Últimas histórias

  • Sobre

    Mulheres comandam 32% das empresas no Rio Grande do Norte

    De cada dez empresas em funcionamento no Rio Grande do Norte, pelo menos três têm mulheres como proprietárias do negócio. Um levantamento elaborado pelo Sebrae mostra que as mulheres lideram 32% das empresas potiguares, o que representa um universo de 115.709 empresas sob o comando feminino. Elas são responsáveis por 8,6 milhões de negócios no Brasil. As informações se referem ao terceiro trimestre do ano passado e foram processadas tendo como base os microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

    O estudo do Sebrae apresenta dados que mostram que ainda há muitas barreiras a superar para a valorização do empreendedorismo feminino. No geral, as mulheres donas de negócio quando comparadas aos homens têm maior grau de escolaridade, são mais jovens, ganham menos, trabalham mais sozinhas (Conta Própria) e em menos horas no negócio, estão há menos tempo na atividade atual e quase a metade é chefe de domicílio. Elas ainda têm estruturas de negócio mais simples, sobretudo no segmento de serviços e contribuem mais à previdência na atividade atual.

    Em relação à escolaridade, 27% das empreendedoras potiguares possuem nível superior completo. 58% dessas mulheres são da cor branca e 53% têm idade até 44 anos. A rotina de dividir as responsabilidades entre o negócio e o lar é uma realidade para 48% das empreendedoras do Rio Grande do Norte. O pior: 78% delas ganham no máximo um salário mínimo.

    Quando o assunto é empreendedorismo, as mulheres ainda atuam em um universo de atividades mais restrito que os homens. De acordo com o relatório da Global Entrepreneurship Monitor (GEM) de 2020, produzido pelo Sebrae em parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBPQ) e considerada a maior pesquisa de empreendedorismo do mundo, mais da metade das empreendedoras iniciais, aquelas com empreendimento de no máximo 3,5 anos, ou seja, quase 60%, atuam em apenas seis atividades. Já entre os homens, o número das principais atividades sobe para 14, mais do que o dobro.

  • Sobre

    Casos de miopia aumentam em crianças durante a pandemia, aponta estudo

    Em estudo inédito, o Conselho Brasileiro de Oftalmologia – CBO levantou as relações entre a pandemia de covid-19 e o aumento do número de casos de miopia infanto-juvenil no País. Especialistas declaram que o aumento da exposição às telas dos aparelhos eletrônicos coloca em risco a saúde ocular das crianças.

    O CBO ouviu 295 especialistas, entre abril e junho deste ano, em uma pesquisa que levantou o impacto do coronavírus na saúde ocular das crianças. Para 98,6% dos médicos ouvidos, a exposição dos jovens aos smartphonestablets e computadores deve ser reduzida. O uso excessivo desses dispositivos levou mais crianças ao quadro clínico, de acordo com 71,9% dos ouvidos no estudo. Também houve o agravamento do quadro clínico de quem já tinha o erro refrativo do globo ocular, é o que percebeu 71,9% dos médicos entrevistados.

    A miopia é um erro de refração ocular bastante comum, mas o diagnóstico precoce pode retardar a progressão e controlar o transtorno. Pais e responsáveis devem estar constantemente atentos aos hábitos das crianças e adolescentes, já que sinais do problema podem ser identificados no dia-a-dia. Queda no rendimento escolar, apertar os olhos para ver objetos, dificuldade de leitura ou mesmo uma mudança de comportamento social, podem indicar a existência do distúrbio. 

    No entendimento do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, além dos cuidados com a prevenção, o enfrentamento do crescente no número de casos de miopia infantil também depende de ações apoiadas pelo governo, a nível federal, estadual e municipal. E a interlocução entre os Ministérios da Saúde e Educação, a partir do desenvolvimento de estratégias que atinjam as crianças e os adolescentes em casa e na escola.

    O assunto será um dos temas debatidos na 65ª edição do Congresso Brasileiro de Oftalmologia, nos próximos dias 21, 22 e 23 de outubro, no Centro de Convenções de Natal, com a participação de congressistas nacionais e internacionais.