RN abre nova linha de crédito para pequenos agricultores

    A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, e o vice-governador, Antenor Roberto, anunciaram R$ 9 milhões em crédito para pequenos agricultores e agricultura familiar, durante o lançamento da 59ª edição da Festa do Boi, nessa quinta-feira (21), em Parnamirim.

    A maior feira de agronegócio do estado volta ao formato presencial em 2021, seguindo protocolos de prevenção à covid-19 e a exigência do passaporte da vacina aos participantes. 

    O evento, que será realizado de 13 a 20 de novembro, foi apresentado em café-da-manhã oferecido a autoridades, empresários e imprensa pela Associação Norte-rio-grandense de Criadores (Anorc), em parceria com o Governo do Rio Grande do Norte, Sebrae, Assembleia Legislativa do RN e Prefeitura de Parnamirim.

    O Comitê Estadual de Convivência com o Semiárido do Rio Grande do Norte, responsável por elaborar o plano de ação integrado para mitigação dos efeitos da estiagem, está elaborando a linha de crédito a ser operada pela Agência de Fomento do RN (AGN-RN) e definindo detalhes operacionais para que sejam obedecidos normativos estabelecidos pelo Banco Central e da própria instituição para viabilizar a execução do crédito o mais rápido possível para garantir a manutenção do rebanho potiguar nas áreas mais impactadas pela seca no estado com o atendimento ao pequeno pecuarista familiar. Os detalhes operacionais do financiamento deverão ser anunciados nos próximos dias. A governadora reforçou também a cobrança de medidas nacionais para o agronegócio.

    “Ao mesmo tempo, a gente quer aqui fazer um apelo ao governo federal para chegar junto. O Banco do Brasil tem mais de 240 milhões de reais em crédito rural, o BNB tem mais de 40 bilhões de reais. Por que não pegar parte desses recursos de forma a desburocratizar e colocar na praça. É inaceitável uma saca de milho acima de R$ 100. O Governo do Estado não pode fazer nada, porque isso depende da política de regulação de preço”, lamentou Fátima Bezerra. 

    O presidente da Anorc, Marcelo Passos – acompanhado pelo vice-presidente, Marcos Teixeira – agradeceu aos parceiros da Festa e falou em poder de reconstrução. 

    “O semiárido precisa de planejamento, crédito e políticas públicas. Esse é o papel da Anorc. A gente tem que sair daqui de mãos dadas, porque sem a atuação de todo esse colegiado, a gente não tem competitividade”, disse, ao lembrar que estados vizinhos não possuem uma estrutura semelhante para exposições e rodadas de negócios. 

    Evento 

    A expectativa dos organizadores da 59ª Festa do Boi é que o evento reúna 330 mil pessoas, gerando R$ 50 milhões em negócios.

    O espaço será dividido em setores para agricultura familiar; leilões e “lives”; área de exposição de animais; Sebrae-RN; bioprevenção; feira de orgânicos e flores; desfiles e julgamentos; parque de diversões; empório de produtos regionais; fórum de palestras; praça de alimentação. O acesso à pista dos shows musicais será gratuito.