Últimas histórias

  • Sobre

    Revista da CGU recebe até dia 18 de julho trabalhos sobre ciência de dados

    Quase 5 bilhões de pessoas usam a internet em todo o mundo. De acordo com o estudo Digital 2022: Global Overview Report, os 4,95 bilhões de usuários representam 62,5% da população mundial, que usa a rede para se entreter, ver notícias e se informar. São pessoas, empresas e órgãos governamentais produzindo informação e disseminando-a na rede. Mas como filtrar e interpretar toda informação que é produzida? Para isso surge a ciência de dados.

    No setor governamental esse trabalho aumenta a transparência na administração pública, o controle e a fiscalização social, diz a pesquisadora em Inteligência Artificial do departamento de Ciência de Computação do ICMC/USP, Solange Oliveira Rezende. Segundo ela, há um grande esforço para melhorar a Política de Dados Abertos, para disponibilizar dados abertos governamentais. Para o engenheiro da computação Alex Lopes Pereira, a ciência de dados na administração pública tem grande potencial para melhorar a efetividade da atuação do poder público e a ajudar os brasileiros a tomar melhores decisões.

    Para debater esse assunto, a Controladoria Geral da União (CGU) está colhendo trabalhos para o dossiê especial Ciência de Dados na Administração Pública: Desafios e Oportunidades. A chamada fica aberta até 18 de julho.

    Serão aceitos artigos científicos, ensaios revisionais ou relatos técnicos em áreas como: ciência de dados e auditoria governamental; ciência de dados e a avaliação de políticas públicas; inovações tecnológicas de gestão pública decorrentes da pandemia e aplicações para governo eletrônico.

    De acordo com a editora da revista, Flávia Lemos Xavier, o objetivo da publicação passa por três eixos: indutor em temas do interesse da CGU, conector com a comunidade científica e inovador ao fomentar a aplicação do conhecimento para a prática administrativa. “A revista é parte da gestão estratégica do conhecimento da CGU, com influência em toda a administração pública”, disse.

    Os interessados podem obter mais informações pelo site da revista da CGU

    Agência Brasil

  • Sobre ,

    Obras do Parque Tecnológico Augusto Severo – PAX serão iniciadas dia nesta semana em Macaíba

    A governadora Fátima Bezerra assinou, nessa segunda-feira (14), os contratos das obras do Parque Científico Tecnológico Augusto Severo – PAX, em Macaíba. A formalização ocorreu no prédio da Governadoria e contou com a presença do vice-governador, Antenor Roberto, de parte do secretariado estadual e de representantes de instituições de ensino, pesquisa, ciência, tecnologia e de federações do estado.

    O parque promoverá polos de inovação e empreendedorismo em áreas vitais para o desenvolvimento econômico, como energias renováveis, mineração, pesca, aquicultura, setor têxtil, turismo, fruticultura e serviços. Os recursos estaduais dos contratos assinados somam R$ 7,5 milhões, viabilizados pelo Projeto Governo Cidadão e Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico (SEDEC), junto ao empréstimo estatal com o Banco Mundial.

    Até o fim do mês haverá, ainda, licitação para aquisição de mobília no valor de R$ 1,5 milhão, mais R$ 1,8 milhão em equipamentos, totalizando R$ 10,8 milhões em recursos estaduais investidos no Parque.

    Parceria com instituições

    A parceria para viabilizar o Parque envolve o Governo do Estado, por meio do Projeto Governo Cidadão, SEDEC, Universidade Estadual do RN (UERN) e Fundação de Apoio à Pesquisa (Fapern), mais a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Universidade Federal do Semiárido (Ufersa), Instituto Santos Dumont (ISD), Sebrae, Sesi-RN, Instituto Federal do RN (IFRN), Centro de Tecnologias do Gás e Energia Renováveis (CTGAS-ER), Federação das Indústrias do RN (FIERN), Fecomércio, Senai, mais as prefeituras municipais de Natal, Macaíba, São Gonçalo e Parnamirim.

    Obras ficam prontas em oito meses

    As obras iniciam até o dia 18 de fevereiro, serão fiscalizadas pela SIN e deverão estar prontas em oito meses. Os contratos assinados incluem a construção de toda a infraestrutura física para o funcionamento do parque (R$ 4,1 milhões); a construção de uma Estação Elevatória para o abastecimento de água do Parque (R$ 930 mil); e a reforma da Escola de Educação Básica Lygia Maria Rocha Laporta, localizada na área do Parque (R$ 2,3 milhões). Os serviços ficarão a cargo das empresas Azevedo Coelho Engenharia Ltda e Conarte Projetos, Construções e Serviços Ltda.

    Ciência e tecnologia fora dos grandes centros

    Mesmo com um cenário federal de investimentos escassos no campo da ciência, o Rio Grande do Norte vem agregando no Nordeste, centros de renome nacional e internacional, descentralizando a produção científica tradicionalmente concentrada no Sul e Sudeste. Um grande feito para um estado de uma região com baixos índices de desenvolvimento humano.

    Também em Macaíba, onde funcionará o Parque, estão localizadas entidades de nível internacional como o Instituto Santos Dumont (ISD), o Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS) e o Centro de Educação e Pesquisa em Saúde Anita Garibaldi (Anita), formando um ambiente propício à instalação deste novo empreendimento. Um dos maiores neurocientistas brasileiros da atualidade, Sidarta Ribeiro, é professor titular da UFRN, vice-diretor do Instituto do Cérebro e um dos diretores da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Seu trabalho muito tem fomentado este campo no RN.

    Nessa esteira, bons resultados têm sido colhidos pelos cientistas potiguares. Por exemplo: o Estado foi classificado como um dos seis melhores no país no uso da ciência no combate à pandemia. Empatou com o Espírito Santo, recebendo nota 9,2, ficando atrás apenas da Paraíba, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

    Foi o que revelou a pesquisa “Ciência e pseudociência durante a pandemia de covid-19: o papel dos ‘intermediários do conhecimento’ nas políticas dos governos estaduais no Brasil”, divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em janeiro deste ano.

  • Sobre ,

    Deputados sugerem emenda coletiva da ALRN para Parque Tecnológico da UFRN/PAX

    O Parque Científico e Tecnológico Augusto Severo/PAX-RN em desenvolvimento pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) em Macaíba poderá receber o apoio da Assembleia Legislativa do Estado. A sugestão partiu dos deputados estaduais Getúlio Rêgo (DEM) e Hermano Morais (PSB), em pronunciamentos durante a sessão plenária desta quarta-feira (17). Ambos saíram em defesa da apresentação de uma emenda coletiva da Casa, em nome de todos os parlamentares, a favor do equipamento que está sendo instalado na Grande Natal.

    “Esse será um importante instrumento da promoção das novas tecnologias a serviço da sociedade. Solicito atenção para esta iniciativa e que todos nós devemos abraçar por meio de uma emenda coletiva, que não se transforme em instrumento político, não possa ser postergado em função de questões menores por envolver membros da oposição”, disse Getúlio.

    Para o democrata, é preciso afastar dessa iniciativa qualquer disputa política partidária ou ideológica. “Acima disso estão os interesses da sociedade potiguar em apoio a um instrumento de geração de saber, de preparo e avanço na educação”, completou. Getúlio relatou ainda que foi procurado pessoalmente pela ex-reitora da UFRN, Ângela Paiva, que atualmente coordena os trabalhos do Parque Tecnológico. O parlamentar sugeriu ainda uma emenda coletiva no valor de R$ 4 milhões para este fim. 

    Em seguida foi a vez de Hermano Morais se pronunciar a favor da proposta. “Conhecemos a realidade e a necessidade de fazer mais investimentos em ciência e tecnologia. A Universidade, inclusive, há poucos dias foi premiada por gestão. Acho mais do que justo que essa Casa possa se unir acima das questões político partidárias e ideológicas a favor de grande projeto que é esse centro de tecnologia que está sendo implantado e precisa de recursos para se consolidar”, disse.

  • Sobre

    UFRN divulga resultado do Prêmio Pesquisador Destaque 2021

    A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa (Propesq), divulgou o resultado da 3ª edição do Prêmio Pesquisador Destaque da UFRN 2021. Foram contemplados com a premiação os professores Benjamin Rene Callejas Bedregal e Madras Viswanathan Gandhi Mohan, da área de Ciências Exatas, da Terra e Engenharias; Silvia Regina Batistuzzo de Medeiros, da Ciências da Vida; e Rozeli Maria Porto, da Ciências Humanas e Sociais, Letras e Artes.

     Conforme previsto no edital, os avaliadores analisaram os memoriais e Curriculum Lattes dos candidatos, levando em consideração os seguintes critérios: relevância e impacto das publicações científicas; formação de recursos humanos para a pesquisa (graduação e pós-graduação); relevância da pesquisa na área de atuação; e internacionalização.

    A pró-reitora adjunta de Pesquisa, Elaine Gavioli, destaca que a premiação é uma forma da UFRN reconhecer os pesquisadores cuja trajetória científica contribui para elevar o nome da instituição. “É também uma forma de divulgar entre a comunidade universitária a biografia de pesquisadores importantes da UFRN. Somos muito gratos a eles e ao que eles representam, pois elevam o nome da instituição no contexto nacional e internacional”, ressalta.

     Cada contemplado receberá um auxílio no valor de R$ 5 mil para investir em sua pesquisa. Na edição deste ano, o comitê avaliador externo acabou dividido entre dois candidatos da área de Ciências Exatas, da Terra e Engenharias, com decisão da Propesq em conceder premiação aos dois pesquisadores.

    Todos os pesquisadores premiados deverão participar, na condição de conferencista, do XXXII Congresso de Iniciação Científica e Tecnológica (eCICT 2021), apresentando a contribuição científica oriunda de sua pesquisa. O evento é uma das principais ações inseridas no Programa Institucional de Iniciação Científica e Tecnológica da UFRN, que busca atrair estudantes para as atividades de Ciência, Tecnologia e Inovação desenvolvidas na universidade.

    A entrega do Prêmio Pesquisador Destaque UFRN 2021 deverá ocorrer durante o Congresso de Iniciação Científica (32º eCICT), no formato remoto, que está previsto para ocorrer na semana de 24 a 28 de janeiro de 2022.

  • Sobre ,

    Encontro debate cenário da Ciência no RN e os cortes orçamentários

    Acontece nesta sexta-feira, 22, o evento Encontros com a Ciência: cenário de CTI no RN e os cortes orçamentários. Promovido em parceria entre a UFRN e a Coordenação Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC-RN), o debate espera reunir professores e pesquisadores de todas as instituições de ensino superior do Rio Grande do Norte. A reunião é remota e realizada pelo Google Meet das 14h30 às 15h30.

    Com mediação da professora do Instituto do Cérebro e membro do Conselho da SBPC, Maria Bernardete Cordeiro de Sousa, o encontro recebe os professores José Ivonildo do Rêgo, do Departamento de Engenharia de Computação e Automação e diretor do Instituto Metrópole Digital; Selma Maria Jerônimo, do Departamento de Bioquímica e diretora do Instituto de Medicina Tropical; e José Renan de Medeiros, do Departamento de Física Teórica e Experimental e membro da Academia Brasileira de Ciências.

    No dia último dia 8, o Ministério da Economia anunciou o corte de 87% do orçamento destinado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Com isso, a pesquisa brasileira viu uma verba de R$ 690 milhões cair para apenas R$ 89 milhões. Tal cenário é extremamente preocupante diante da quantidade de pesquisadores que contam com o investimento de recursos federais para desenvolverem seus trabalhos.

    “O Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI), cujas atividades são gerenciadas pelo Ministério do mesmo nome, encontra-se numa fase de descapitalização dos seus fundos de financiamento, decorrente da política do atual governo. Os cortes que ocorreram na semana passada demonstram claramente que a Ciência, tecnologia e inovação estão sob pressão e não constituem uma prioridade nacional”, afirma Bernardete Sousa.

    Ainda de acordo com Bernardete, o evento contribui para que pesquisadores, professores e demais membros da comunidade acadêmica tomem conhecimento do momento político e financeiro relacionado à ciência. Em sua avaliação, é importante que todos estejam mobilizados para debater o tema.

    “Desse modo, a comunidade científica precisa conhecer de modo mais aprofundado a realidade atual e, por meio da discussão sobre este tema, elaborar de maneira conjunta propostas de enfrentamento para tentar reverter estas ações, bem como o seu impacto na CTI no nosso estado e no Brasil”, conclui a pesquisadora.

  • Sobre ,

    UFRN lança 5º Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica

    A Pró-Reitoria de Pesquisa (Propesq) divulgou o edital da quinta edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica da UFRN. A premiação será concedida a alunos de Iniciação Científica e Tecnológica que se destacarem, sob os aspectos de relevância e de qualidade do trabalho completo e vídeo de divulgação científica apresentados durante a XXXII edição do Congresso de Iniciação Científica e Tecnológica da UFRN (eCICT 2021). 

    Os interessados poderão se candidatar às categorias Trabalho Destaque de Iniciação Científica e/ou Vídeo Destaque de Divulgação Científica, nas quais concorrerão ao prêmio com estudantes da mesma grande área do conhecimento. O prêmio abrange as áreas de Ciências Exatas, da Terra e Engenharias; Ciências da Vida; e Ciências Humanas, Sociais, Letras e Artes. Os vencedores receberão bolsas de iniciação científica, no valor de R$ 600 a R$ 800 mensais por um ano, de acordo com a classificação na premiação.

    São elegíveis a participar do prêmio os estudantes que tiveram a submissão de seu trabalho ao eCICT 2021 autorizada pelos respectivos orientadores no Sigaa. Para se inscrever, o autor do trabalho deverá preencher e enviar o formulário de inscrição eletrônico até o dia 7 de novembro. O edital completo do prêmio, incluindo os procedimentos para inscrição, está disponível no site da Propesq.

    eCICT 2021

    O prazo de submissão de trabalhos para o eCICT 2021 está aberto até o dia 31 de outubro. Para participar do congresso, o discente deve realizar a submissão do trabalho e do vídeo de divulgação científica por meio do Sigaa (Portal do Discente → Pesquisa → Congresso de Iniciação Científica → Submeter Trabalho Completo).

    Este ano, o evento ocorrerá totalmente no formato virtual, via Sigaa, entre os dias 23 e 25 de novembro, com a Mostra de trabalhos e vídeos de Ciência, Tecnologia e Inovação. Já o eCICT 2021 Virtual ocorrerá pela plataforma AvaProex, com disponibilidade de conteúdo on demand no período de 24 a 28 de janeiro de 2022. 

    O eCICT 2021 seguirá o tema A transversalidade da ciência, tecnologia e inovações para o planeta e ocorre com uma mostra de trabalhos e de vídeos de Ciência, Tecnologia e Inovação, produzidos pelos alunos de iniciação científica e tecnológica da UFRN. Após o evento, os trabalhos e vídeos permanecerão disponíveis para a comunidade em geral na página do encontro. 

  • Sobre , ,

    UFRN bate recorde em concessões de patentes

    A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) atingiu nesta terça-feira, 05, a melhor marca de sua história em números de concessões de marcas patentes: 16. Isso, só no ano de 2021.

    São fórmulas farmacêuticas, alternativa para o diagnóstico do câncer, protetor para quadril, tecnologias inovadoras na área de petróleo e de energias renováveis, entre outros.

    Em toda sua história, a UFRN já recebeu 40 concessões de patentes, movimento que começou em 2014.

    “Sabemos que a inovação é fundamental para o desenvolvimento socioeconômico do nosso país, portanto acreditamos que deve ser cada vez mais incentivada. É por isso que o novo Plano de Desenvolvimento Institucional da UFRN inclui uma política de inovação e o Plano de Gestão 2019-2023 a insere como fator estratégico, em que o desenvolvimento acadêmico passa pela excelência no ensino, na pesquisa, na extensão e na inovação. Os resultados observados são fruto da valorização da inovação no planejamento institucional ao longo dos anos”, considera o reitor da UFRN, José Daniel Diniz Melo.

  • Sobre , ,

    Dissolução de Conselho Técnico-Científico da Capes será tema de audiência pública hoje no Senado

    A Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) fará audiência pública às 14 horas desta quinta-feira (30) para debater a dissolução do Conselho Técnico-Científico da Educação Superior (CTC-ES) da Capes, além de outras questões relativas à gestão da entidade. A iniciativa partiu do senador Fabiano Contarato (Rede-ES). 

    A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) é uma fundação pública ligada ao Ministério da Educação e atua na expansão do setor de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) em todos os estados do país. A instituição também desempenha atividades na formação de professores da educação básica. 

    Fabiano Contarato observou que uma portaria da presidência da Capes, na prática, destituiu os atuais integrantes do Conselho Técnico-Científico, com repercussão imediata no meio acadêmico brasileiro. Por isso, o parlamentar quer ouvir a atual comandante da Capes, Claudia Queda de Toledo. 

    “Uma série de organizações científicas e acadêmicas demonstraram preocupação com esta portaria, apontada como parte de um processo mais longo de ataques contra a Capes e, de forma mais ampla, contra o ensino superior público e privado no Brasil”, disse em seu requerimento. 

    O CTC-ES é responsável por elaborar a proposta do Plano Nacional de Pós-Graduação, opinar sobre acordos de cooperação e sobre os critérios e procedimentos para concessão de bolsas e auxílios institucionais e deliberar sobre propostas de novos cursos e conceitos atribuídos durante a avaliação dos programas de pós-graduação.

    Contarato disse também que há outras questões relevantes sobre a atual gestão da Capes que precisam ser debatidas, como indicações controversas e alterações no modelo de avaliação de periódicos científicos. 

    Como participar

    O evento será interativo: os cidadãos podem enviar perguntas e comentários pelo telefone da Ouvidoria do Senado (0800 061 2211) ou pelo Portal e‑Cidadania, que podem ser lidos e respondidos pelos senadores e debatedores ao vivo. O Senado oferece uma declaração de participação, que pode ser usada como hora de atividade complementar em curso universitário, por exemplo. O Portal e‑Cidadania também recebe a opinião dos cidadãos sobre os projetos em tramitação no Senado, além de sugestões para novas leis.

    Fonte: Agência Senado