Últimas histórias

  • Sobre

    Mossoró: Marcha Mundial das Mulheres realiza dia de atividades em defesa da vida

    Neste dia 08 de Março as mulheres estarão nas ruas mais uma vez, em mais um ato do Dia Internacional da Mulher, para lembrar que essa é uma data de lutas e de reivindicações. Em Mossoró, a Marcha Mundial das Mulheres (MMM) irá realizar um dia de atividades que se inicia às 8h da manhã, com uma ação política que terá Feira Feminista da Economia Solidária, música ao vivo, teatro, sarau feminista, intervenção do bloco Alô Frida e uma roda de conversan intitulada “Feminismo Popular e as lutas de 2022”, que terá a participação de Michela Calaça, do Movimento de Mulheres Camponesas (MMC), e Isolda Dantas, deputada estadual (PT/RN), e será coordenada por Hilberlândia Andrade, da Comissão Pastoral da Terra (CPT).  A expectativa é que cerca de 150 mulheres da região oeste potiguar participem da atividade. 

    À tarde, a partir das 15h30 as mulheres se organizarão junto com outros movimentos que integram a Frente Brasil Popular para sair em caminhada até a Praça do Pax, onde acontecerá o ato unificado com o mote “Pela Vida das Mulheres: Bolsonaro Nunca Mais! Por um Brasil sem Machismo, Racismo e Fome”.

    Com a ofensiva do governo Bolsonaro à classe trabalhadora e à vida das mulheres, como o aumento do desemprego, do preço dos alimentos, do feminicídio, e o descaso com a pandemia do coronavírus, as mulheres têm a missão de radicalizar o feminismo e transformar o país: “Esse ano de 2022 será decisivo pro Brasil. Com as eleições presidenciais chegando, nós mulheres, que sempre estivemos nas trincheiras, temos a chance de derrotar Bolsonaro, e com isso, dizermos não ao machismo, ao neoliberalismo, ao negacionismo, e de construirmos o país que queremos, que coloque a sustentabilidade da vida como prioridade”, destaca Pluvia Oliveira, militante da Marcha Mundial das Mulheres.  

    Foto: Ellen Dias

  • Sobre ,

    Mulheres de Mossoró vão às ruas neste sábado (04) contra Bolsonaro

    Neste sábado, 04, mulheres de todo o país vão às ruas exigindo: “Bolsonaro nunca mais!”. Em Mossoró, o ato está sendo organizado por movimentos e organizações feministas, Frente Brasil Popular, sindicatos e movimento estudantil. O ato ocorrerá na Praça do Pax, a partir das 8h, com intervenções da batucada feminista, apresentação de artistas da cidade e diálogo com os trabalhadores e trabalhadoras no centro da cidade.

    Sob o governo Bolsonaro, o cenário econômico, social e sanitário atual apresenta crises e perdas profundas: a negligência na gestão da pandemia que acumula a morte de mais 600 mil pessoas, cortes das políticas de combate à pobreza e demais programas sociais, promove a precarização dos serviços públicos; a carestia e o desemprego, aumento significativo dos índices de violência contra a mulher, indígenas, ribeirinhos e população negra. Por estas e outras razões, mais uma vez, as mulheres protagonizam o embate.

    A reivindicação dos movimentos e organizações é pela continuidade das mobilizações iniciadas em 2018 com os atos “Ele Não!”, liderado por mulheres na busca de evitar que Bolsonaro chegasse ao poder e que reuniu milhares de pessoas nas ruas em todo o Brasil. “Nas eleições passadas nós, mulheres, dissemos “Ele não!” porque sabíamos que o projeto de país de Bolsonaro era contra o povo. E agora dizemos: “Nunca mais!” porque o nosso país precisa romper e não permitir a perpetuação da agenda política deste desgoverno”, é o que diz Plúvia Oliveira da Marcha Mundial das Mulheres.

    Michela Calaça, do Movimento de Mulheres Camponesas, reforça: “é muito importante terminar esse ano, que está marcado por perdas, por tanta dor e pela impunidade desse presidente que é responsável por tudo isso, com o recado das mulheres. Ainda queremos o impeachment, pois só assim Bolsonaro será jugado e condenado por seus crimes”.

    O ato deste 4 de dezembro pretende ocupar as ruas para demarcar uma agenda de reivindicações que inclui a derrubada de Bolsonaro, contra à feminização da pobreza, contra o racismo, contra a carestia e pelo amplo direito à saúde para toda a população.

  • Sobre ,

    Acesso à internet pública exige que aluno veja propaganda do governo Bolsonaro

    O programa do Wi-Fi Brasil, do projeto Conecta Brasil, sob responsabilidade do Ministério das Comunicações, tem a maior parte da verba do projeto destinada às regiões Norte e Nordeste, onde Bolsonaro teve pior desempenho nas Eleições 2018.

    Cada vez que alguém acessa a rede por qualquer motivo, as peças publicitárias do governo são reproduzidas.

    De acordo com estimativas do Ministério da Comunicação, pelo menos 26 milhões de brasileiros passaram a ter acesso à banda larga por meio do Conecta Brasil — o programa do governo tem um orçamento de R$ 2,7 bilhões, com 91% destinado a estados do Norte e Nordeste.

    No último mês de maio, durante a inauguração de um desses sinais públicos de Wi-Fi, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, destacou que a internet era uma fonte alternativa de informações ao que chamou de “notícias contra o presidente”.

    Acesse a reportagem completa AQUI.

    Você também pode acompanhar matérias sobre o assunto:

    https://tecnoblog.net/497968/internet-publica-chega-a-povoados-com-propaganda-obrigatoria-pro-bolsonaro/

    https://www.brasil247.com/midia/acesso-a-internet-publica-exige-que-aluno-assista-a-publicidade-do-governo-bolsonaro

    https://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2021-09-27/acesso-internet-publica-aluno-propaganda-governo-jair-bolsonaro.html